Os Dez Mandamentos – A Lei de Deus – desde quando só para Judeus?

Como você constrói uma casa? Começa fazendo o alicerce ou começa colocando o telhado? Você até pode começar colocando o telhado, desde que esteja fazendo uma planta ou desenho da mesma. Será que o Conselho Regional de Engenharia aprovaria um projeto assim? Começar pelo telhado? Será que um pedreiro começaria uma construção pelo telhado?

No Novo Testamento encontramos a orientação de Jesus para que edifiquemos nossa casa na rocha e não na areia.

Mateus 7:24-27

24 Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática, será comparado a um homem prudente, que edificou a casa sobre a rocha.

25 E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa; contudo não caiu, porque estava fundada sobre a rocha.

26 Mas todo aquele que ouve estas minhas palavras, e não as põe em prática, será comparado a um homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia.

27 E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa, e ela caiu; e grande foi a sua queda.

Uma coisa que me chama a atenção: Jesus não era formado em engenharia por nenhuma universidade, MAS é o arquiteto do universo.

Gênesis 1:26

26 E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se arrasta sobre a terra.

Será que Ele está errado?

Você não pode separar o Novo Testamento do Velho, pois os apóstolos e o próprio Jesus sempre mencionaram o Velho Testamento. (Mateus 3:3; 4:14; 8:17; 12:17; 13:14; Marcos 1:2; 7:6; Lucas 3:4; 4:17; João 1:23; 12:38-39; 12:41; Atos 8:28; 8:30; 28:25; Romanos 9:27; 9:29; 10:16; 10:20 e 15:12).

Foi dado ao povo Hebreu, Judeu? Não! Foi dado a humanidade , Adão e Eva. Desde quando? Desde o Princípio!

Gênesis 1:1

1 No princípio criou Deus os céus e a terra.

Para complementar o seu ato de criação, ainda estipulou um dia específico para comemoração.

Gênesis 2:1-3

1 Assim foram acabados os céus e a terra, com todo o seu exército.

2 Ora, havendo Deus completado no dia sétimo a obra que tinha feito, descansou nesse dia de toda a obra que fizera.

3 Abençoou Deus o sétimo dia, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que criara e fizera.

Ainda deu a Adão e Eva como presente o Casamento. Que maravilha!  Apesar de que hoje de acordo com as leis do país está ficando errado casar homem com mulher. Aproveitando a oportunidade aqui vai uma sugestão: Que tal criar um terceiro e quarto sanitários? Você chega aos mercados, rodoviárias, aeroportos, clubes, igrejas, repartições públicas e encontra sanitários masculinos e femininos. Falta para os outros grupos que não se enquadram nas duas categorias. Assim os nossos filhos não ficarão tão espantados e admirados. Já passamos os limites de Sodoma e Gomorra. Ainda bem que um dia virá destruição daquilo que é contrário aos mandamentos de Deus. Ele fará justiça.

Gênesis 2:24

24 Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne.

Se em Gênesis capítulo 3, Lúcifer, Satanás ou melhor dizendo, a Serpente, usa de uma falsa doutrina demoníaca (espiritismo), pois incorpora em um animal e induz Eva ao pecado, quanto mais não fará incorporando ao homem?

Será que assim procedendo Satanás, Eva, Adão, pecaram? Qual era a Lei estabelecida e onde?

No capítulo 4 do Livro dos Gênesis, Caim mata o seu irmão Abel. Com base em que Lei ele se tornou um assassino? Se o mandamento de “Não Matarás” veio para o povo Hebreu no Monte Sinai, logo podemos concluir que não houve homicídio, não existia Lei. E que se hoje eu matar alguém, não é pecado, pois a Lei de Deus foi abolida em Cristo. Só vou ter que ficar algum tempo na cadeia para cumprir a lei do homem. Cumprida a pena estará tudo resolvido. Não preciso confessar o meu pecado a Deus e nem pedir perdão a Ele e nem aos familiares da minha vítima.

Ainda podemos observar que o homem começou a possuir mais de uma mulher. Se Deus permitiu, então hoje também não seria pecado perante Deus que eu possuísse mais de duas mulheres. Você pode avaliar com sensatez o que aconteceu com Abraão, Isaque e Jacó? Leia pelo menos o Livro dos Gênesis para descobrir.

A partir do capítulo Seis, Deus estabelece um tempo de 120 anos para o homem. Dá a graça através da Arca de Noé; vamos consertar, a graça foi dada com a arca construída por Noé, mas dada por Deus. Então o Senhor estabelece o juízo para aquele povo. Outros povos tiveram o Seu tempo da graça e aceitaram, mas outros não aceitaram e foram destruídos.

Você se lembra do episódio de Sodoma e Gomorra? – até tentaram pegar os anjos – cometiam os mesmos pecados que são cometidos hoje. Até as duas filhas tiveram filhos com o pai. É fato que Deus perdoa, mas nem sempre livra das consequências. O que vemos hoje em Israel é o reflexo do pecado. Para que exemplo melhor do que as nossas novelas e os demais programas televisos? Será que você pensou no BBB? Caldeirão de quê? Até os evangélicos estão aderindo. Lamentável para um povo que usa o nome de Cristo ou de cristão.

Isaías 4:1

1 Sete (NÚMERO DE PERFEIÇÃO = VÁRIAS) mulheres (IGREJAS) naquele dia lançarão mão dum só homem (JESUS), dizendo: Nós comeremos do nosso pão (NÃO QUEREMOS O PÃO DA VIDA QUE É JESUS), e nos vestiremos de nossos vestidos (NÃO QUEREMOS A TUA JUSTIÇA); tão somente queremos ser chamadas pelo teu nome (CRISTÃO = CRISTO); tira o nosso opróbrio.

Aí vem a pergunta cruel: a que Lei podemos atribuir o julgamento de Deus? Podemos observar que mesmo no Livro dos Gênesis já é possível identificar uma lei. A perfeita Lei de Deus ou a Lei dos Dez Mandamentos.

Vamos agora para o Livro do Apocalipse – Se Jesus morreu no ano 31 d.C. com 33 anos de idade, então porque Ele foi morto desde a fundação do mundo? Jesus pagou o preço pela nossa salvação. Só podemos pagar o preço se morrermos eternamente, mas a Sua morte nos vivifica através da Sua justiça.

Apocalipse 13:8

8 E adorá-la-ão todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.

Você poderia estudar a Bíblia e fazer um curso ou estudo bíblico para melhorar o seu conhecimento da Bíblia, mas faça em uma igreja que ensina a Bíblia completa, Velho e Novo Testamentos. Onde o Deus é da Graça, mas também é da Justiça.

Só se pode fazer justiça se houver graça, só pode haver graça se houver Lei. Andam lado a lado, uma não funciona sem a outra.

Com base em que Lei, Lúcifer foi expulso do céu e os seus anjos o acompanharam?

Apocalipse 12:7-12

7 Então houve guerra no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão. E o dragão e os seus anjos batalhavam,

8 mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou no céu.

9 E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama o Diabo e Satanás, que engana todo o mundo; foi precipitado na terra, e os seus anjos foram precipitados com ele.

10 Então, ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e o poder, e o reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo; porque já foi lançado fora o acusador de nossos irmãos, o qual diante do nosso Deus os acusava dia e noite.

11 E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até a morte.

12 Pelo que alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Mas ai da terra e do mar! porque o Diabo desceu a vós com grande ira, sabendo que pouco tempo lhe resta.

Você pode me dizer com toda a sua sinceridade qual foi a Lei que Deus, Jesus e o Espírito Santo usaram para cometer tamanha arbitrariedade?

Se Lúcifer e seus anjos eram tão bonzinhos, então a Triunidade fez uma tremenda maldade e injustiça com eles, expulsando-os da Sua presença e do convívio com os anjos celestiais.

A Lei de Deus ou os Dez Mandamentos – Desde quando só para Judeus????? Não lhe parece que a Lei sempre existiu e existirá?

Eu tenho que ser obediente, ou será que é Deus que tem que me obedecer? Desde quando eu determino o que Deus deve fazer em meu favor? Será que não estamos querendo trocar de lugar com Ele?

Escrevi alguma coisa errada?  Se a resposta foi SIM, meu amigo, você precisa ler novamente o texto que eu escrevi para entender melhor. Não continue a leitura!!! Pare aqui!!! Se a resposta foi NÃO, meu irmão, você precisa procurar urgentemente uma igreja que lhe mostre quem é o Caminho, a Verdade e a Vida.

Em nenhum momento afirmei que para ser salvo eu preciso obedecer a Lei. Sou salvo pela graça de Jesus, mas em sinal de obediência, obedeço a Lei dos Dez Mandamentos. O Espírito Santo que habita em mim, dá capacidade para obedecer!

Não adiante obedecer a uma Lei dos Dez Mandamentos onde se tem ou se observa apenas oito ou nove mandamentos ou se eles são mandamentos adulterados pelo homem, a Lei de Deus é completa, ela tem Dez Mandamentos. Deus é Amor!

Meu amado irmão em Cristo Jesus, já está na hora de você entender que a Lei de Deus ou a Lei dos Dez Mandamentos refletem o caráter imensurável de Deus e admitir perante todo o universo que nós somos pecadores e carecemos de um Salvador e também um Senhor!

Tem que ser um Deus infinito em amor e que seja também meu Rei, Intercessor, Advogado, Juiz, Salvador e Senhor da minha vida.

Que a graça de Jesus, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam sempre com você. Que você abra o seu coração e a sua mente para aceitar o Senhor Jesus como Seu Salvador e Senhor. Amém!!!???

Pense Nisto!

Adams Roberto Santos

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

Visite o blog: http://eventosfinais-estudos.blogspot.com/ e veja as outras lições

O Selo de Deus na Lei

Estimado leitor, este livro-online foi escrito para ser compreendido mediante uma leitura seqüencial e ordenada. Não é recomendável ler um capítulo sem haver entendido plenamente todos os anteriores, pois isto poderá ocasionar confusão e preconceitos desnecessários.

O Sábado ainda é ou não o dia do Senhor? 

(Capítulo 01 – Distinção de Leis)
(Capítulo 02 – Contraste entre as Leis)
(Capítulo 04 – A Lei de Deus aos Romanos)
(Capítulo 05 – A Lei de Deus aos Gálatas – Parte I)
(Capítulo 06 – A Lei de Deus aos Gálatas – Parte II)
(Capítulo 07 – Os Dois Concertos – II Coríntios 3)
(Capítulo 08 – A Lei e os Profetas Duraram Até…(?))
(Capítulo 09 – Distorção de textos – Quanto à Lei)
(Capítulo 10 – Distorção de textos – Quanto aos Sábados)

Postado por Tony Pasquel às 12:18 0 comentários

Capítulo 01 – Distinção de Leis

“Por essa razão, pois amados, esperando estas coisas, empenhai-vos por serdes achados por Ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis, e tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor, como igualmente o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada, ao falar acerca destes assuntos, como, de fato costuma fazer em todas as suas epístolas, nas quais há certas coisas difíceis de entender, que os ignorantes e instáveis deturpam, como também deturpam as demais Escrituras, para a própria destruição deles. Vós, pois, amados, prevenidos como estais de antemão, acautelai-vos; não suceda que, arrastados pelo erro desses insubordinados, descaias de vossa própria firmeza; antes, crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A Ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno.” II Pedro 3:14 a 18 

Por esta exposição inicial, vamos iniciar um estudo sobre textos mal compreendidos hoje pelos cristãos, com relação a Lei de Deus ou Dez Mandamentos, e descobrir a verdade sobre tais textos, dentre eles:

Gálatas 3:10 – “Todos quantos, pois, são das obras da lei estão debaixo de maldição…”

Gálatas 3:13 – “Cristo nos resgatou da maldição da lei…”

Efésios 2:15 – “Aboliu, na Sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças…”

Colossenses 2:16 e 17 – “Ninguém, pois, vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados, que são sombras das coisas vindouras; mas o corpo é de Cristo.”

* * * * * * *

Leia os versículos seguintes comparando com os citados acima.

Romanos 3:31 – “Anulamos, pois, a Lei pela fé? Não, de maneira nenhuma! Antes, confirmamos a Lei.” – Ora! Não foi desfeita a Lei? Não é maldito o que observa? Porque então “estabelecer” uma Lei nestas condições, ainda mais sobre a base da fé?

Romanos 7:7 – “Que diremos, pois? É a Lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da Lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a Lei não dissera: ‘Não cobiçarás.'”

Romanos 7:12 – “Por conseguinte, a Lei é santa, e o mandamento, santo, e justo e bom.” – Repetindo: Lei santa, Lei justa e Lei boa. Como admitir que a mesma seja maldita?

Efésios 6:2 – “Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa…” – Paulo adverti a observar esse mandamento, no entanto, seria ilógico observá-lo, já que os Dez Mandamentos, foram “desfeitos”, não acha?

I Timóteo 1:8 – “Sabemos, porém, que a Lei é boa, se alguém dela se utiliza de modo legítimo…” – E agora? Para onde ir? É inconcebível que uma coisa maldita, desfeita ou anulada, seja boa, concorda?

Até aqui, é possível ter entendido que há diversidade de leis na Bíblia. E realmente Paulo menciona muito o termo lei, nos assuntos que enfoca, de maneira ora explícita e clara, ora dificultosa ao entendimento imediato. Certo é que Paulo estabelece a diversidade de leis, realçando uma, a Lei de Deus (Dez Mandamentos) também conhecida como Lei Moral e mostrando a caducidade de outra, a Lei de Moisés, também conhecida Lei Cerimonial na qual era constituída de: sacrifícios, ofertas diversas, circuncisão, dias de festas…

Crê boa parte dos cristãos de hoje que a Lei de Deus foi abolida quando Cristo morreu na cruz. Isso ocorre porque estes mesmos cristãos aplicam ao termo “LEI”, encontrado nas Escrituras, como a definição de todas as leis da Bíblia. Não sancionam a separação delas e discordam que haja distinção entre as mesmas, tudo se resume, pensam, na Lei de Moisés.

Admitir que a Bíblia só apresente uma lei, e que tudo é Lei de Moisés, não havendo portanto distinção entre elas, é o mesmo que dizer ser ela um amontoado de contradições. De fato, existem leis providas de Deus, que foram enunciadas, escritas e entregues por Moisés, e entre elas está a Lei Cerimonial, constituída de um ritual que os judeus deveriam praticar até que viesse o Messias Jesus. (Êxodo 24:7; Deuteronômio 31:24 a 26)

“Os descendentes de Abraão foram cativos no Egito, e o clamor de suas aflições foram ouvidas por Deus, e Ele ‘lembrou’ da aliança que fizera com Abraão, resgatando assim os israelitas do seu opressor, fazendo deles oráculos, guardiões dos estatutos divinos, e ao mesmo tempo testemunhas do poder Criador de Deus às demais nações.” (Gênesis 17:1 a 8; Gênesis 17:9 a 14; Êxodo 3:1 a 9; Êxodo 19:1 a 8)

Os rituais cerimoniais que Deus estabeleceu, simbolizava o evangelho para eles (judeus), e compunha-se de ordenanças como: ofertas diversas, holocaustos, abluções, sacrifícios, dias anuais de festas específicas e deveres sacerdotais. E tais ordenanças foram registradas na Lei de Moisés[Lei Cerimonial], não na Lei de Deus [Lei Moral](II Crônicas 23:18; II Crônicas 30:15 a 17; Esdras 3:1 a 5).

Todo o cerimonialismo, representava Cristo. Todas os estatutos e leis cerimoniais que eram realizados pelos judeus apontavam para Ele. Todas as coisas realizadas representava o sacrifício, o perdão e a salvação realizado por Cristo na cruz. (Colossenses 2:8 a 19). Pesquisando atentamente as Escrituras, podemos encontrar outras leis como:

leis acerca dos altares – Êxodo 20:22 a 26;
leis acerca dos servos – Êxodo 21:1 a 11;
leis acerca da violência – Êxodo 21:12 a 36;
leis acerca da propriedade – Êxodo 22:1 a 15;
leis civis e religiosas – Êxodo 22:16 a 31;
lei dietética – Levítico 11;
repetição de diversas leis – Levítico 19…
leis para os sacerdotes – Levítico 21:1 a 24;

Existe, porém, um código particular e distinto, escrito e entregue pelo próprio Deus a Moisés, a Lei Moral [Dez Mandamentos – Êxodo 31:18]. Esta Lei é universal e eterna. (Isaías 56:1 a 8; Mateus 5:17 a 20; Eclesiastes 12:13 e 14). Portanto estudando com cuidado e humildade, buscando o auxílio do Senhor para compreendê-las, poderemos através do Espírito Santo, ter a mente esclarecida e encontrar na Bíblia essa variedade de leis.

Lourenço Silva Gonzalez, Assim Diz o Senhor, 3.ª ed., 1986.

A Lei e o Evangelho

Quando os judeus rejeitaram a Cristo, rejeitaram a base de sua fé. E, por outro lado, o mundo cristão de hoje, que tem a pretensão de ter a fé em Cristo, mas rejeita a Lei de Deus, comete um erro semelhante ao dos iludidos judeus. Os que professam apegar-se a Cristo, polarizando nEle as suas esperanças, ao mesmo tempo que desprezam a Lei Moral e as profecias, não estão em posição mais segurar do que os judeus descrentes. Não podem chamar inteligentemente os pecadores ao arrependimento, pois são incapazes de explicar devidamente o de que se devem arrepender. O pecador, ao ser exortado a abandonar seus pecados, tem o direito de perguntar: Que é pecado? Os que respeitam a Lei de Deus podem responder: “Pecado é a transgressão da Lei.” (I João 3:4). Em confirmação disto o apóstolo Paulo diz: “… eu não conheceria o pecado, não fosse a Lei.” (Romanos 7:7)

Unicamente os que reconhecem a vigência da Lei Moral podem explicar a natureza da expiação. Cristo veio para servir de mediador entre Deus e o homem, para unir o homem a Deus, levando-o à obediência a Sua Lei. Não havia e não há na Lei, poder para perdoar o transgressor. Jesus, tão-só, podia pagar a dívida do pecador. Mas o fato de que Jesus pagou a dívida do pecador arrependido não lhe dá licença para continuar na transgressão da Lei de Deus; deve ele, daí por diante, viver em obediência a essa Lei.

A Lei de Deus existia antes da criação do homem, ou do contrário Adão não podia ter pecado. Depois da transgressão de Adão não foram mudados os princípios da Lei, mas foram definitivamente dispostos e expressos de modo a adaptar-se ao homem em seus estado decaído. Cristo, em conselho com o Pai, instituiu o sistema de ofertas sacrificais; de modo que a morte, em vez de sobrevir imediatamente ao transgressor, fosse transferida para uma vítima que devia prefigurar a grande e perfeita oferenda do Filho de Deus.

Os pecados do povo foram em figura transferidos para o sacerdote oficiante, que era um mediador para o povo. O sacerdote não podia ele mesmo tornar-se oferta pelo pecado e com sua vida fazer expiação, pois era também pecador. Por isso, em vez de sofrer ele mesmo a morte, sacrificava um cordeiro sem mácula; a pena do pecado era transferida para o inocente animal, que assim se tornava seu substituto imediato, simbolizando a perfeita oferta de Jesus Cristo. Através do sangue dessa vítima o homem, pela fé, contemplava o sangue de Cristo, que serviria de expiação aos pecados do mundo.

Propósito da Lei Cerimonial

Se Adão não tivesse transgredido a Lei de Deus, nunca teria sido instituída a Lei cerimonial. O evangelho das boas novas foi primeiro dado a Adão na declaração que lhe foi feita, de que a semente da mulher havia de esmagar a cabeça da serpente; e foi transferido através de gerações a Noé, Abraão e Moisés. O conhecimento da Lei de Deus e do plano da salvação foi comunicado a Adão e Eva pelo próprio Cristo. Entesouraram cuidadosamente a importante lição, transmitindo-a verbalmente aos filhos e aos filhos dos filhos. Assim se preservou o conhecimento da Lei de Deus.

Os homens naqueles dias viviam quase mil anos, e anjos visitavam-nos com instruções providas diretamente de Cristo. Foi estabelecido o culto de Deus mediante as ofertas sacrificais, e os que temiam a Deus reconheciam perante Ele os seus pecados, aguardando, com gratidão e santa confiança, a vinda da Estrela da Manhã, que havia de guiar ao Céu os caídos filhos de Adão, por meio do arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor e salvador Jesus Cristo. Assim era o evangelho pregado em cada sacrifício; e as obras dos crentes revelavam continuamente a sua fé num Salvador porvindouro. Disse Jesus aos judeus: “Porque, se vós crêsseis em Moisés, creríeis em Mim; porque de Mim escreveu ele. Mas, se não credes nos seus escritos, como crereis nas Minhas palavras?” (João 5:46 e 47)

Era, porém, impossível a Adão, por exemplo e preceito, deter a onda de miséria que sua transgressão trouxera aos homens. A incredulidade insinuou-se no coração dos homens. Os filhos de Adão apresentam os dois rumos seguidos pelos homens em relação às reivindicações de Deus. Abel via a Cristo prefigurado nas ofertas sacrificais. Caim era incrédulo quanto à necessidade de sacrifícios; recusou-se a discernir que Cristo era tipificado pelo cordeiro morto; o sangue de animais parecia-lhe não ter virtude alguma. O evangelho foi pregado a Caim, assim como para seu irmão; mas foi-lhe um cheiro de morte para morte, visto como não reconheceu, no sangue do cordeiro sacrifical, a Jesus Cristo – única provisão feita para salvação do homem.

Nosso Salvador, em Sua vida e morte, cumpriu todas as profecias que para Ele apontavam, e foi a substância de todos os tipos e sobras apresentados. Ele guardou a Lei Moral, e exaltou-a satisfazendo a suas reivindicações, como representante do homem. Aqueles, de Israel, que se volveram ao Senhor, e aceitaram a Cristo como a realidade simbolizada pelos sacrifícios típicos, discerniram a finalidade daquilo que devia ser abolido.

Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 229.

Postado por Tony Pasquel às 11:58 0 comentários

Capítulo 02 – Contraste entre as Leis

Segundo o estudo anterior (Distinção de Leis), é possível que alguém tenha ficado perplexo, pois há textos na Bíblia que positivamente declaram ser a Lei de Deus eterna, e que não muda, e que todos devem obedecê-la. Por outro lado, existem outras passagens que parecem significar que a lei foi dada por um determinado tempo apenas, e não nos encontramos agora na obrigação de obedecê-la.

Estas declarações parecem causar confusão no espírito de certas pessoas; mas a Palavra de Deus é verdadeira, e nela não há contradição. O que nos dá essa impressão, deve ser apenas falta de compreensão de nossa parte.

Podemos ser sinceros em nossa opinião, e todavia enganar-nos por falta de perfeita compreensão do assunto. A Bíblia é a Palavra Viva, é a Palavra do Deus Vivo… Trata da realidade eterna. Encontra-se nela, alturas e profundidades além da compreensão da mente finita do homem. Mas esse mesmo fato não é senão outra evidência de que ela é de Deus.

Se nos deparamos com aparentes contradições, devemos estudar cuidadosamente o assunto, e com humildade, buscar o auxílio do Senhor para compreendê-las, e o Espírito Santo nos esclarecerá a mente. Dentre todas as leis mencionadas na Bíblia, duas têm destaque preeminente: A Lei Cerimonial e a Lei Moral, fatos que muitos cristãos não aceitam ou não compreendem, mas que é claro em toda a Bíblia.


“A Lei Moral ou Lei de Deus (Dez Mandamentos) vem da eternidade. Os princípios desta Lei são base do governo de Deus. São imutáveis como o Seu Legislador. A Lei é por natureza indestrutível, nem um mandamento pode ser tirado do Decálogo. Permanece todo ele irrevogável e assim permanecerá para sempre… Lucas 16:17.

Entretanto, o mesmo não se estabelece com a Lei Cerimonial, freqüentemente chamada de Lei de Moisés, que veio a existir depois da queda do homem. Esta lei consiste em manjares e bebidas, várias abluções, justificações da carne e sacrifícios, destinada a chamar a atenção para a primeira vinda de Jesus; e com Sua vinda, todas estas coisas foram encerradas. Aí encontram-se o tipo e o antítipo; a sombra encontrou o corpo (Colossenses 2:16 e 17). Quando Cristo, o Cordeiro de Deus, morreu na cruz, o véu do templo se rasgou em dois de alto a baixo (Mateus 27:51). Os serviços do templo a partir daquele momento deixaram de ter lugar. O sistema sacrifical cessou, e a lei que a ele pertencia deixou de existir. Foi cravada e riscada na cruz (Colossenses 2:13 a 15).

A Lei Cerimonial foi dada para satisfazer condições temporárias e locais da Antiga Aliança(Êxodo 24:1 a 11).

Uma vez que essas condições mudaram em virtude da crucificação, ao mesmo tempo, fez-se uma Nova Aliança (Hebreus 8:6 a 9).

Mediante o sacrifício do Cordeiro na cruz, todos os povos, nações e línguas poderão chegar a Deus (Isaías 56:1 a 8; Hebreus 8:11; João 14:6).

Somente através do sangue de Cristo conseguimos a remissão dos nossos pecados (João 14:12 a 15; I João 2:1 a 6; Hebreus 10:19 e 23).

A Lei de Deus da Antiga Aliança é a mesma Lei da Nova Aliança nos dias de hoje, permanece a mesma e permanecerá para sempre. Com a Nova Aliança os Dez Mandamentos, a Suprema Lei de Deus, é guardada e gravada na mente daqueles que O buscam, é selada no coração dos Seus discípulos (Isaías 8:16; Hebreus 8:10 a 13; Jeremias 31:31 a 35).

Todos são agora justificados na presença do Pai, através da fé em Jesus, e somente a parti dEle, somos aptos a guardar os Seus mandamentos (Romanos 2:13; Romanos 5:1 e 2; Romanos 16:25 a 27; João 15:9 e 10; Apocalipse 14:12).

Firmando assim a Nova Aliança, superior, perfeita e eterna (Hebreus 9:11 a 15).

Concluindo, na Nova Aliança a Lei Cerimonial (os estatutos cerimoniais) da Antiga Aliança não tem mais razão para continuar, não há mais razão para existir. A Lei Moral ou a Lei de Deus, no entanto, acompanhará os justos através dos séculos.”

Lourenço Silva Gonzalez, Assim Diz o Senhor, 3.ª ed., 1986.

O Propósito da Lei

Deus concedeu Sua Lei a fim de prover abundantes bênçãos a Seu povo, e para conduzi-los a um relacionamento salvador com Ele. Observe os seguintes propósitos específicos:

Ela Revela a Vontade de Deus para a Humanidade

Na qualidade de expressão do caráter e do amor de Deus, os Dez Mandamentos revelam Sua vontade e propósito para a humanidade. Demandam obediência perfeita, “pois qualquer que guarda toda lei, mas tropeça em só ponto, se torna culpado de todos” (Tiago 2:10). Obediência à lei, sendo esta a regra de vida, é vital para a nossa salvação. O próprio Cristo explicou por quê: “Se queres, porém entrar na vida, guarda os mandamentos” (Mateus 19:17). Essa obediência somente é possível por intermédio do poder que o Espírito Santo, habitando no íntimo do ser, torna disponível.

Ela Funciona como Padrão de Julgamento

Tal como Deus, Seus “mandamentos são justiça” (Salmo 119:172). Portanto, a lei estabelece o padrão de justiça. Cada um de nós será julgado por esses retos princípios, e não por nossa consciência. Dizem as Escrituras: “Temei a Deus e guarda os Seus mandamentos… porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más”(Eclesiastes 12:13 e 14; Tiago 2:12).

A consciência humana é instável. A consciência de alguns é “fraca”, enquanto a de outros é“corrompida”“má” ou “cauterizada” (I Coríntios 8:7 e 12; Tito 1:15; Hebreus 10:22; I Timóteo 4:2). Tal como um relógio, não importa quão bem ele trabalhe, deve a consciência ser “aferida” de acordo com algum padrão, para que ela possa ser de algum valor. Nossa consciência nos diz que devemos proceder de modo correto, mas não diz o que é correto. Somente a consciência aferida de acordo com o grande padrão divino – Sua lei – pode evitar que mergulhemos no pecado.

Ela aponta o pecado

Sem os Dez Mandamentos as pessoas não podem ver claramente a santidade de Deus, nem sua própria culpa ou necessidade de experimentar o arrependimento. Quando as pessoas não sabem que estão violando a Lei de Deus, não se arrependem de sua condição de perdidas ou a necessidade do sangue expiatório de Cristo.

Tendo em vista ajudar as pessoas a verem a sua verdadeira condição, a Lei funciona como uma espécie de espelho (Tiago 1:23 a 25). Aqueles que “olham” a seu próprio caráter defeituoso em contraste com a justiça do caráter de Deus, compreendem que a lei revela que todas as pessoas são culpadas diante de Deus (Romanos 3:19), e que são plenamente responsáveis perante Ele. “Pela lei vem o pleno conhecimento do pecado” (Romanos 3:20), já que “pecado é a transgressão da lei”(I João 3:4). Efetivamente, diz Paulo, “eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei”(Romanos 7:7). Ao convencer os pecadores de suas culpas, ela os ajuda a compreender que estão condenados sob juramento da ira de Deus e que estão diante da penalidade de morte eterna. A lei provoca neles, portanto, um senso de completo desamparo.

Ela é um Agente de Conversão

A lei de Deus é o instrumento que o Santo Espírito utiliza para trazer-nos à conversão. “A lei do Senhor é perfeita, e restaura a alma” (Salmo 19:7). Quando, depois de ver nosso verdadeiro caráter, compreendemos que somos pecadores, que estamos condenados à morte e sem esperança, sentimos a necessidade de um Salvador. Neste ponto, as boas novas do evangelho tornam-se cheias de significado. Assim, pois, a lei nos indica a Cristo, o Único que nos pode ajudar a escapar de nossa desesperada condição.

Foi nesse sentido que Paulo se referiu tanto à Lei Moral quanto a Cerimonial como sendo um tutor ou “aio”, cujo objetivo é “nos conduzir a Cristo, a fim de que [sejamos] justificados por fé” (Gálatas 3:24).2

Ao mesmo tempo que a lei revela nosso pecado, ela jamais será capaz de salvar-nos. Da mesma forma como a água é o elemento necessário para lavar as faces sujas, assim, depois de nos contemplarmos no espelho da Lei Moral de Deus, tendo descoberto nossa necessidade de limpeza, corremos à fonte que se encontra aberta “para remover o pecado e a impureza”(Zacarias 13:1), onde somos purificados pelo “sangue do Cordeiro” (Apocalipse 7:14). Temos de contemplar a Cristo. O pecador tem de “olhar para seu Salvador, o portador dos pecados. E ao ser-lhe revelado Cristo na cruz do Calvário, morrendo sob o peso dos pecados de todo o mundo, o Espírito Santo lhe mostra a atitude de Deus para com todos os que se arrependem de suas transgressões”.3

Nesse momento, a esperança extravasa de nosso coração e em fé nos dirigimos a nosso Salvador, que por Sua vez nos estende o dom da vida eterna (João 3:16).

Ela Provê Genuína Liberdade

Cristo disse que “todo aquele que comete pecado é escravo do pecado” (João 8:34). Quando transgredimos a Lei de Deus, não nos achamos em liberdade; a obediência aos Dez Mandamentos, esta sim, nos assegura verdadeira liberdade. Viver dentro dos limites estabelecidos pela Lei de Deus significa liberdade do pecado. Significa também liberdade diante daquilo que acompanha o pecado – contínuo aborrecimento, consciência ferida, crescente culpa e remorso, que minam as forças vitais de nossa vida. Disse o salmista: “Andarei em liberdade, pois busquei os Teus preceitos” (Salmo 119:45, New International Version). Tiago referiu-se ao Decálogo como a “lei perfeita, lei da liberdade” (Tiago 2:8; 1:25).

Para que pudéssemos receber essa liberdade, Jesus nos convidou a que viéssemos até Ele com todos os nossos fardos de pecado. Ele nos oferece o Seu jugo, que é suave (Mateus 11:29 e 30).Se a lei é apresentada sem o poder salvador de Cristo, não há qualquer libertação do pecado. Mas a graça salvadora de Deus, que de nenhuma forma invalida a Lei, traz o poder que nos liberta do pecado, pois “onde está o Espírito do Senhor, aí está a liberdade” (II Coríntios 3:17).

Ela Restringe o Mal e Traz Bênçãos

O aumento de crimes, violência, imoralidade e maldade que inunda a Terra, resultou do desprezo que os homens votaram ao Decálogo. Sempre que a lei é aceita, restringe o pecado, promove ações corretas e tornar-se o meio para estabelecer a justiça. Nações que incorporaram os princípios dessas lei a suas leis nacionais, experimentaram grandes bênçãos. Por outro lado, o abandono desses princípios sempre trouxe consigo decidido declínio.

Nos tempos do Antigo Testamento, Deus muitas vezes abençoou nações e indivíduos em proporção à obediência destes a Sua lei. Dizem as Escrituras: “A justiça exalta as nações” e “com justiça se estabelece o trono” (Provérbio 14:34; 16:12). Aqueles que se recusavam a obedecer os mandamentos de Deus, encontravam calamidades (Salmo 89:31 e 32)“A maldição do Senhor habita na casa do perverso, porém a morada dos justos Ele abençoa” (Provérbio 3:33; Levítico 26; Deuteronômio 28). O mesmo princípio geral continua válido nos dias de hoje.

Nisto Cremos, CPB, 4.ª ed., 1997, págs. 315-318.

1. Alguns têm interpretado a afirmação de Paulo, “porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê”, como significando que o fim ou propósito da lei é conduzir-nos ao ponto em que podemos perceber nossa pecaminosidade e assim dirigirmos a Cristo para obter perdão e, pela fé, recebermos a Sua justiça. (Este uso da palavra “fim” [do grego telos] também é encontrado em I Tessalonicenses 1:5; Tiago 5:11 e I Pedro 1:9). Veja também The SDA Bible Commentary, edição revista, vol. 6, págs. 541 e 542. – Leia também em Guiados Para Vencer I: A Lei de Deus aos Romanos.

2. Cf. SDA Bible Commentary, edição revista, vol. 6, pág. 961; E. G. White, Mensagens Escolhidas, vol.1, pág. 233. A Lei Cerimonial representava também um aio que conduzia o indivíduo a Cristo através de diferentes meios. Os serviços do santuário, com suas ofertas sacrificais, apontavam aos pecadores o perdão de pecados que o sangue do vindouro Cordeiro de Deus, Jesus Cristo, haveria de prover, levando-os, portanto, à compreensão da graça do evangelho. Era seu desígnio desenvolver amor pela Lei de Deus, enquanto as ofertas sacrificais deveriam constituir dramática ilustração do amor de Deus em Cristo.

3. Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág. 213.

Postado por Tony Pasquel às 11:47 0 comentários

Capítulo 04 – A Lei de Deus aos Romanos.

Romanos 4:15 e 5:13 – “Porque a Lei suscita a ira; mas onde não há Lei, também não há transgressão.” – “Porque até ao regime da Lei havia pecado, mas o pecado não é levado em conta quando não há Lei.”

Aqueles que pregam que, a Lei de Deus foi abolida, forçosamente também terão de crer que não existe pecado, e se assim é, todos são justos, e todos se salvarão, creiam ou não em Cristo, tenham ou não nascido de novo. Sim, porque Deus não pode condenar nem destruir aqueles que não pecaram. Aceitando-se que a Lei Moral foi abolida por Cristo, não há mais necessidade de fé e muito menos angustiar-se por causa da perdição eterna, em chamas crepitantes.

Romanos 7:6 – “Agora, porém, libertados da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra.”

“Livres da Lei” – Por quê? Simples. Antes, porém, se você achar que esse “livre” é para fazer o que bem entende, isente Paulo primeiro. A transgressão da Lei é pecado (I João 3:4). Disso Paulo não deixa dúvidas. Diz ele: “…mas o pecado não é levado em conta quando não há Lei.” (Romanos 5:13). Guardando os mandamentos da Lei de Deus, não estaremos sob sua condenação, mas“estaremos livres” de sua penalidade. Não livres da Lei. Veja bem, o porque:

A Lei é espiritual. Paulo afirmou em Romanos 7:14. O homem carnal não é sujeito à Lei de Deus. O homem carnal transgride a Lei inopinadamente, porque é carnal. Este homem rouba e a Lei diz: “Não furtarás”. Quando porém este homem se converte, deixa de roubar; passa da esfera carnal para a espiritual, que é a própria esfera da Lei, e então ela deixa de acusá-lo de roubo. Todavia (não esperamos), se um dia esse homem voltar a roubar, novamente a Lei tornará a acusá-lo: “Não furtarás”… então, entende como a Lei não perde o valor quando o homem se converte? Ela simplesmente não terá domínio sobre ele, não o acusará por todo o tempo enquanto com ela viver em obediência, está pessoa estará “livre da lei”.

Romanos 7:7 – “Que diremos, pois? É a Lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não conheci o pecado senão pela Lei; porque eu não conhecia a cobiça, se a Lei não dissesse: Não cobiçarás”.

Paulo chama uma lei de maldita (Gálatas 3:10); logicamente esta que menciona agora em Romanos 7:7, realçando surpreso: “De modo nenhum!”, não pode ser a mesma. Vamos então descobrir qual é ela. Na sua Bíblia, depois dos dois pontinhos que antecedem as palavras “não cobiçaras”(Romanos 7:7), há o número 8, “bem miudinho”. Vá ao rodapé da Bíblia (referência) e ela o conduzirá até Êxodo 20:17, que é a Lei Moral, o Decálogo. Nunca foi difícil mesmo em meio à profunda dialética paulina descobrir que ele exaltava a Lei Moral, mesmo porque, ensinava que, sem sua vigência atuante não poderia existir o pecado. O “pecado é a força da lei” ou seja: existe porque a lei o aponta e o revela.

Hoje, porém, há pessoas que chegam ao grande erro de dizer que a Lei Moral foi pregada na cruz, que estamos sob maldição e que adoramos um Deus morto (tudo isso já nos disseram, portanto é experiência própria). Mas, para Paulo não é assim, “de modo nenhum!”, enfatiza Paulo. Ele só se apercebeu da malignidade do pecado quando se espelhou na Lei de Deus. Diante dela, esta, o acusou de cobiça.

Por outro lado, quando Paulo era carnal (isto é, antes de sua conversão), cobiçava, matava (tinha carta de autorização para isso), praticava atos de judiaria com crentes, e sua consciência não lhe doía; participou da morte de Estevão e tudo era-lhe normal. Mas agora, Saulo é Paulo, o ímpio é cristão, o carnal é espiritual, e assim descobriu ele o verdadeiro valor da Lei, e no poder de Cristo a ela obedeceu enquanto teve fôlego de vida.

Mais três textos claros definem, se houver dúvidas, que a Lei é imprescindível na dispensação cristã para que possamos apresentar ao mundo que o pecado ainda impera, e, portanto, há necessidade do Salvador Jesus.

Romanos 3:19 e 20: “… porque pela lei vem o pleno conhecimento do pecado.”
Romanos 4:15: “… mas onde não há lei, também não há transgressão.”
Romanos 5:13: “… mas o pecado não é levado em conta não havendo lei.”

É bastante claro o ensino de Paulo. Ele não tem dúvida. A Lei permanece em vigor, enquanto existir pecado. Quando porém este chegar ao fim, a vigência da Lei cessa.

Romanos 7:8 – “Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, despertou em mim toda a sorte de concupiscência; porque, sem Lei, está morto o pecado.”

O apóstolo Paulo descobriu e ensinou que não teria conhecido o pecado se não fosse a Lei(Romanos 7:7). Disse que o pecado não teria valor, estaria morto, se não existisse a Lei (Romanos 5:13). A Lei lhe revelou a hediondez do pecado; por isso afirmou: “… o pecado reviveu e eu morri.”(Romanos 7:9). Mas Paulo não permaneceu morto. Observando a Lei, o pecado desapareceu, ele reviveu para uma vida nova, e quem “morreu” agora foi o pecado, enquanto ele vivia em obediência, livre da penalidade da Lei.

Romanos 10:4 – “Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê”.

Este texto, se for lido com o espírito de quem certa ocasião o leu para nós, tentando provar que ele cancelava por completo a Lei Moral, que fora abolida na cruz, e que quem a observa é maldito, e outros “mitos”, certamente estará do lado do erro.

Se o termo “fim”, que é proveniente da palavra grega telos, empregado aqui neste texto, ter como querem, o sentido de “término”“encerramento”“abolição”, então o mesmo peso e a mesma medida terão que ser aplicados em I Pedro 1:9“Alcançando o fim da vossa fé, a salvação das vossas almas.” Ora o sentido é o mesmo, mas você jamais irá crer e aceitar o término, abolição e encerramento da fé do crente! Será que, assim, pode ele esperar a salvação de sua “alma”? A palavra “fim”, aqui empregada, tem o sentido de finalidade, objetivo, propósito. Os chefes e executivos podem auxiliar o seu entendimento, porque estão acostumados a redigir cartas neste teor; observe:

“Esta tem o fim (objetivo) de informar a V. Sas. que o carregamento de matéria-prima ficou retido no cais…” Com o fim (propósito) de convidá-los para inauguração da nova sede, enviamo-lhes estes convites…”

Aliás, com este termo “fim”, não como término de alguma coisa, mas como objetivo, concordam os grandes teólogos cristãos, sinceros em sua religião, que não têm idéias preconcebidas.

Imagine você, se aceitarmos que este fim aí cancelou a Lei de Deus; todo o ensinamento que Paulo deixou sobre essa Lei, que está em vigor e que foram provadas com inúmeras Escrituras aqui estudada; será abolida. E sendo assim, deveremos também apoiar a macabra idéia de que chegou ao “fim” a obrigação de temer a Deus. Ouça o que diz o pregador: “De tudo o que se tem ouvido o fim é: teme a Deus e guarda os Seus Mandamentos…” (Eclesiastes 12:13). Só porque este fim está aí, iremos deixar de temer a Deus?

Romanos 14:5 – “Um faz diferença entre DIA e DIA, mas outro julga IGUAIS todos os DIAS…”

A Epístola aos Romanos além de ser um hino de exaltação à Lei Moral é também, por excelência, um doutrinal de justificação pela fé. E aqui, da mesma forma que se nota nas outras cartas paulinas, “os judaizantes não lhe davam tréguas. No capítulo 14 desta Epístola, vemos suas garras sendo estendidas solertemente a fim de injetar a heresia da justificação pelas obras da Lei Cerimonial. Entretanto, abriremos os olhos para alcançar de forma clara o que Paulo diz neste capítulo para desanuviar a confusão gerada nos leitores atuais desta Epístola que pensam ter sido cancelado o sábado.

A pessoa sincera, que ainda não entendeu a santidade do quarto mandamento da Lei de Deus, pensa que neste texto Paulo o menospreza. Não, não é assim! O primeiro passo a dar para desvendar o assunto é descobrirmos de que DIA trata. Convém lembrar que este problema também ocorreu com os gálatas, e Paulo assim os repreendeu:

“Guardais dias, e meses, e tempos, e anos.” (Gálatas 4:10) – E também se deu com os crentes de Colossos: “Portanto, ninguém vos julgue… por causa dos dias de festa, ou da Lua Nova, ou dos sábados.” (Colossenses 2:16).

Especificamente, neste texto, Paulo extravasa o assunto de maneira muito clara e abrangente assegurando que a exigência dos judaizantes em todos os lugares onde se infiltrassem era mesma: guardar dias, meses, tempos, Luas Novas, que eram festivais sabáticos. Veja também em Guiados Para Vencer IComparando a Lei Moral e a Lei Cerimonial.

Portanto o – DIA e DIAS – de Romanos 14:5, é o próprio de Gálatas, e também o mesmo dos Colossenses, que não é outra coisa senão as festas judaicas que compunha a Lei Cerimonial. Estes festivais obedeciam a um calendário anual e quando chegavam, o DIA era considerado sábado e revestido de toda a santidade conferida ao sábado do sétimo dia da semana. Estas cerimônias foram exigidas antes da morte de Cristo porque eram sombras de Cristo (Colossenses 2:17). Vindo Ele, acabou. A insistência dos judaizantes ao reviver tais festas era a pura recusa às doutrinas Cristocêntricas apresentadas por Paulo.

Como se vê, em tudo isso nada há contra o Sábado do sétimo dia da semana, que, como um mandamento da santa Lei de Deus, permanece como sinal entre Jeová e os Seus obedientes filhos(Ezequiel 20:20). Ainda que o Sábado tenha emprestado seu nome aos festivais cerimoniais nada tem a ver com eles. Lamentavelmente, o sábado semanal permanece hoje como o grande mandamento esquecido.

Por ocasião destes incidentes, todos guardavam o sábado (Atos 15:21).

O próprio Paulo o guardou em todas as suas viagens e estabelecimento de igrejas. Os apóstolos e discípulos guardavam o sábado. [Mateus 28:1; Marcos 15:42; Marcos 16:1; Lucas 23:54 a 56; Atos 13:14 e 27; Atos 13:42 e 44; Atos 17:2; Atos 18:1 a 4]. Paulo escreveu a Epístola aosRomanos no ano 58 d.C.

Jesus antes de morrer (31 d.C.) advertiu aos discípulos que não transgredissem o Sábado (Mateus 24:20), quando da destruição de Jerusalém, pelos romanos, que se daria em 70 d.C. (Portanto, 12 anos depois que Paulo escreveu aos romanos, o Sábado era guardado pelos discípulos solicitados por Cristo). Daí a conclusão coerente de que Paulo está se referindo aos DIAS (sábados cerimoniais) e nunca ao Sábado semanal, no capítulo 14 de Romanos.

Tito 3:9 – “Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates sobre a lei, porque são coisas inúteis e vãs.”

I Timóteo 1:4 – “Nem se dêem a fábulas, ou a genealogias intermináveis, que mais produzem questões do que edificações de Deus, que consiste na fé; assim o faço agora”.

Paulo sempre encontrou acérrimos judaizantes em seu caminho, preocupados em promover debates acerca do ritualismo e fábulas judaicas. Estes dois textos dizem bem a preocupação do apóstolo em preservar seu rebanho da escravidão enfadonha da Lei Cerimonial que tais contendores desejavam acirradamente colocar em uso, em todos os lugares.

Quanto à lei aí focada, você não deve confundir com a Lei de Deus cujos mandamentos são cunho moral. Efetivamente: não matar – não roubar – não adulterar – não ter outros deuses, não são futilidades, muitos menos coisas vãs, certo?

Lourenço Silva Gonzalez, Assim Diz o Senhor, 5.ª ed., 1993.

Postado por Tony Pasquel às 10:30 0 comentários

sábado, 8 de outubro de 2011

Capítulo 05 – A Lei de Deus aos Gálatas – Parte I

Gálatas 2:16 – “Sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei e sim mediante a fé em Jesus Cristo, também temos crido em Jesus Cristo, para que fôssemos justificados pela fé em Cristo, e não por obras da lei, pois, por obras da lei, ninguém será justificado.”

Paulo como que franze o cenho, olhando para Pedro e os demais apóstolos e discípulos, usando de sua fina dialética, mostra-lhes o poder do evangelho.

Circuncisão era uma exigência da Lei Cerimonial, necessária antes de Cristo. Mas após a morte do Senhor, cumprir esse ritual era buscar justificação pelas obras; por isso Paulo rebateu essa posição, pois o necessário agora era demonstrar e exercer fé no sacrifício de Jesus, e nada mais. Querer, portanto, praticar esse ritual depois que foi cancelado, era tentar justificar a si próprio, o que contraditava o Evangelho de Jesus.

Por isso Paulo enfatizava: “Por obras da lei ninguém será justificado.” Corretíssimo. A Lei Cerimonial não se compunha somente do dogma da circuncisão, mas de uma infinidade de cerimônias; porém, o problema na ordem do dia é ela. O foco principal discorrido entre Paulo e os demais, é a circuncisão comentada na epístola.

Gálatas 2:21 – “Não anulo a graça de Deus, porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu inutilmente.”

Antes do advento do Messias, Deus dera aos judeus, em especial, um ritual maravilhoso. Um conjunto de cerimônias, acompanhado de variadas ordenanças. Sua obrigação era exigível, pois todo o cerimonial apontava para Jesus. Era portanto necessário até que Ele viesse. Vindo porém o Filho de Deus, todo aquele cerimonial, embora belo e requerido, tornara-se inútil, pois era sombra de Jesus (Hebreus 10:1). Paulo por sua vez, compreendeu assim, aceitou o fato e colocou-o em prática. Por isso, indignou-se, ao ver, agora, novamente os discípulos voltarem a circuncidar-se.

Mais irritado ficou, ao notar os próprios apóstolos presenciarem essa disposição de suas ovelhas e nada fazerem. Permaneciam inertes. Daí causar, em Paulo, repulsa tal que levou a repreender não somente os discípulos mas também a Pedro. Paulo não concordava de modo algum, com a atitude daqueles homens que tiveram repetidas vezes o esclarecimento do plano de salvação. Um plano tão detalhado, com o seu cumprimento na morte vicária de Jesus, voltar agora aos rituais abolidos. E se essas praticas pudesse justificar o oferente, então Jesus teria morrido em vão, asseverava Paulo.

Ressaltando que a “lei” focada é sem dúvida nenhuma a Lei Cerimonial, pois tudo está exatamente dentro do mesmo fim explicativo de Paulo, da seqüência do pensamento discorrido por ele nocapítulo 2.

Por isso não há por que isolá-lo. Isolando-o, perderá seu sentido real. Destruirá o pensamento proposto e ardorosamente defendido por Paulo.

Gálatas 3:10 – “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as cousas escritas no livro da lei, para praticá-las.”

Se tivéssemos aberto a Bíblia agora, tomando este versículo separado, lendo-o, e em seguida fechando-a, certamente iríamos interpreta-la de maneira errônea. Mas infelizmente é dessa forma que a mensagem do apóstolo Paulo é estudada por muitos. Servindo-se deste versículo, muitos pregam inverdades e escrevem grosseiras falsidades, enganando muita gente sincera.

1.º – Quem pratica ou permanece em “todas cousas escritas no livro da lei” está sob maldição. Logicamente não poderá ser a Lei Moral ou os Dez Mandamentos, que a Bíblia nos mostra sem deixar qualquer dúvida. As Escrituras deixam bem claro que os Dez Mandamentos são eternos e não mudam. E estes mesmos Dez Mandamentos entregue a Moisés no monte Sinai foram divididos sabiamente em duas partes pelo Seu Criador. Os quatro primeiros dizem respeito à nossa obrigação para com Deus, e os seis restantes, para com o nosso próximo. Assim que, amar a Deus de todo coração, de toda a alma e entendimento, é cumprir os primeiros Quatro Mandamentos da primeira tábua de pedra. E amar nossos semelhantes como a nós mesmos é cumprir os Seis Mandamentos restantes na segunda tábua de pedra. Portanto se isso é maldição, pedimos-lhe para afirmar: é irracional, incabível, insuportável e inverossímil.

2.º – Essa lei que Paulo menciona foi escrita em um livro. Portanto, só isso bastaria para os sinceros crentes compreenderem que essa lei focada pelo apóstolo é a Lei Cerimonial, haja vista que os Dez Mandamentos foram escritos pelo próprio Deus e em pedras (Êxodo 31:18). Ora, pedra é granito, livro é pergaminho, pele de animal e casca de madeira. Por isso mesmo é bastante diferente. Ademais, quem escreveu essa lei insistentemente abordada em Gálatas, não foi Deus, e sim Moisés, é o que descobrimos na leitura de Deuteronômio 31:24, que diz: “Tendo Moisés acabado de escrever, integralmente, as palavras desta lei num livro…”

Gálatas 4:5 – “Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos.”

A Lei Cerimonial apontava para Cristo como afirma Paulo, e Cristo veio exatamente para tomar o lugar da oferta que era morta no ritual da manhã e da tarde, pelo pecado. (Êxodo 29:38 a 41; Isaías 1:13; Malaquias 2:8 e 9). Ele acabou com todos os símbolos que apontavam para Sua obra redentora. Por isso recebemos a “adoção de filhos”. Fomos precipitados pelo pecado, perdemos a condição de filhos; entretanto agora, arrancados das garras de Satanás, fomos “adotados” por Cristo, pelo Seu sangue e sacrifício na cruz do Calvário. Paulo procurava insistentemente mostrar aos gálatas que, com a vinda do Messias Jesus, o homem não podia ser salvo sob o judaísmo, escorado na Lei Cerimonial.

Gálatas 4:9 e 10 – “Mas agora, conhecemos a Deus, ou antes, sendo conhecidos de Deus, como estais voltando outra vez, a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir? Guardais dias, e meses e tempos, e anos.”

Após um logo estudo sobre as diferenças entre as Lei Moral e Cerimonial, temos certeza absoluta onde encaixar e enquadrar “esses rudimentos fracos e pobres.” Entretanto deixaremos bem gravado que a “lei” enfocada novamente por Paulo, é aquela que a Bíblia nos diz ser: Lei Cerimonial, porque:

1.º – Na seqüência do pensamento de Paulo está se mostrando a inutilidade daquelas cerimônias introduzidas pelos judaizantes em sua ausência. Diz que é maldito (Gálatas 3:10)todo aquele que praticar aquelas obras, depois que se tornaram obsoletas. Por outro lado, na Lei Moral, não existem cerimônias. Pelo contrário Ela enobrece o homem, moralizando-o, daí não conter maldição.

2.º – Menciona Paulo que a Lei Cerimonial foi escrita em um livro (Gálatas 3:10), ao passo que a Lei Moral foi escrita em blocos de pedra (Êxodo 31:18).

3.º – Diz Paulo que a Lei Cerimonial tinha um propósito: mostrar a obra redentora de Cristo. E isso não pode ser requerido da Lei Moral. Nos Dez Mandamentos não há ordem para circuncidar, nem matar animais, ou outro ritual qualquer, os quais simbolizavam e apontavam a obra de expiação de Jesus.

4.º – Ninguém será maldito por guardar a Lei Moral; pelo contrário, ela ajuda o homem a tornar-se elevado, nobre e a ter bons princípios. A Lei do Senhor (Dez Mandamentos) é perfeita (Salmo 19:7).

5.º – A Lei Moral não tem “rudimentos”, e sim “Mandamentos” (Salmo 119:34 a 36). Em Romanos 7:12: “Por conseguinte, a Lei é santa; e o Mandamento santo, e justo, e bom.”

Fica por conseguinte, claríssimo que a “lei” de “rudimentos fracos e pobres” jamais pode ser a Lei Moral, que é enaltecida por Paulo, e que mesmo a fé não pode anular (Romanos 3:31). “Pelo contrário, a Bíblia diz que os Dez Mandamentos e o testemunho de Jesus são requisitos, características, para distinguir os filhos de Deus, nos momentos finais deste mundo. (Apocalipse 12:17 e Apocalipse 14:12).

6.º – Portanto a Lei Cerimonial é que se enquadra no texto, pois ela, sim tem “rudimentos”, e estes são comprovadamente, “fracos e pobres”, foram e são impotentes para justificar. Cumpriram sua missão e pronto. Acabou. E note o paradoxo, foram anulados pela fé em Cristo.

7.º – A Lei Moral não exige a guarda de “dias” e sim de “um” dia, ordenado por Deus – o Sábado – memorial eterno do Seu poder Criador.

8.º – Na lei Cerimonial havia sim “dias”“meses” e “anos”. Eram sete festas anuais, consideradas feriados altamente solenes, são elas:

1.ª – Páscoa.

2.ª – Festa dos Pães Asmos.

3.ª – Festa das Primícias (Pentecostes).

4.ª – Memória da Jubilação (Festa das Trombetas).

5.ª – Dia da Expiação.

6.ª – 1.º Dia da Festa dos Tabernáculos.

7.ª – Último Dia da Festa dos Tabernáculos.

Estas festas se davam no decorrer do ano judaico. Eram datas fixas em dias móveis. Por exemplo, data fixa quer dizer: um dia de determinado mês. Dia móvel indica que esse dia podia cair em uma segunda, quarta, quinta, sábado, etc. (Assim como o nosso sete de setembro, que é feriado nacional, não cai continuamente no mesmo dia da semana, porém é uma data fixa – sete de setembro). Eram “dias” guardados com tanta solenidade pelos judeus que se assemelhavam ao sábado do sétimo dia da semana, porque, naqueles “dias” em que caíam tais festas, toda a nação parava. [Veja também em Guiados Para Vencer I: Comparando a Lei Moral e a Lei Cerimonial].

Os afazeres cotidianos e seculares findavam, semelhante ao que faziam durante o Sábado do Senhor. Aliás esses “dias” eram também chamados de sábados (Isaías 1:13 e 14; Oseías 2:11). A páscoa ocorrida na semana em que Cristo foi crucificado, coincidiu cair no dia de Sábado do Sétimo dia da semana; por isso foi “grande aquele Sábado” (João 19:31). Era o sábado cerimonial, dentro do Sábado Moral dos Dez Mandamentos.

Assim que, os gálatas guardavam “dias” (eram esses feriados), “meses” (porque eram meses fixos), e “anos” (durante todos os anos, até a morte de Jesus – Hebreus 10:1). Exatamente como enfatizou Paulo aos gálatas, que retornavam ao judaísmo, empurrados pelos professores judaizantes.

Portanto nada mais claro e lógico que a “lei” insistentemente abordada por Paulo aos gálatas não é outra senão a Lei Cerimonial. É o que diz a Bíblia. Resta de sua parte a decisão para aceitar.

Lourenço Silva Gonzalez, Assim Diz o Senhor, 3.ª ed., 1986.

Postado por Tony Pasquel às 08:30 0 comentários
Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

Participe do reavivamento!

Participe do reavivamento!

7 passos práticos para se envolver com o Reavivamento & Reforma
  • 1 Passe tempo com Deus na primeira hora do dia. 
  • A base do reavivamento e da reforma estar ligada aos seguintes elementos: oração, estudo e meditação da Bíblia, louvor e testemunho. Para responder a essa necessidade a IASD tem um movimento permanente chamado Seminário de Enriquecimento Espiritual, (SEE). Cujo objetivo é desenvolver, consolidar e retroalimentar o hábito de buscar a Deus na primeira hora de cada manhã. O Reavivamento e a reforma virão como resultado de uma busca sincera e habitual do poder vivificante e transformador do batismo diário do Espírito Santo.

    (Em breve) Links para mais conteúdo sobre SEE.

  • 2 Ore por Reavivamento & Reforma
    O objetivo é envolver todos os adventistas do mundo numa gigantesca corrente de oração pelo derramamento do poder e da presença do Espírito Santo. Saiba mais sobre 777 | Baixe os apps mobile do 777
  • 3Faça um plano de leitura da Palavra de Deus.
  • É através do estudo diário da Bíblia que Deus arranca o coração do homem deste mundo para o fixar no próprio Céu.

    Plano de Estudo da Bíblia com Espírito ProfeciaSaiba mais lendo artigos da categoria: Estudo da Bíblia.

  • 4 Faça o Culto Familiar
    O culto familiar não é o mesmo que a comunhão individual e nem deve substituí-la, mas é uma renovação diária do pacto da família de servir a Deus acima de todas as outras coisas.

    Como Fazer o Culto Familiar
    Saiba mais lendo artigos na categoria Família

  • 5 Testemunhe através do projeto “A Grande Esperança”
  • O testemunho pessoal confirma o reavivamento. Não há como estar ligado a Videira e não produzir frutos, além disso fomos comissionados por Deus. (João 15:5 e Marcos 16:15) O livro “A Grande Esperança”, será o livro missionário por dois anos, e por conter parte do livro O Grande Conflito, traz uma mensagem também reformadora.

    Clique e acesse o livro on-line e envie aos amigos!(Em breve)Link para informações sobre o evangelismo via satélite

  • 6 Aprenda mais sobre Reavivamento & Reforma.
    Leia os textos em nosso site (assine nosso RSS)
    Siga-nos no Twitter
    Acompanhe as discussões no Facebook
  • 7 Compartilhe este projeto com seus amigos, compartilhe pelo Twitter; pelo Facebook; e no Google+ 

    E mais! Ao clicar no botão “Tell a Friend” você poderá compartilhar o site por e-mail e nas redes sociais em que você participa!
    ShareRelated posts:

  1. Estudo da Bíblia faz parte da iniciativa de reavivamento
  2. Revista Adventista do mes de julho é dedicada ao tema do reavivamento e reforma

FONTE: http://reavivamentoereforma.com/participe-do-reavivamento/

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

Visite o blog: http://eventosfinais-estudos.blogspot.com/

Capítulo 06 – A Lei de Deus aos Gálatas – Parte II

Gálatas 5:1 a 4 – “Estais pois firmes na liberdade com que Cristo nos libertou, e não torneis a meter-vos debaixo do julgo da servidão. Eis que eu, Paulo, vos digo que, se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará. E de novo protesto a todo homem que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei. Separados estais de Cristo, vós, os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído.”

Observe que Paulo novamente enfatiza o tema central especulativo da epístola: a circuncisão. Os gálatas buscavam com “ousadia e muita severidade” a justificação pelas suas próprias obras, e o apóstolo sabia que nada disso tinha valor; mesmo que eles observassem todos os ritos mosaicos com a maior sinceridade, de nada adiantaria. O homem só será justificado e salvo pela fé em Cristo, nada mais.

Paulo então determina, como que cansado de falar, argüir e repreender: “Se vos deixardes circuncidar, Cristo de nada vos aproveitará”. E isso é fácil de compreender agora, pelo estudo que fazemos de toda a epístola de Gálatas.

Cristo Jesus morreu. Sua morte cancelou a Lei Cerimonial. Agora era necessário apenas exercer fé no ressurreto Filho de Deus, para que o homem fosse justificado. Isso é graça. Se os gálatas continuassem a buscar a justificação pelo cumprimento e prática das obras da Lei Cerimonial, a graça não teria nenhum valor para eles. Por certo, “da graça cairiam”.

Gálatas 5:6 – “Porque em Jesus Cristo nem a circuncisão nem a incircuncisão tem virtude alguma; mas a fé que opera pelo amor.”

Que clareza meridiana! Que declaração límpida! Perceptível! Só uma mente cauterizada, indecisa, deixará de alcançar o que Paulo passou toda a epístola combatendo, lutando para colocar na mente dos gálatas que o ritual da circuncisão, sendo parte integrante e saliente dos dogmas cerimoniais, perdera o seu valor e significado com o advento do Messias. Aliás, para eles isso não era uma doutrina nova, fora o evangelho que Paulo lhes pregou anteriormente. Eles haviam aceitado desta forma e até posto em prática, pois o que se depreende do versículo seguinte é isso, note bem o versículo de Gálatas 5:7.

Gálatas 5:7 – “Vós corríeis bem; quem vos impediu para não obedeçais à verdade?”

“Quem vos impediu…?”

Observe a enfática indagação de Paulo.

Quem?… Os professores judaizantes. Eles adoçaram sua mensagem de tal maneira, que não demorou muito e os gálatas estavam todos elevados e apegados à circuncisão. Os tais professores, naturalmente, devem ter-se servido de argumentos contundentes, porque, deixar os ensinamentos de Paulo anteriormente recebidos, para aceitar aquelas ordenanças agora obsoletas, apagadas, sem vida, é demais.

Gálatas 5:10 e 12 – “Confio de vós, no Senhor, que não alimentareis nenhum outro sentimento; mas aquele que vos perturba, seja ele quem for, sofrerá a condenação. Tomara até se mutilassem os que vos incitam à rebeldia.”

Paulo pregava o evangelho da liberdade. Cristo concedera a liberdade pelo Evangelho. Fé, somente fé em Seu sacrifício. Fé e testemunho em favor de Cristo, eis tudo que era necessário. Entretanto, queriam novamente os gálatas meter-se debaixo da servidão do ritual mosaico; reviver os momentos solenes do sistema sacrifical e da infinidade de cerimônias, agora inúteis e sem nenhuma expressão, pois Jesus Cristo, o justo, tornara-Se a oferta viva pelo pecado, o Cordeiro Pascal, e, assim,abolira a Lei Cerimonial, conforme a mesma segura e abalizada palavra do apóstolo Paulo emColossenses 2:14: “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, cravando-a na cruz.”

Foi realmente o que aconteceu. Quando exausto o Salvador expirava na cruz, lá no Templo de Jerusalém o sacerdote se preparava para oficiar o ritual da tarde, alheio ao magistral acontecimento daquele fatídico dia.

O cordeirinho estava amarrado sobre o altar, semelhante ao que era feito por milênios. Naquela tarde, como de costume, o animalzinho seria sacrificado. Ao bradar Jesus: “está consumado”, toda a natureza se mostrou repulsa pelo triste quadro, retirando sua luz natural, e os elementos, entrando em comoção, suspiravam pela vida de Seu Criador, enquanto que miraculosamente, o cordeiro se desprende do altar e foge, deixando apavorado o sacerdote ministrante, e, para seu completo desentendimento daquela situação, nota que o véu do templo, que separava o lugar santo do santíssimo, rasga-se de alto a baixo por mãos potentes e invisíveis (Mateus 27:51).

Era o cumprimento in-loco de todas as profecias messiânicas do Antigo Testamento.

Em especial a de Daniel 9:27, que agora cumpre-se fidedignamente:

Daniel 9:27 – “Ele fará firme Aliança com muitos, por uma semana; na metade fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares…”

Terminara portanto o ritual que por milênios impressionara os judeus. Pendia altaneiro do Gólgota o Messias Jesus, e agora, a cruz tornara-se o emblema de fé, símbolo de salvação. Findara a era da justificação pelas obras da Lei Cerimonial, e raiava a era da justificação pela fé em Cristo. E isso os gálatas rejeitavam, absorvidos pelo vento de doutrinas dos “professores judaizantes”.

Gálatas 6:13 – “Porque nem ainda esses mesmos que se circuncidam guardam a lei, mas querem que vos circuncideis para se gloriarem na vossa carne.”

Neste versículo Paulo deixa claro que todo o tema e preocupação da epístola de Gálatas, são motivados pela circuncisão. Isso aceitarão os sinceros de coração que são os “cidadãos do Céu”; porque afirma o apóstolo, aqueles heréticos ensinadores “professores judaizantes” que despertaram novamente a circuncisão na igreja dos gálatas, eles mesmos não guardavam a Lei Cerimonial, por que esta não se compunha apenas do rito da circuncisão, mas de uma infinidade de ritos cerimoniais.

Viaje em pensamento até a Igreja de Corinto, sente-se no primeiro banco, poste-se diante do Rei do Céu, pois convidamos o campeão da cruz, para pregar um grandioso sermão para você. Ei-lo:

I Coríntios 7:19 – “A circuncisão, em si, não é nada; a incircuncisão também nada é, mas o que vale é a observância dos mandamentos de Deus.”

Aqui Paulo define claramente as duas leis do conflito dos gálatas. Nega com veemência a lei da circuncisão (Cerimonial) e realça os mandamentos de Deus (Lei Moral). Assim com a descoberta da lei que Paulo menciona insistente e exaustivamente, na Epístola aos Gálatas, cuja preocupação geral foi a circuncisão, leva-nos sem dúvida até a Lei Cerimonial.

A Lei de Deus, revela a condição do homem, é como um espelho que nos mostra como estamos, cabe a essa Lei mostrar o nosso pecado, e a Cristo, quando assim permitimos através da verdadeira fé e obediência, remove-los, nos ajudando assim a alcançar a graça de Sua salvação.

Esta gloriosa “lei” que revela a condição do homem, que lhe mostra o pecado, que é sobretudo o fundamento do Seu governo, de Seu caráter, será norma de justiça no grande julgamento do Senhor, o DIA DO JUÍZO(Eclesiastes 12:13 e 14; II Coríntios 5:10)

A decisão deve ser feita. Lembre-se: você será um vencedor, se for humilde, em aceitar o que diz a Bíblia.

Lourenço Silva Gonzalez, Assim Diz o Senhor, 5.ª ed., 1993.

Postado por Tony Pasquel às 08:16 0 comentários

Capítulo 07 – Os Dois Concertos – II Coríntios 3

Paulo estabelece em II Coríntios 3, um contraste entre dois Concertos, a saber:

O Velho Concerto, foi com sangue de animais (Hebreus 9:19 e 20).
Novo Concerto foi com o sangue de Jesus.

A base fundamental destes dois Concertos foi uma só: Os Dez Mandamentos, chamados de Lei Moral. A função da Lei é revelar o pecado (Romanos 7:7). O objetivo da Lei é levar o homem a Cristo. (Romanos 2:13).

II Coríntios 3:3 – “Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós e escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração.”

Tábuas de “pedra e de carne”: Isto é uma metáfora, para comparar os dois Concertos.

Leia o que diz o profeta, nas palavras seguintes:

Jeremias 31:31 a 33 – “Eis que vem dias, diz o Senhor, em que fareis um Concerto Novo com a casa de Israel e com a casa de Judá. Não conforme o Concerto que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para tirar da terra do Egito; porquanto eles invalidaram o Meu Concerto, apesar de Eu os haver desposado, diz o Senhor. Mas este é o Concerto que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: ‘Porei a Minha Lei no seu interior, e a escreverei no seu coração: e Eu serei o seu Deus e eles serão Meu povo.”

Deus está falando de um Novo Concerto e Se refere à mesma Lei que escreveu com o Seu dedo no Sinai. Portanto, nada há de indicativo do cancelamento da Lei Moral. Observe:

Ezequiel 11:19 e 20 – “E lhes darei um mesmo coração e um espírito novo porei dentro deles; e tirarei de sua carne o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne. Para que andem nos Meus estatutos, e guardem os Meus juízos (leis), e os executem; e eles serão o Meu povo, e Eu serei o seu Deus.”

Hebreus 8:10 – “Porque este é o concerto que depois daqueles dias farei com a casa de Israel, diz o Senhor; porei as Minhas Leis no seu entendimento, e em seu coração as escreverei; e Eu serei por Deus, e eles Me serão por povo.”

No Novo Concerto, a Lei de Deus seria impressa não em pedra, mas em carne (no coração). Isso prova que jamais seria abolida. Sem sombra de dúvida, sob o evangelho, só pode participar do Novo Concerto que tenha conhecimento da Lei de Deus, pois ela será colocada no coração do crente.

O que é concerto?

Diz o dicionário ser: Combinação, acordo. Concerto não é uma Lei, mas um pacto normativo entre duas pessoas. Neste caso, com o povo de Deus, os cristãos. E a norma ou base é a Lei Moral.

Se Deus acabar com o objeto (norma/base) do Seu acordo, como saberá se a outra parte (nós) está cumprindo o acordo?

Qual legislador executará a sentença se não possuir uma lei reguladora?
Quando Deus julgar o mundo (João 12:47, Atos 17:31), o fará através desta Lei
(Tiago 2:12). Como faria, estando cancelada?

Por conseguinte, o problema de II Coríntios 3 não é o cancelamento da Lei de Deus, porque o próprio Paulo diz que a fé não anula a Lei ( Romanos 3:31). Em nenhuma hipótese ou circunstância a Lei Moral pode ser abolida, porque ela é base, o fundamento do governo de Deus no presente e o será no futuro, para todos os Seus súditos fiéis e leais.

“Ministério da Morte” – (II Coríntios 3:7)
“Ministério da Condenação” – (II Coríntios 3:9)

“Sem derramamento de sangue, não há remissão de pecados” (Hebreus 9:22). Se alguém transgredisse a Lei Moral deveria morrer. Todavia, o pecador poderia conseguir um substituto para assumir o seu lugar.

O Velho Concerto foi estabelecido nesta base: “A alma que pecar, esta morrerá” (Ezequiel 18:20). A Lei realiza sua função (ministério da condenação). Ao revelar o pecado, exige a morte do pecador (ministério da morte).

Quando pecava (transgredindo a Lei de Deus), o que, então, fazia o pecador? Adquiria um cordeiro sem defeitos físicos e o levava ao sacerdote para ser morto pelo seu pecado. Hoje a base (Lei Moral – único instrumento que revela o pecado) continua a mesma, apenas, o sacrifício é melhor. O Cordeiro é Jesus, o “Cordeiro que tira o pecado do mundo” (João 1:29).

“Letra que Mata” – (II Coríntios 3:6)

A função (ministério) da Lei era definida. Sua “letra que mata”, resultava evidentemente em morte para os transgressores. Hoje, porém, a função (ministério) da Lei continua, mas “baseada na justiça de Cristo através da ação do Espírito Santo no coração do pecador, resulta em vida.”

Assim, “o primeiro ministério foi letra mortal, por inadimplemento por parte do povo. O último, ‘Espírito que vivifica’, por ser Cristo que habilita o homem a obedecer.” Em ambos os Concertos, nada sugere a abolição da Lei de Deus.

“Foi Abolido” – (II Coríntios 3:14)

Quanto ao que foi “abolido”, é claro, foi o Velho Concerto e não a Lei de Deus. O Novo Concerto permanece, e a Lei Moral como sua eterna base, continua em vigor. Enquanto houver o pecado, a Lei terá que existir. Ela é o mais perfeito instrumento que Deus possui para revelar o pecado. Mas, indagará alguém: Estaria Deus circunscrito a uma Lei para definir o pecado?

O que é pecado?

Você pode dizer: beber, fumar, falar palavrão são pecados. Sim! Mas Deus em Sua suprema sabedoria, enfeixou todo o pecado, sob quaisquer espécie, nome ou títulos, em Dez Mandamentos. Por isso a melhor definição para o pecado é bíblica:

“Pecado é transgressão da Lei de Deus.” (I João 3:4). Por isso, a Lei só perderá seu valor quando o pecado acabar.

“Em Glória” – (II Coríntios 3:10)

O Sinai foi envolvido em glória quando Deus proclamou a Lei. Porém, maior glória viu a Terra quando Cristo desceu do Céu para “salvar o povo dos seus pecados” (Mateus 1:21). A glória de Jesus no Sinai, produziu reflexos no rosto de Moisés, que precisou cobri-lo com um véu. Mas, a glória de Jesus em pessoa na Terra, visível e palpável entre os homens, empalideceu a glória do Sinai.

Cristo exaltou a Sua Lei (Isaías 42:21), libertando-a da grande quantidade de tradições (39 classes de regulamentos impostas pelos rabis), que levavam as pessoas a considerá-la fardo pesado. Ele esclareceu-a, explicou-a, honrou-a e obedeceu-a. Jesus tornou-a muito mais gloriosa. E quando pediu que orássemos para não transgredir o Sábado (Mateus 24:20), Jesus demonstrou, de fato, ser uma Lei por demais gloriosa.

O texto de II Coríntios 3, menciona duas palavras que muitos cristãos sinceros aplicam à Lei de Deus, equivocadamente. Ei-las:

Abolido – Está claro que é o Velho Concerto.

Transitório – Esta palavra não pode referir-se à Lei Moral, porque:

Paulo em nenhum lugar da Bíblia falou contra ela.

Paulo, dezenas de vezes realça a santidade, legitimidade, utilidade e necessidade dela.

O Senhor Jesus mencionou cinco dos Dez Mandamentos dessa Lei, para o jovem rico, dizendo-lhe da necessidade de observá-la, para entrar na vida eterna. (Mateus 19:16 a 19).

Na Nova Terra (Isaías 66:22 e 23), o Sábado será eternamente o Dia do Senhor.
Deus não se contradiz.

A grande maioria dos cristãos não admite o cancelamento de Nove Mandamentos desta Lei, mas apenas um (4.º Mandamento).

Deus não daria uma lei nas circunstâncias que fez, para depois dizer que foi cancelada ou que só valeria para um povo, uma época ou ocasião.

Na Lei, especificamente no quarto mandamento, está o selo de Deus, isto é: Seu nome: “Senhor teu Deus”. Seu cargo ou posição: “Fez os Céus e a Terra”. Território sobre que domina: “Os Céus e a Terra”. Abolindo a Lei de Deus, a idolatria se generalizaria na proliferação de deuses.

O texto de II Coríntios 3, apresenta apenas a função da Lei. Paulo jamais poderia concluir pela ab-rogação dela neste texto isolado, senão contraditaria dezenas de outros textos seus, que exaltam a Lei de Deus. Portanto, transitório e fadado a extinção foi o Velho Concerto que abrigava o Sistema Sacrifical.

Charles Spurgeon: “Antes de vir a fé, éramos mantidos sob a lei, retidos dentro da fé que depois se revelaria. Por essa causa a lei era nosso aio para conduzir-nos a Cristo, a fim de sermos justificados pela fé. Digo-vos que, ponho de parte a lei, despojastes o evangelho de seu auxiliar mais competente. Tiraste dele o aio que leva os homens a Cristo. Eles nunca aceitarão a Graça sem que tremam perante uma lei justa e santa. Por conseguinte, a lei serve ao mais necessário e bendito propósito, e não deve ser removida do lugar que ocupa.” – C. H. Spurgeon,The Perpetuity of the Law of God, pág. 11.

Willian Carey Taylor: “Seria uma bênção se cada púlpito do mundo trovejasse ao povo a voz divina do Decálogo, pois a lei é o aio para guiar a Cristo.” – W. C. Taylor, Os Dez Mandamentos, pág. 5.

Perceba este detalhe:

II Coríntios 3:13 – “E não somos como Moisés, que punha um véu sobre a face, para que os filhos de Israel não olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitório.”

Por que o véu era posto sobre o rosto de Moisés e não sobre as tábuas de pedra?

A Lei de Deus é fato consumado em toda a Bíblia, e confirmado por todos os escritores bíblicos, inclusive o próprio Paulo.

Portanto, isto não é forte argumento para se concluir que o que era transitório foi o reflexo de glória que ficou na face de Moisés?

II Coríntios 3:14 e 15 – “… Porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do Velho Concerto (nunca Velho Testamento), o qual por Cristo abolido; e até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles.”

“Deles” quem? – Paulo esta se referindo aos “judaizantes”.

Paulo escreveu esta epístola em 52-54 d.C., nesta ocasião os judeus teimavam em praticar o ritual(lei Cerimonial) que por Jesus foi abolido ao morrer no Calvário.

Somente no ano 70 com a destruição do Templo pelos romanos é que cessou “definitivamente”o que fora transitório. Este texto de II Coríntios 3, jamais financia a abolição de 39 livros da Bíblia, como afirma em seu livro, o pastor pentecostal Antenor Santos de Oliveira. Nele Paulo realmente se refere à Lei Moral escrita em tábuas de pedra, porque ela era, e é o único instrumento que Deus tem para revelar o pecado. Paulo diz claramente que o que foi abolido é o Velho Concerto e não o Velho Testamento.

“… Moisés mesmo estava inconsciente da brilhante glória que irradiava da face, e não sabia porque era que os filhos de Israel fugiam dele quando se lhes aproximava. Chamou-os para junto de si, mas não ousavam olhar para aquela face glorificada. Quando Moisés percebeu que o povo não lhes podia mirar o rosto, por causa de sua glória, cobriu-o com o véu.


A glória do rosto de Moisés era muitíssimo penosa para os filhos de Israel, por motivo de sua transgressão da santa Lei de Deus. Isto é uma ilustração dos sentimentos dos que violam a lei divina. Desejam remover dela sua luz penetrante, que é um terror para o que a transgride, ao passo que para os leais ela se afigura santa, justa e boa. Apenas os que têm justa consideração para com a Lei de Deus podem estimar devidamente a expiação de Cristo, tornada necessária pela violação da Lei do Pai.” – Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, vol. 1, pág 232.

Lourenço Gonzalez, Assim Diz o Senhor, 7.ª ed., 1997.

Os Verdadeiros Obedientes Não Cairão

“Mas quando o mundo anular a Lei de Deus, qual será o efeito sobre os que são verdadeiramente obedientes e justos? Serão levados pela forte corrente do mal? Porque tantos se enfileiram sob a bandeira do príncipe das trevas, hão de os que guardam os Mandamentos de Deus apartar-se de sua fidelidade? Nunca!


Nem um dos que permanecem em Cristo falhará ou cairá. Seus seguidores curvar-se-ão em obediência a uma autoridade superior à de qualquer potentado terrestre. Ao passo que o desprezo lançado sobre os Mandamentos de Deus leva muitos a suprimir a verdade e mostrar por ela menos reverência, os fiéis hão de com maior zelo manter erguidas suas verdades distintivas. Não somos deixados a nossa própria direção.


Devemos reconhecer a Deus em todos os nossos caminhos, e Ele dirigirá nossas veredas. Devemos consultar-Lhe a Palavra em humildade de coração, pedir-Lhe o conselho, e submeter nossa vontade à Sua. Nada podemos fazer sem Deus.” – 
Ellen G. White, Mensagens Escolhidas, vol. 2, pág. 368.

Postado por Tony Pasquel às 07:47 0 comentários

Capítulo 08 – A Lei e os Profetas Duraram Até…(?)

Os bons e sinceros cristão que militam hoje sob as mais diversas bandeiras denominacionais, ainda que não descobriram a verdade sobre a Lei de Deus em seu esplendor magno, admitem e crêem que ela findou na cruz, estribando-se para isso em Colossenses 2:14 – “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e atirou do meio de nós, cravando-a na cruz.”

Por outro lado, há também os que ensinam que a Lei durou até a posteridade que é Cristo (Gálatas 3:16). E outros, mais afoitos, afirmam que o fim da Lei se deu com o advento de João Batista, e para tanto citam: “A lei e os profetas duraram até João” – Lucas 16:16. Deduzimos daí, lamentavelmente, que os adeptos da abolição da Lei de Deus sequer chegam a um acordo mútuo, uma unidade. Se houve três abolições intercaladas no tempo, qual deve basear-se o crente para firmar sua fé?

A coluna basilar para uns é que foi até João, para outros findou com Jesus. Como é isso? Afinal, quando foi exatamente que a Lei de Deus foi “abolida”, ou “cessou de vigorar”? Porque a premissa lógica é que, “se durou até João, já estava abolida e nada mais teria Jesus que abolir”.

Novamente lembramos, quando quiser descobrir a verdade que o versículo bíblico quer ensinar, não o isole do contexto, nem se sirva dele separadamente, para não comprometer-se a um grande engano. Porque se ensinam que depois de João não houve mais profetas, é uma heresia tal ensinamento e este verso jamais financiou tal afirmativa. Por exemplo:

Atos 2:17 e 18 – “E nos últimos dias acontecerá diz o Senhor, que do Meu Espírito derramarei sobre toda a carne; e os vossos filhos e vossas filhas profetizarão… e também sobre os Meus servos… e profetizarão.”

Atos 19:6 – “E impondo-lhes as mãos… profetizaram.”

Atos 21:9 e 10 – “E tinha este quatro filhas donzelas, que profetizavam. E demorando-nos ali… chegou da Judéia um profeta por nome Agabo.”

I Coríntios 14:29 e 32 – “E falem dois ou três profetas… E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas.”

Pela leitura destes textos do Novo Testamento, fica comprovado que depois de João Batista houve profetas, efetivamente. Quanto à existência e permanência da Lei de Deus após João é uma evidente afirmação.

Veja: depois de Lucas registrar – “A lei e os profetas duraram até João…”, um moço rico procurou a Jesus com as palavras, conhecidas: “… Mestre, que farei eu de bom, para alcançar a vida eterna?” (Mateus 19:16). Resposta de Jesus: “Se queres entrar na vida, guarda os mandamentos” (Mateus 19:17).

Estas palavras são do Mestre e ninguém pode negar que estes mandamentos são do Decálogo, porque Jesus definiu dizendo para o jovem: “Não matarás; não cometerás adultério; não furtarás; não dirás falso testemunho; honra teu pai e tua mãe” (Mateus 19:18 e 19).

Aqui entram cristãos com o dedo apontado, afirmando que Jesus cancelou o Sábado porque não o repetiu para o moço rico guardar.

Então nós respondemos: Se por Jesus ter omitido – “Lembra-te do Sábado para o santificar”, Jesus o cancelou, então o Mestre fez pior, ao omitir a proibição daquilo que é repulsivo para Ele próprio e para Seu Pai, que é a idolatria, admitindo a negação do próprio Deus. Porque Jesus também não recitou para o moço – “Não terás outros deuses diante de Mim; não farás para ti imagens de esculturas.”

Agora perguntamos: Por essas omissões tais cristãos deixaram de adorar a Deus? Terão ídolos? Lógico que não! Então porque aceitar uma declaração e negar a outra? É coisa seria entrar na vida eterna, e a condição foi estipulada e estabelecida por Cristo: obediência aos Dez Mandamentos. Se a Lei foi abolida, ou vigorou até João Batista apenas, porque ordenaria Cristo a obediência a esta Lei “abolida”? E têm mais: como poderia estabelecer a guarda dela como norma para entrar na vida eterna, já que Ele “veio para mudar ou abolir”? Considere isso.

Antes de prosseguir, deixe-nos dizer-lhe por que Cristo citou apenas parte dos Dez Mandamentos para o jovem. Jesus estava diante de um israelita guardador do Sábado, como os demais judeus. Para eles este mandamento era o de maior valor, porque eram desamorosos e avarentos. Eram de fato extremosos na guarda do Sábado, porém falhavam abertamente noutros pontos; por isso Jesus focalizou apenas o que negligenciavam. Quanto ao Sábado, estavam certos, é o dia de guarda, não precisaria relembrar-lhes.

Jesus referindo-se aos doutores da Lei, disse: “Observai pois, e praticai tudo o que vos disserem; mas não procedais em conformidade com as suas obras , porque dizem e não praticam” (Mateus 23:3). Ora, o Mestre sabia que os ensinamentos dos sacerdotes concernentes com à Sua Lei eram certos, apenas praticavam errado, ou seja, guardavam a letra.

Então, como entender o versículo de Lucas 16:16 que menciona: “A Lei e os profetas duraram até João”? Volte ao texto; leia-o. Verifique com cuidado e bastante atenção como está grifada a palavra “duraram”. Observou? Está grifada no texto, isto é, escrita com as letras de forma diferente das demais, um pouco inclinadas. O que isso quer disser? É para chamar a atenção que o tradutor não encontrou no original grego esta palavra, apenas a empregou por considerar a melhor para complementar o sentido do verso. Todas as palavras grifadas, encontradas na Bíblia, não constam do original.

Agora, leia Mateus 11:13“Porque todos os profetas e a lei profetizaram até João.” – Agora sim,está clara e explícita a verdade que Jesus queria ensinar.

“lei e os profetas” formam uma expressão que designa os ensinos do Antigo Testamento (João 1:45), incluindo o Pentateuco e os escritos de todos os profetas, porque “os escritos do Antigo Testamento constituíam o primeiro guia do homem para a salvação. Estes escritos eram tudo que os homens tinham em matéria de revelação. O evangelho veio, não para abolir os escritos antigos, mas para suplementá-los, reforçá-los e confirmá-los.

O evangelho veio, não para ser colocado no lugar do Antigo Testamento, mas em acréscimo a ele.” (Subtilezas do Erro, pág. 97, A. B. Christianini – CPB)

Logo, quis o Mestre dizer que até João Batista todas as Escrituras dos profetas, referentes à Sua primeira vinda contidas nos livros do Antigo Testamento, com o Seu advento, batismo e ministério, enfim as profecias referentes a Sua vinda encontraram cumprimento in-loco.

Até João Batista, a lei e os profetas (escritos do Antigo Testamento) indicavam, através da palavra escrita, dos símbolos e do sistema sacrifical (sombras de Jesus), o tempo em que o reino de Deus seria anunciado, e, de fato, com a pregação do reino, novo tempo raiava. O próprio João Batista afirmava: “… arrependei-vos porque é chegado o Reino dos Céus…” (Mateus 3:2).

Lourenço Silva Gonzalez, Assim Diz o Senhor, 3.ª ed., 1986.

Postado por Tony Pasquel às 07:20 0 comentários

domingo, 18 de setembro de 2011

Capítulo 09 – Distorção de textos – Quanto à Lei.

Uma das “razões” apresentadas para “justificar” que a lei findou na cruz, é a indevida citação deColossenses 2:14, 16 e 17, que assim reza: “Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de algum modo nos era contrária, e a tirou no meio de nós, cravando-a na cruz…

Portanto ninguém vos julgue pelo comer ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da Lua Nova, ou dos sábados, que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é Cristo.” – Sobre estes textos, procura-se armar duas teses: a da invigência da lei pós-cruz, e a da ab-rogação do sábado do Decálogo. Vamos desmontá-las completamente, deixando que a própria Bíblia se interprete, sem forçar a nota.

Notemos os seguintes fatos, que saltam à vista:

Não há aí a mais leve referência à Lei Moral, ou à sua súmula: o Decálogo. Não há, em todo contexto, alusão a nenhum preceito dos Dez Mandamentos, mas sim a outros preceitos – isto é muito importante. Em Romanos 7:7, por exemplo, Paulo alude à “lei”, mas o contexto esclarece que se referia a Lei Moral, porque um dos seus preceitos é citado, “não cobiçarás”, Tiago também fala em “lei” (Tiago 2:10 e 11) e a seguir cita dois preceitos da Lei Moral. Mas, no caso que se discute,nada consta do Decálogo. Nem a palavra “lei” também é sequer mencionada nos textos, mas apenas uma cédula de ordenança.

Sabemos que o preceito cerimonial consistia de extensas instruções ritualistas a que os judeus ficavam obrigados. Um autêntic“escrito de divida” – como reza outra tradução.“Ordenança” são prescrições litúrgicas, e isto não se aplica Lei MoralCompare emHebreus 9:1. Ordenança “é um rito religioso ou cerimonial ordenada por autoridade divina ou eclesiástica” – define, com propriedade, o autorizado Standard Dictionary.

Coloquemos o quadro que Paulo nos pinta, na sua moldura contemporânea. A igreja de Colossos (a exemplo das de Galácia, Éfeso, Roma e outras) enfrentava dissensões internas em virtude da ação conservadora dos elementos judaizantes, isto é, judeus que aceitavam o evangelho, ingressavam na igreja, mas conservavam práticas do judaísmo e pretendiam impô-las aos cristãos vindos do gentilismo. Entre estas práticas estava a observância da lei cerimonial, notadamente os dias de festas (Páscoa, Pentecostes, Dia da Expiação, Festa dos Tabernáculos, Lua Nova e outras).

Como é natural, no passo que estamos considerando, Paulo quis dizer aos cristãos de Colossos que estas ordenanças e festividades foram riscadas ou cravadas na cruz tendo vindo Cristo, a Realidade, automaticamente cessaram os tipos e “sombras” que para Ele apontavam.

O contexto esclarece alguma coisa do conteúdo desta “cédula de ordenança”Alguns dos seus itens se acham registrados no versículo 16ligado aos versículos anteriores pela conjugação “portanto”Lemos que aí consta comer, beber, festividades, lua nova e sábados prefigurativos, tudo averbado de “sombras de coisas futuras”Ora, resta ver em qual código constavam tais exigências ritualistas e festivas.

Consultaremos o Decálogo. Examinemos-lhe os preceitos. Há nele algum mandamento sobre comer ou beber? E sobre os dias de festas e Lua Nova? Não! Nele só há preceitos morais e éticos. Nenhuma “ordenança”, portanto. Sabemos que Moisés escreveu um livro, cujo o conteúdo consistia de estatutos civis, preceitos higiênicos, ordenanças levíticas e regulamentos sobre festividades, Lua Nova, manjares, ofertas, sacrifícios, etc. (Deuteronômio 31:24 e Êxodo 24:4 e 7). 

A parte propriamente cerimonial e festival estava em Êxodo 23:14 a 19; capítulos 29 e 30; Levítico capítulos 1 a 7, 21, 22, 23, etc. E todas estas coisas estavam no livro de Moisés, mas não emtábuas do Decálogo, escritas pelo dedo de Deus. (Êxodo 31:18)

Notemos que esta cédula de ordenanças nos era contrária. Sim, porque a complicadíssima e onerosa lei Cerimonial, com suas exigências difíceis e até penosas, tendo preenchido a sua passageira finalidade com a morte de Cristo, tornou-se invigente, desnecessária e mesmo contráriaao cristão. Não assim com a Lei Moral de Deus, que é santa, justa, boa, espiritual e prazerosa(Romanos 7:12, 14 e 22), e estabelecida na dispensação evangélica, Romanos 3:31. 

Não pode a Lei de Deus ser confundida com uma precária cédula de ordenanças que foi riscada. Comidas, bebidas, festividades… Evidentemente, que não se trata do Decálogo, mas meramente de coisas transitórias, “sombras de coisas futuras” – como o próprio texto afirma.

Portanto, segundo a conclusão irrecorrível a que nos leva a Bíblia, os textos em lide referem-se inequivocadamente à lei Cerimonial. Foi riscada, é evidente, e cravada na cruz.

Tão clara é a Bíblia! E ainda para, subsidiariamente, concluir esta parte, citemos o notável comentador Adam Clarke, que sobre este ponto diz: “‘Ninguém vos julgue pelo comer ou beber’… O apóstolo aqui se refere a algumas particulares do escrito de ordenanças, que foram abolidas, a saber, a distinção de carnes e bebidas… e a necessidade da observância de certos feriados e festivais, tais como a Luas Novas e sábados particulares ou aqueles que deviam ser observados com incomum solenidade; todos eles foram abolidos e cravados na cruz, e não mais eram de obrigação.” – Clarke’s Commentary. Aí está uma interpretação insuspeita e valiosa!

“Nunca devemos rebaixar o nível da verdade, a fim de obter conversos, mas precisamos procurar elevar o pecador corrupto à alta norma da Lei de Deus.” – Ellen G. White, Evangelismo, pág. 136.

A. B. Christianini, Subtilezas do Erro, 2.ª ed., 1981, pág. 119.

Postado por Tony Pasquel às 07:46 0 comentários

sábado, 17 de setembro de 2011

Capítulo 10 – Distorção de textos – Quanto aos Sábados

Muita gente mal informada ou que lê superficialmente as Escrituras, é capaz de jurar que nelas se menciona apenas um sábado: o sábado da Criação, do Decálogo ou semanal, ou seja, o sábado que os adventistas guardam.

Há pessoas que, ao ouvir dizer que havia outros sábados, que não caíam necessariamente no sétimo dia e que eram meramente feriados religiosos anuais dos judeus, arregala os olhos, assombrada. E os fanáticos (como alguns que temos encontrado), que não se dão ao trabalho de investigar a Palavra de Deus neste particular, de forma arrogante e às vezes ofensiva, dizem: Qual, isso é invenção de adventista…

Mas o que interessa a quem ama a verdade é a pergunta:

Havia ou não sábados cerimoniais, completamente inconfundíveis e distintos do descanso do sétimo dia (semanal, estabelecido no Éden)?

Recorramos à Bíblia, que é a única instância em matéria doutrinária. À Lei e ao Testemunho! Por exemplo, em Levítico 16:29 a 31, que fala do Dia da Expiação – festa nacional judaica, extraímos: “… no sétimo mês, aos dez dias do mês, afligireis as vossas almas, nenhuma obra fareis… Porque, naquele dia, se fará expiação por vós… É um sábado de descanso para vós…”

Aqui está claramente aplicado o termo sábado a uma festa anual, que se iniciava invariavelmente no décimo dia do sétimo mês. Portanto distinto do dia de repouso semanal, porque necessariamente recaía em dia diferente da semana.

Leiamos ainda, com cuidado, Levítico 23:24, 27, 32 e 39. Nesse particular, as traduções de Matos Soares e Figueiredo são mais claras, e seguem melhor o original. Valamo-nos da versão de Matos Soares“O sétimo mês, o primeiro dia do mês será para vós um sábado e uma recordação…” (v.24).

Refere-se à festa das primícias e, embora Almeida tenha traduzido descanso, no original hebraico está “shabbath” – erit vobis sabbatum” – diz a Vulgata, e a expressão correta é reproduzida por grande número de traduções. Note-se bem que este sábado ou dia de descanso, do primeiro dia do mês, caía em dia diferente do sétimo. Nada tinha que ver com o repouso semanal.

Prossigamos: “Aos dez dias do sétimo mês será dia soleníssimo da expiação… É o sábado do repouso… afligireis as vossas almas. (v.27 e 32). Refere-se também ao dia da Expiação, que se celebrava anualmente, como foi dito, no 10.º dia do 7.º mês e, portanto, caía em dia diverso do sétimo.

E a Escritura o chama de sábado (shabbath), dia especial de descanso.

Vamos adiante, referindo-se à Festa dos Tabernáculos, diz a Bíblia: “… no dia quinze do sétimo mês… celebrareis a festa do Senhor… o primeiro e o oitavo dia vos será o sábado, isto é, descanso.”(v.39). Note-se que, neste versículo, no hebraico a palavra “shabbath” aparece duas vezes, e seria curial traduzi-la “sábado de sábado”. Diz a Vulgata: “… die primo et die octavo erit sabbatum, id est requies.”

É irrecusável que a Bíblia chama de “sábados” estes dias festivais que nada tinham a ver com o descanso semanal, ou o Sábado do Decálogo. Estes sábados cerimoniais estavam no Livro de Moisés e não nas Tábuas dos Dez Mandamentos, que só menciona o Sábado do Sétimo Dia, comemorativo da Criação, “porque em seis dias fez o Senhor os céus, a terra, o mar e tudo o que neles há, e ao sétimo dia descansou”. (Êxodo 20:11).

Os sábados festivais foram instituídos no Sinai, após a entrega da Lei de Deus (Dez Mandamentos), ao passo que o sábado semanal o foi na Criação (Gênesis 2:2 e 3) e incorporado na Lei Moral, precedido de um imperativo “Lembra-te”. Não pode haver confusão. Além disso a própria Bíblia estabelece uma linha divisória entre eles, de modo a não deixar dúvidas:

“Estas são as festas fixas do Senhor, que proclamareis como santas convocações, para oferecer-se ao Senhor oferta queimada, holocausto e oferta de cereais, sacrifícios e ofertas de libação, cada qual em seu dia próprio; além dos sábados do Senhor, e além dos vossos dons, e além de todos os vossos votos, e além de todas as vossas ofertas voluntárias que derdes ao Senhor.” (Levítico 23:37 e 38)

Repetimos: sábados anuais de modo algum podem ser confundidos com Sábados . Há um abismo entre eles, que nem as marteladas de uma dialética torcida conseguem transpor. Para nós basta a clara distinção que a Bíblia faz. Mas para os que gostam de comentários, vamos citar alguns; dos mais insuspeitos:

J. Skinner, abalizada autoridade evangélica, reitor do Colégio de Westminster (Cambridge), anota: “O nome sábado podia ser aplicado a qualquer época sagrada como tempo de cessação de trabalho e assim é usado com relação ao Dia de Expiação, o qual era observado anualmente, no décimo dia do sétimo mês. Levítico 16:31; 23:32. Nos livros proféticos e históricos, ‘sábados’ e ‘Luas Novas’ estão associados de tal modo a sugerir serem ambos festividades lunares. Amós 8:5; Oséias 2:11 e Isaías 1:13.” 1

Alfred Edersheim, escritor de nacionalidade judaica, convertido ao protestantismo, profundo conhecedor da lei Cerimonial, referindo-se à festa dos Tabernáculos, diz: “O primeiro dia da festa e também o oitavo (ou Hzereth) eram dias de santa convocação e eram também um sábado, mas não no sentido do sábado semanal, senão de um festivo descanso diante do Senhor em que nenhuma obra servil de qualquer espécie podia ser feita.” 2

O mesmo autor, falando do Dia da Expiação, diz: “… o Dia da Expiação… conservando um caráter próprio, pois a Escritura o chama de “um sábado de sabatismo” (no original) em que… como no sábado semanal, qualquer trabalho era proibido.” 3

Referindo-se a Festa do Pentecostes diz: “É fácil observar por alusões análogas, no mesmo capítulo, que não se trata do sábado semanal mas sim do festival. O testemunho de Josefo, de Filo, e da tradição judaica, não deixam margem de dúvida de que, neste caso, devemos entender por “sábado” o 15 de Nisan ou qualquer dia da semana em que o referido dia venha cair.” 4

E, finalmente, sobre a Páscoa afirma: “O último dia da Páscoa, como o primeiro, era uma santa convocação e se observava como um sábado.” 5 – Segundo o mesmo autor, há evidências emAmós 8:5 de que a Lua Nova se observava como dia de descanso, ou sábado. 6



A. B. Christianini, Subtilezas do Erro, 2.ª ed., 1981, pág. 121.
1. J. Skinner, art. “Sabbath.” Hasting’s Biblie Dictionary, pág. 807.
2. A. Edersheim, Festas de Israel, pág. 86.
3. Idem, pág. 8 e 118.
4. Idem, pág. 71.
5. Idem, pág. 72.
6. Idem, pág. 109.

Postado por Tony Pasquel às 16:48 0 comentários

FONTE: http://eventosfinais-estudos.blogspot.com/search?updated-max=2011-10-08T08:30:00-07:00&max-results=5

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

MEDITAÇÃO – MENSAGENS – ANO BÍBLICO

– Meditação Matinal de EGW (Português).:

Quando Jesus Nasceu

“Tendo Jesus nascido em Belém da Judéia, … eis que vieram uns magos do oriente a Jerusalém. E perguntavam – Onde está o recém-nascido Rei dos judeus?” S. Mat. 2:1 e 2.
O Rei da Glória rebaixou-Se para assumir a forma humana; e os anjos, que haviam testemunhado o Seu esplendor nas cortes celestiais, ao ser adorado por todas as hostes do Céu, ficaram desapontados por encontrar seu divino Comandante numa posição de tão grande humilhação.
Os judeus, por suas obras iníquas, tanto se haviam separado de Deus que os anjos não podiam transmitir-lhes a noticia do advento do infante Redentor. Deus escolheu os magos do Oriente para fazerem Sua vontade….
Esses magos viram o céu iluminado com a luz que envolvia a hoste celestial que anunciou o advento de Cristo aos humildes pastores. E depois que os anjos regressaram ao Céu, apareceu uma brilhante ” estrela que se deteve no firmamento.
Essa luz era um grupo distante de anjos chamejantes com aparência de uma estrela luminosa. O aparecimento excepcional da grande e brilhante estrela que eles nunca dantes tinham visto, suspensa como um sinal no céu, atraiu-lhes a atenção. Eles não tiveram o privilégio de ouvir a proclamação dos anjos aos pastores. Mas o Espírito de Deus impeliu-os a saírem em busca desse Visitante celestial a um mundo caldo. Os magos tomaram o rumo que a estrela parecia indicar-lhes. E quando se aproximaram da cidade de Jerusalém, a estrela cobriu-se de trevas e deixou de guiá-los.
Os magos ficam surpresos pelo fato de não verem extraordinário interesse pelo assunto da vinda do Messias. … Eles não deixam Jerusalém tão confiantes e esperançosos como quando ali chegaram. Admiram-se de que os judeus não estejam interessados e jubilosos pela perspectiva dessa grandiosa ocorrência do advento de Cristo.
As igrejas de nosso tempo estão procurando o engrandecimento mundano, e acham-se tão pouco dispostas a discernir a luz das profecias e aceitar as evidências de seu cumprimento, as quais revelam que Cristo virá em breve, como sucedeu com os judeus no tocante a Seu primeiro aparecimento. Eles aguardavam o reinado temporal e triunfante do Messias em Jerusalém. Cristãos professos de nosso tempo estão esperando a prosperidade temporal da igreja, na conversão do mundo e na fruição do milênio temporal. – RH, 24-12-1872.
Ano Bíblico- Gên. 8-11. – Juvenis- Gên. 6 e 7.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=100&p=9

– Meditação Matinal de EGW (Espanhol).:

CUANDO JESÚS NACIÓ

Cuando Jesús nació en Belén. . . vinieron del oriente a Jerusalén unos magos, diciendo: ¿Dónde está el rey de los judíos, que ha nacido? (Mat. 2: 1, 2).
El Rey de gloria descendió muchísimo para asumir la humanidad; y los ángeles, que habían sido testigos de su esplendor en las cortes celestiales, cuando era adorado por todas las huestes del cielo, se desilusionaron al descubrir que su divino Comandante ocupaba un puesto que implicaba tan profunda humillación.
Los judíos se habían separado tanto de Dios por causa de sus malas obras, que los ángeles no les podían transmitir las nuevas del advenimiento del niño Redentor. Dios eligió a los sabios de Oriente para que cumplieran su voluntad…
La aparición desusada de una estrella grande y brillante, Que nunca habían visto antes, y que aparecía como una señal en los cielos, atrajo su atención. No tuvieron el privilegio de escuchar la proclamación de los ángeles a los pastores. Pero el Espíritu de Dios los impulsó a buscar al Visitante celestial que había venido a este mundo caído. Los sabios enderezaron su rumbo en la dirección en que la estrella parecía conducirlos. Al acercarse a la ciudad de Jerusalén, la estrella se envolvió en tinieblas, y no los guió más. Llegaron a la conclusión de que los judíos no podían ignorar el gran acontecimiento de la llegada del Mesías; de modo que comenzaron a inquirir al respecto en las proximidades de Jerusalén.
Los sabios se sorprendieron al verificar que no había un interés especial con respecto al tema de la venida del Mesías. . . Cuando abandonaron Jerusalén, ya no abrigaban tanta confianza y esperanza como cuando llegaron. Se maravillaban de que los judíos no tuvieran interés ni manifestaran gozo frente a la perspectiva del gran acontecimiento de la venida del Cristo.
Las iglesias de nuestro tiempo están buscando la grandeza mundana y están tan poco dispuestas a ver la luz de las profecías y a recibir la evidencia de su cumplimiento, que muestran que Cristo muy pronto vendrá, como los judíos con respecto a su primer advenimiento. Esperaban el reino temporal y triunfante del Mesías en Jerusalén. Los profesos cristianos de nuestra época esperan la prosperidad temporal de la iglesia, manifestada en la conversión del mundo, y el gozo del milenio temporal.*

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=101&p=9

– Meditação Matinal de EGW (Inglês).:

January 3 – When Jesus was Born–

When Jesus was born in Bethlehem…there came wise men from the east to Jerusalem, saying, Where is he that is born King of the Jews? Matt. 2:1, 2.
The King of glory stooped low to take humanity; and angels, who had witnessed His splendour in the heavenly courts, as He was worshiped by all the heavenly hosts, were disappointed to find their divine Commander in a position of so great humiliation. {Mar 11.1}
The Jews had separated themselves so far from God by their wicked works, that angels could not communicate to them the tidings of the advent of the infant Redeemer. God chooses the wise men of the East to do His will…. {Mar 11.2}
These wise men had seen the heavens illuminated with light, which enshrouded the heavenly host who heralded the advent of Christ to the humble shepherds…. {Mar 11.3}
This light was a distant cluster of flaming angels, which appeared like a luminous star. The unusual appearance of the large bright star, which they had never seen before, hanging as a sign in the heavens, attracted their attention….The wise men directed their course where the star seemed to lead them. And as they drew nigh to the city of Jerusalem, the star was enshrouded in darkness, and no longer guided them. They reasoned that the Jews could not be ignorant of the great event of the advent of the Messiah, and they made inquiries in the vicinity of Jerusalem. {Mar 11.4}
The wise men are surprised to see no unusual interest upon the subject of the coming of the Messiah….They marvel that the Jews are not interested and joyful in prospect of this great event of the advent of Christ. {Mar 11.5}
The churches of our time are seeking worldly aggrandizement, and are as unwilling to see the light of the prophecies, and receive the evidences of their fulfilment which show that Christ is soon to come, as were the Jews in reference to His first appearing. They were looking for the temporal and triumphant reign of Messiah in Jerusalem. Professed Christians of our time are expecting the temporal prosperity of the church, in the conversion of the world, and the enjoyment of the temporal millennium. {Mar 11.6}

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=129&p=9

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

– Mensagens para Evangelistas.:

O Senhor manda que Seus ministros apresentem a palavra da vida; que preguem, não “filosofias e vãs sutilezas” (Col. 2:8), nem a “falsamente chamada ciência” (I Tim. 6:20), mas o evangelho, “o poder de Deus para salvação”. Rom. 1:16. “Conjuro-te, pois,” escreveu Paulo a Timóteo, “diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na Sua vinda e no Seu reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.” II Tim. 4:1-5. Nessa incumbência, cada pastor tem um esboço de sua obra – uma obra que ele só pode fazer mediante o cumprimento da promessa de Jesus aos discípulos: “Eis que Eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos.” Mat. 28:20. Obreiros Evangélicos, págs. 16 e 17.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=49&p=16

– Mensagens para Jovens.:

Muitas vezes os jovens se põem em contato com os que têm tendências céticas, e os pais ignoram isso até que a terrível obra do mal se acha consumada, e o jovem arruinado. A juventude deve ser diligentemente instruída, para que não seja enganada quanto ao verdadeiro caráter dessas pessoas, e não forme amizades com essa classe, ou lhe escute as palavras de sarcasmo e engano. A menos que os nossos jovens possuam valor moral para cortar suas ligações com tais pessoas ao lhes descobrirem a incredulidade, serão enlaçados, pensando e falando como seus companheiros, referindo-se levianamente à religião e à fé da Bíblia. Mensagens aos Jovens, pág. 86.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=6&p=86

– Mensagens para Namorados.:

Antes de dar a mão em casamento, deveria toda mulher indagar se aquele com quem está para unir seu destino, é digno. Qual é seu passado? É pura a sua vida? É o amor que ele exprime de caráter nobre, elevado, ou é simples inclinação emotiva? Tem os traços de caráter que a tornarão feliz? Poderá ela encontrar verdadeira paz e alegria na afeição dele? Ser-lhe-á permitido, a ela, conservar sua individualidade, ou terá de submeter seu juízo e consciência ao domínio do marido? Como discípula de Cristo, ela não pertence a si mesma, foi comprada por preço. Pode honrar as reivindicações do Salvador como supremas? Serão conservados puros e santos o corpo e a alma, os pensamentos e propósitos? Essas perguntas têm influência vital sobre o bem-estar de toda mulher que se casa. Mensagens aos Jovens, pág. 439.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=6&p=439

– Mensagens para Pais.:

Muitos pais conservam os filhos na escola quase o ano inteiro. Essas crianças seguem mecanicamente a rotina do estudo, mas não retêm o que aprendem. Muitos desses estudantes contínuos parecem quase destituídos de vida intelectual. A monotonia do estudo seguido fatiga o cérebro, e pouco é o interesse que tomam nas lições; e para muitos, torna-se penosa a aplicação aos livros. Não têm íntimo amor ao pensar, nem ambição de adquirir conhecimentos. Não estimulam em si mesmos hábitos de reflexão e pesquisa. As crianças carecem grandemente de educação apropriada, a fim de virem a ser de utilidade ao mundo. Qualquer esforço, porém, que exalte a cultura intelectual acima da educação moral, é mal orientado. Instruir, cultivar, polir e refinar jovens e crianças deve ser a principal preocupação de pais e mestres. São poucos os concentrados raciocinadores e os pensadores lógicos, em razão de haverem falsas influências impedido o desenvolvimento do intelecto. A suposição de pais e professores de que o estudo contínuo fortaleceria o intelecto tem-se demonstrado errônea; pois em muitos casos o efeito tem sido exatamente contrário. Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, págs. 84 e 85.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=37&p=84

– Mensagens sobre Escola Sabatina.:

Os professores da Escola Sabatina têm no ensino da lição da Escola Sabatina um campo missionário que lhes foi dado, não para como papagaios repetirem o que não se deram ao trabalho de entender. “São elas que de Mim testificam” (João 5:39) – do Redentor, Aquele em quem estão centralizadas nossas esperanças de vida eterna. Se os professores não estão imbuídos do espírito da verdade, e não cuidam de conhecer o que está revelado na Palavra de Deus, como podem apresentar a verdade numa luz atrativa aos que estão sob seu cuidado? Conselhos Sobre a Escola Sabatina, págs. 18 e 19.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=15&p=18

– Mensagens sobre Saúde.:

É de vital importância a regularidade no comer. Deve haver tempo determinado para cada refeição. Nesta ocasião, coma cada um o que o organismo requer, e depois não tome nada mais até a próxima refeição. Muitas pessoas comem quando o organismo não sente necessidade de alimento, em intervalos irregulares e entre as refeições, porque não têm suficiente força de vontade para resistir à inclinação. Quando em viagem, alguns estão continuamente mordicando, se lhes chega ao alcance qualquer coisa de comer. Isto é muito nocivo. Se os viajantes comessem regularmente, um alimento simples e nutritivo, não experimentariam tão grande fadiga, nem sofreriam tanto enjôo. A Ciência do Bom Viver, págs. 303 e 304.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=31&p=303

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

– Ano Bíblico (Português).:

Livro de Gênesis

Capítulo 8

1 – Deus lembrou-se de Noé, de todos os animais e de todo o gado, que estavam com ele na arca; e Deus fez passar um vento sobre a terra, e as águas começaram a diminuir.
2 – Cerraram-se as fontes do abismo e as janelas do céu, e a chuva do céu se deteve;
3 – as águas se foram retirando de sobre a terra; no fim de cento e cinqüenta dias começaram a minguar.
4 – No sétimo mês, no dia dezessete do mês, repousou a arca sobre os montes de Arará.
5 – E as águas foram minguando até o décimo mês; no décimo mês, no primeiro dia do mês, apareceram os cumes dos montes.
6 – Ao cabo de quarenta dias, abriu Noé a janela que havia feito na arca;
7 – soltou um corvo que, saindo, ia e voltava até que as águas se secaram de sobre a terra.
8 – Depois soltou uma pomba, para ver se as águas tinham minguado de sobre a face da terra;
9 – mas a pomba não achou onde pousar a planta do pé, e voltou a ele para a arca; porque as águas ainda estavam sobre a face de toda a terra; e Noé, estendendo a mão, tomou-a e a recolheu consigo na arca.
10 – Esperou ainda outros sete dias, e tornou a soltar a pomba fora da arca.
11 – À tardinha a pomba voltou para ele, e eis no seu bico uma folha verde de oliveira; assim soube Noé que as águas tinham minguado de sobre a terra.
12 – Então esperou ainda outros sete dias, e soltou a pomba; e esta não tornou mais a ele.
13 – No ano seiscentos e um, no mês primeiro, no primeiro dia do mês, secaram-se as águas de sobre a terra. Então Noé tirou a cobertura da arca: e olhou, e eis que a face a terra estava enxuta.
14 – No segundo mês, aos vinte e sete dias do mês, a terra estava seca.
15 – Então falou Deus a Noé, dizendo:
16 – Sai da arca, tu, e juntamente contigo tua mulher, teus filhos e as mulheres de teus filhos.
17 – Todos os animais que estão contigo, de toda a carne, tanto aves como gado e todo réptil que se arrasta sobre a terra, traze-os para fora contigo; para que se reproduzam abundantemente na terra, frutifiquem e se multipliquem sobre a terra.
18 – Então saiu Noé, e com ele seus filhos, sua mulher e as mulheres de seus filhos;
19 – todo animal, todo réptil e toda ave, tudo o que se move sobre a terra, segundo as suas famílias, saiu da arca.
20 – Edificou Noé um altar ao Senhor; e tomou de todo animal limpo e de toda ave limpa, e ofereceu holocaustos sobre o altar.
21 – Sentiu o Senhor o suave cheiro e disse em seu coração: Não tornarei mais a amaldiçoar a terra por causa do homem; porque a imaginação do coração do homem é má desde a sua meninice; nem tornarei mais a ferir todo vivente, como acabo de fazer.
22 – Enquanto a terra durar, não deixará de haver sementeira e ceifa, frio e calor, verão e inverno, dia e noite.

Capítulo 9

1 – Abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra.
2 – Terão medo e pavor de vós todo animal da terra, toda ave do céu, tudo o que se move sobre a terra e todos os peixes do mar; nas vossas mãos são entregues.
3 – Tudo quanto se move e vive vos servirá de mantimento, bem como a erva verde; tudo vos tenho dado.
4 – A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis.
5 – Certamente requererei o vosso sangue, o sangue das vossas vidas; de todo animal o requererei; como também do homem, sim, da mão do irmão de cada um requererei a vida do homem.
6 – Quem derramar sangue de homem, pelo homem terá o seu sangue derramado; porque Deus fez o homem à sua imagem.
7 – Mas vós frutificai, e multiplicai-vos; povoai abundantemente a terra, e multiplicai-vos nela.
8 – Disse também Deus a Noé, e a seus filhos com ele:
9 – Eis que eu estabeleço o meu pacto convosco e com a vossa descendência depois de vós,
10 – e com todo ser vivente que convosco está: com as aves, com o gado e com todo animal da terra; com todos os que saíram da arca, sim, com todo animal da terra.
11 – Sim, estabeleço o meu pacto convosco; não será mais destruída toda a carne pelas águas do dilúvio; e não haverá mais dilúvio, para destruir a terra.
12 – E disse Deus: Este é o sinal do pacto que firmo entre mim e vós e todo ser vivente que está convosco, por gerações perpétuas:
13 – O meu arco tenho posto nas nuvens, e ele será por sinal de haver um pacto entre mim e a terra.
14 – E acontecerá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, e aparecer o arco nas nuvens,
15 – então me lembrarei do meu pacto, que está entre mim e vós e todo ser vivente de toda a carne; e as águas não se tornarão mais em dilúvio para destruir toda a carne.
16 – O arco estará nas nuvens, e olharei para ele a fim de me lembrar do pacto perpétuo entre Deus e todo ser vivente de toda a carne que está sobre a terra.
17 – Disse Deus a Noé ainda: Esse é o sinal do pacto que tenho estabelecido entre mim e toda a carne que está sobre a terra.
18 – Ora, os filhos de Noé, que saíram da arca, foram Sem, Cão e Jafé; e Cão é o pai de Canaã.
19 – Estes três foram os filhos de Noé; e destes foi povoada toda a terra.
20 – E começou Noé a cultivar a terra e plantou uma vinha.
21 – Bebeu do vinho, e embriagou-se; e achava-se nu dentro da sua tenda.
22 – E Cão, pai de Canaã, viu a nudez de seu pai, e o contou a seus dois irmãos que estavam fora.
23 – Então tomaram Sem e Jafé uma capa, e puseram-na sobre os seus ombros, e andando virados para trás, cobriram a nudez de seu pai, tendo os rostos virados, de maneira que não viram a nudez de seu pai.
24 – Despertado que foi Noé do seu vinho, soube o que seu filho mais moço lhe fizera;
25 – e disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos será de seus irmãos.
26 – Disse mais: Bendito seja o Senhor, o Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo.
27 – Alargue Deus a Jafé, e habite Jafé nas tendas de Sem; e seja-lhe Canaã por servo.
28 – Viveu Noé, depois do dilúvio, trezentos e cinqüenta anos.
29 – E foram todos os dias de Noé novecentos e cinqüenta anos; e morreu.

Capítulo 10

1 – Estas, pois, são as gerações dos filhos de Noé: Sem, Cão e Jafé, aos quais nasceram filhos depois do dilúvio.
2 – Os filhos de Jafé: Gomer, Magogue, Madai, Javã, Tubal, Meseque e Tiras.
3 – Os filhos de Gomer: Asquenaz, Rifate e Togarma.
4 – Os filhos de Javã: Elisá, Társis, Quitim e Dodanim.
5 – Por estes foram repartidas as ilhas das nações nas suas terras, cada qual segundo a sua língua, segundo as suas famílias, entre as suas nações.
6 – Os filhos de Cão: Cuche, Mizraim, Pute e Canaã.
7 – Os filhos de Cuche: Seba, Havilá, Sabtá, Raamá e Sabtecá; e os filhos de Raamá são Sebá e Dedã.
8 – Cuche também gerou a Ninrode, o qual foi o primeiro a ser poderoso na terra.
9 – Ele era poderoso caçador diante do Senhor; pelo que se diz: Como Ninrode, poderoso caçador diante do Senhor.
10 – O princípio do seu reino foi Babel, Ereque, Acade e Calné, na terra de Sinar.
11 – Desta mesma terra saiu ele para a Assíria e edificou Nínive, Reobote-Ir, Calá,
12 – e Résem entre Nínive e Calá (esta é a grande cidade).
13 – Mizraim gerou a Ludim, Anamim, Leabim, Naftuim,
14 – Patrusim, Casluim (donde saíram os filisteus) e Caftorim.
15 – Canaã gerou a Sidom, seu primogênito, e Hete,
16 – e ao jebuseu, o amorreu, o girgaseu,
17 – o heveu, o arqueu, o sineu,
18 – o arvadeu, o zemareu e o hamateu. Depois se espalharam as famílias dos cananeus.
19 – Foi o termo dos cananeus desde Sidom, em direção a Gerar, até Gaza; e daí em direção a Sodoma, Gomorra, Admá e Zeboim, até Lasa.
20 – São esses os filhos de Cão segundo as suas famílias, segundo as suas línguas, em suas terras, em suas nações.
21 – A Sem, que foi o pai de todos os filhos de Eber e irmão mais velho de Jafé, a ele também nasceram filhos.
22 – Os filhos de Sem foram: Elão, Assur, Arfaxade, Lude e Arão.
23 – Os filhos de Arão: Uz, Hul, Geter e Más.
24 – Arfaxade gerou a Selá; e Selá gerou a Eber.
25 – A Eber nasceram dois filhos: o nome de um foi Pelegue, porque nos seus dias foi dividida a terra; e o nome de seu irmão foi Joctã.
26 – Joctã gerou a Almodá, Selefe, Hazarmavé, Jerá,
27 – Hadorão, Usal, Dicla,
28 – Obal, Abimael, Sebá,
29 – Ofir, Havilá e Jobabe: todos esses foram filhos de Joctã.
30 – E foi a sua habitação desde Messa até Sefar, montanha do oriente.
31 – Esses são os filhos de Sem segundo as suas famílias, segundo as suas línguas, em suas terras, segundo as suas nações.
32 – Essas são as famílias dos filhos de Noé segundo as suas gerações, em suas nações; e delas foram disseminadas as nações na terra depois do dilúvio.

Capítulo 11

1 – Ora, toda a terra tinha uma só língua e um só idioma.
2 – E deslocando-se os homens para o oriente, acharam um vale na terra de Sinar; e ali habitaram.
3 – Disseram uns aos outros: Eia pois, façamos tijolos, e queimemo-los bem. Os tijolos lhes serviram de pedras e o betume de argamassa.
4 – Disseram mais: Eia, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo cume toque no céu, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra.
5 – Então desceu o Senhor para ver a cidade e a torre que os filhos dos homens edificavam;
6 – e disse: Eis que o povo é um e todos têm uma só língua; e isto é o que começam a fazer; agora não haverá restrição para tudo o que eles intentarem fazer.
7 – Eia, desçamos, e confundamos ali a sua linguagem, para que não entenda um a língua do outro.
8 – Assim o Senhor os espalhou dali sobre a face de toda a terra; e cessaram de edificar a cidade.
9 – Por isso se chamou o seu nome Babel, porquanto ali confundiu o Senhor a linguagem de toda a terra, e dali o Senhor os espalhou sobre a face de toda a terra.
10 – Estas são as gerações de Sem. Tinha ele cem anos, quando gerou a Arfaxade, dois anos depois do dilúvio.
11 – E viveu Sem, depois que gerou a Arfaxade, quinhentos anos; e gerou filhos e filhas.
12 – Arfaxade viveu trinta e cinco anos, e gerou a Selá.
13 – Viveu Arfaxade, depois que gerou a Selá, quatrocentos e três anos; e gerou filhos e filhas.
14 – Selá viveu trinta anos, e gerou a Eber.
15 – Viveu Selá, depois que gerou a Eber, quatrocentos e três anos; e gerou filhos e filhas.
16 – Eber viveu trinta e quatro anos, e gerou a Pelegue.
17 – Viveu Eber, depois que gerou a Pelegue, quatrocentos e trinta anos; e gerou filhos e filhas.
18 – Pelegue viveu trinta anos, e gerou a Reú.
19 – Viveu Pelegue, depois que gerou a Reú, duzentos e nove anos; e gerou filhos e filhas.
20 – Reú viveu trinta e dois anos, e gerou a Serugue.
21 – Viveu Reú, depois que gerou a Serugue, duzentos e sete anos; e gerou filhos e filhas.
22 – Serugue viveu trinta anos, e gerou a Naor.
23 – Viveu Serugue, depois que gerou a Naor, duzentos anos; e gerou filhos e filhas.
24 – Naor viveu vinte e nove anos, e gerou a Tera.
25 – Viveu Naor, depois que gerou a Tera, cento e dezenove anos; e gerou filhos e filhas.
26 – Tera viveu setenta anos, e gerou a Abrão, a Naor e a Harã.
27 – Estas são as gerações de Tera: Tera gerou a Abrão, a Naor e a Harã; e Harã gerou a Ló.
28 – Harã morreu antes de seu pai Tera, na terra do seu nascimento, em Ur dos Caldeus.
29 – Abrão e Naor tomaram mulheres para si: o nome da mulher de Abrão era Sarai, e o nome da mulher do Naor era Milca, filha de Harã, que foi pai de Milca e de Iscá.
30 – Sarai era estéril; não tinha filhos.
31 – Tomou Tera a Abrão seu filho, e a Ló filho de Harã, filho de seu filho, e a Sarai sua nora, mulher de seu filho Abrão, e saiu com eles de Ur dos Caldeus, a fim de ir para a terra de Canaã; e vieram até Harã, e ali habitaram.
32 – Foram os dias de Tera duzentos e cinco anos; e morreu Tera em Harã.

– Pergunta sobre o Ano Bíblico.:

Quantos anos Noé viveu?
Resposta: 950 (Gênesis 9:29)

– Curiosidades Bíblicas.:

Quem disse que não morreria sem conhecer o Cristo?
Resposta: Simeão. Lucas 2:25,26.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/biblia.asp?lista=1&livro=42&capitulo=2

– Versos Bíblicos.:

Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra, tu que puseste a tua glória dos céus! Salmos 8:1

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/biblia.asp?lista=1&livro=19&capitulo=8&verso=1

– Ano Bíblico (Espanhol).:

Libro de Gênesis

Capítulo 8

1 – Dios se Acordó de Noé y de todos los animales y todo el ganado que estaban con él en el arca, e hizo soplar un viento sobre la tierra, y las aguas disminuyeron.
2 – Fueron cerradas las fuentes del océano y las ventanas de los cielos, y se detuvo la lluvia de los cielos.
3 – Las aguas Decrecían gradualmente sobre la tierra, y después de 150 Días las aguas Habían menguado.
4 – El Día 17 del mes séptimo se Asentó el arca sobre los montes de Ararat,
5 – y las aguas siguieron decreciendo hasta el mes décimo. El primer Día del mes décimo se hicieron visibles las cumbres de las montañas.
6 – Y Sucedió que cuarenta Días después Noé Abrió la ventana del arca que Había hecho,
7 – y Envió un cuervo que iba y Venía hasta que las aguas se secaron sobre la tierra.
8 – También Envió una paloma para ver si las aguas Habían disminuido sobre la superficie de la tierra.
9 – La paloma no Halló donde asentar la planta de su pie y Volvió a él, al arca, porque las aguas Todavía Cubrían la superficie de toda la tierra. Entonces él Extendió su mano, la Tomó y la hizo entrar consigo en el arca.
10 – Esperó Aún otros siete Días y Volvió a enviar la paloma fuera del arca.
11 – La paloma Volvió a él al atardecer, y he Aquí que Traía una hoja verde de olivo en el pico. Así Entendió Noé que las aguas Habían disminuido sobre la tierra.
12 – Esperó Aún otros siete Días y Envió la paloma, la cual no Volvió Más a él.
13 – Y Sucedió que el primer Día del mes primero del año 601 de Noé se secaron las aguas sobre la tierra. Noé Quitó la cubierta del arca y Miró, y he Aquí que la superficie de la tierra estaba seca.
14 – El Día 27 del mes segundo Quedó seca la tierra.
15 – Entonces dijo Dios a Noé:
16 – “Sal del arca Tú, tu mujer, tus hijos y las mujeres de tus hijos contigo.
17 – Saca todos los animales de toda clase que Están contigo: las aves, el ganado y los reptiles que se desplazan sobre la tierra. Que se esparzan por la tierra, que sean fecundos y que se multipliquen sobre la tierra.”
18 – Entonces salieron del arca Noé, sus hijos, su mujer y las mujeres de sus hijos con él,
19 – y todos los animales, todos los reptiles, todas las aves y todo lo que se desplaza sobre la tierra, Según sus familias.
20 – Entonces Edificó Noé un altar a Jehovah, y tomando de todo Cuadrúpedo limpio y de toda ave limpia, Ofreció holocaustos sobre el altar.
21 – Jehovah Percibió el grato olor, y dijo Jehovah en su Corazón: “No volveré Jamás a maldecir la tierra por causa del hombre, porque el instinto del Corazón del hombre es malo desde su juventud. Tampoco volveré a destruir todo ser viviente, como he hecho.
22 – Mientras exista la tierra, no Cesarán la siembra y la siega, el Frío y el calor, el verano y el invierno, el Día y la noche.”

Capítulo 9

1 – Entonces Dios bendijo a Noé y a sus hijos, y les dijo: “Sed fecundos, multiplicaos y llenad la tierra.
2 – El temor y el miedo de vosotros Estará en todos los animales de la tierra, en todas las aves del cielo, en todo lo que se desplaza en la tierra y en todos los peces del mar. En vuestras manos son entregados.
3 – Todo lo que se desplaza y vive os Servirá de alimento. Del mismo modo que las plantas, os lo doy todo.
4 – Pero no comeréis carne con su vida, es decir, su sangre.
5 – Porque ciertamente por vuestra propia sangre pediré cuentas. Pediré cuentas a todo animal y al hombre. Yo pediré cuentas a cada uno por la vida del hombre.
6 – El que derrame sangre de hombre, su sangre Será derramada por hombre; porque a imagen de Dios él hizo al hombre.
7 – Sed vosotros fecundos y multiplicaos. Reproducíos en la tierra y multiplicaos en ella.”
8 – Entonces Dios Habló a Noé y a sus hijos con él, diciendo:
9 – “He Aquí que yo establezco mi pacto con vosotros, con vuestros descendientes después de vosotros
10 – y con todo ser viviente que Está con vosotros: aves, ganado y todos los animales de la tierra que Están con vosotros; todos los que salieron del arca, todos los animales de la tierra.
11 – Yo establezco mi pacto con vosotros: Ninguna carne Volverá a ser exterminada Jamás por las aguas del diluvio, ni Habrá otra vez diluvio para destruir la tierra.”
12 – Y dijo Dios: “Esta Será la señal del pacto que establezco entre yo y vosotros, y todo ser viviente que Está con vosotros, por generaciones, para siempre:
13 – Yo pongo mi arco en las nubes como señal del pacto que hago entre yo y la tierra.
14 – Y Sucederá que cuando yo haga aparecer nubes sobre la tierra, entonces el arco se Dejará ver en las nubes.
15 – Me acordaré de mi pacto que existe entre yo y vosotros, y todo ser viviente de toda clase, y las aguas no Serán Más un diluvio para destruir toda carne.
16 – Cuando el arco aparezca en las nubes, yo lo veré para acordarme del pacto perpetuo entre Dios y todo ser viviente de toda clase que Está sobre la tierra.”
17 – Entonces Dios dijo a Noé: “Esta Será la señal del pacto que establezco entre yo y toda carne que Está sobre la tierra.”
18 – Los hijos de Noé que salieron del arca fueron: Sem, Cam y Jafet. Cam fue el padre de Canaán.
19 – Estos tres fueron los hijos de Noé, y a partir de ellos fue poblada toda la tierra.
20 – Entonces Noé Comenzó a cultivar la tierra y Plantó una viña.
21 – Y bebiendo el vino, se Embriagó y Quedó desnudo en medio de su tienda.
22 – Cam, el padre de Canaán, vio la desnudez de su padre y lo Contó a sus dos hermanos que estaban fuera.
23 – Entonces Sem y Jafet tomaron un manto, lo pusieron sobre sus propios hombros, y yendo hacia Atrás, cubrieron la desnudez de su padre. Como Tenían vuelta la cara, ellos no vieron la desnudez de su padre.
24 – Cuando Noé se Despertó de su embriaguez y se Enteró de lo que le Había hecho su hijo menor,
25 – dijo: “Maldito sea Canaán. Sea el siervo de los siervos de sus hermanos.”
26 – Dijo Además: “Bendito sea Jehovah, el Dios de Sem, y sea Canaán su siervo.
27 – Engrandezca Dios a Jafet y habite en las tiendas de Sem, y sea Canaán su siervo.”
28 – Noé Vivió después del diluvio 350 años.
29 – Todos los años de Noé fueron 950, y Murió.

Capítulo 10

1 – Estos son los descendientes de los hijos de Noé: Sem, Cam y Jafet, a quienes les nacieron hijos después del diluvio:
2 – Los hijos de Jafet fueron: Gomer, Magog, Madai, Javán, Tubal, Mesec y Tiras.
3 – Los hijos de Gomer fueron: Asquenaz, Rifat y Togarma.
4 – Los hijos de Javán fueron: Elisa, Tarsis, Quitim y Rodanim.
5 – A partir de éstos fueron pobladas las costas de las naciones, Según sus territorios, cada una Según su idioma, conforme a sus familias en sus naciones.
6 – Los hijos de Cam fueron: Cus, Mizraim, Fut y Canaán.
7 – Los hijos de Cus fueron: Seba, Havila, Sabta, Raama y Sabteca. Los hijos de Raama fueron Seba y Dedán.
8 – Cus Engendró a Nimrod, quien Comenzó a ser poderoso en la tierra.
9 – El fue un vigoroso cazador delante de Jehovah, por lo cual se suele decir: “Como Nimrod, el vigoroso cazador delante de Jehovah.”
10 – Al principio, su reino abarcaba Babel, Erec, Acad y Calne, en la tierra de Sinar.
11 – De aquella tierra Salió para Asiria y Edificó Nínive, Ciudad Rejobot, Cálaj
12 – y Resén, entre Nínive y Cálaj. Esta es una gran ciudad.
13 – Mizraim Engendró a los ludeos, a los anameos, a los lehabitas, a los naftujitas,
14 – a los patruseos, a los caslujitas (de los cuales salieron los filisteos) y a los caftoreos.
15 – Canaán Engendró a Sidón su primogénito y a Het,
16 – al jebuseo, al amorreo, al gergeseo,
17 – al heveo, al araqueo, al sineo,
18 – al arvadeo, al zemareo y al hamateo. Después se dispersaron los clanes de los cananeos.
19 – La frontera de los cananeos abarcaba desde Sidón hasta Gaza en Dirección de Gerar; Seguía en Dirección de Sodoma, Gomorra, Adma y Zeboím, y continuaba hasta Lasa.
20 – Tales son los hijos de Cam, Según sus familias, Según sus idiomas, en sus territorios y en sus naciones.
21 – También le nacieron hijos a Sem, padre de todos los hijos de Heber y hermano mayor de Jafet.
22 – Los hijos de Sem fueron: Elam, Asur, Arfaxad, Lud y Aram.
23 – Los hijos de Aram fueron: Uz, Hul, Geter y Mas.
24 – Arfaxad Engendró a Sélaj, y Sélaj Engendró a Heber.
25 – A Heber le nacieron dos hijos: El nombre del primero fue Peleg, porque en sus Días fue dividida la tierra. El nombre de su hermano fue Joctán.
26 – Joctán Engendró a Almodad, a Selef, a Hazar-Mávet, a Jéraj,
27 – a Adoram, a Uzal, a Dicla,
28 – a Obal, a Abimael, a Seba,
29 – a Ofir, a Havila y a Jobab. Todos éstos fueron hijos de Joctán.
30 – El área que habitaron Abarcó desde Mesa hasta las inmediaciones de Sefar, en la Región montañosa al oriente.
31 – Estos fueron los hijos de Sem Según sus familias, Según sus idiomas, en sus territorios y en sus naciones.
32 – Estas fueron las familias de los hijos de Noé, Según sus descendientes y sus naciones. De éstos proceden las naciones de la tierra, después del diluvio.

Capítulo 11

1 – Toda la tierra Tenía un solo idioma y las mismas palabras.
2 – Pero Aconteció que al emigrar del oriente, encontraron una llanura en la tierra de Sinar y se establecieron Allí.
3 – Entonces se dijeron unos a otros: “Venid, hagamos adobes y quemémoslos con fuego.” Así empezaron a usar ladrillo en lugar de piedra, y brea en lugar de mortero.
4 – Y dijeron: “Venid, edifiquémonos una ciudad y una torre cuya Cúspide llegue al cielo. Hagámonos un nombre, no sea que nos dispersemos sobre la faz de toda la tierra.”
5 – Jehovah Descendió para ver la ciudad y la torre que edificaban los hombres.
6 – Entonces dijo Jehovah: “He Aquí que este pueblo Está unido, y todos hablan el mismo idioma. Esto es lo que han comenzado a hacer, y ahora nada les Impedirá hacer lo que se proponen.
7 – Vamos, pues, descendamos y confundamos Allí su lenguaje, para que nadie entienda lo que dice su compañero.”
8 – Así los Dispersó Jehovah de Allí sobre la faz de toda la tierra, y dejaron de edificar la ciudad.
9 – Por tanto, el nombre de dicha ciudad fue Babel, porque Jehovah Confundió Allí el lenguaje de toda la tierra, y desde Allí los Dispersó sobre la faz de toda la tierra.
10 – Estos son los descendientes de Sem: Cuando Sem Tenía 100 años, Engendró a Arfaxad, dos años después del diluvio.
11 – Sem Vivió después que Engendró a Arfaxad 500 años, y Engendró hijos e hijas.
12 – Cuando Arfaxad Tenía 35 años, Engendró a Sélaj.
13 – Arfaxad Vivió después que Engendró a Sélaj 403 años, y Engendró hijos e hijas.
14 – Cuando Sélaj Tenía 30 años, Engendró a Heber.
15 – Sélaj Vivió después que Engendró a Heber 403 años, y Engendró hijos e hijas.
16 – Cuando Heber Tenía 34 años, Engendró a Peleg.
17 – Heber Vivió después que Engendró a Peleg 430 años, y Engendró hijos e hijas.
18 – Cuando Peleg Tenía 30 años, Engendró a Reu.
19 – Peleg Vivió después que Engendró a Reu 209 años, y Engendró hijos e hijas.
20 – Cuando Reu Tenía 32 años, Engendró a Serug.
21 – Reu Vivió después que Engendró a Serug 207 años, y Engendró hijos e hijas.
22 – Cuando Serug Tenía 30 años, Engendró a Nacor.
23 – Serug Vivió después que Engendró a Nacor 200 años, y Engendró hijos e hijas.
24 – Cuando Nacor Tenía 29 años, Engendró a Taré.
25 – Nacor Vivió después que Engendró a Taré 119 años, y Engendró hijos e hijas.
26 – Cuando Taré Tenía 70 años, Engendró a Abram, a Nacor y a Harán.
27 – Estos son los descendientes de Taré: Taré Engendró a Abram, a Nacor y a Harán; y Harán Engendró a Lot.
28 – Harán Murió antes que su padre Taré, en el lugar donde Había nacido, en Ur de los caldeos.
29 – Abram y Nacor tomaron mujeres para Sí. El nombre de la mujer de Abram fue Sarai; y el nombre de la mujer de Nacor fue Milca, hija de Harán, padre de Milca y de Isca.
30 – Y Sarai era estéril y no Tenía hijos.
31 – Taré Tomó a su hijo Abram, a su nieto Lot hijo de Harán, a Sarai su nuera, mujer de su hijo Abram, y Partió con ellos de Ur de los caldeos para ir a la tierra de Canaán. Y fueron hasta Harán y se establecieron Allí.
32 – Taré Vivió 205 años, y Murió Taré en Harán.

– Ano Bíblico (Inglês).:

Book of Gênesis

Chapter 8

1 – And God kept Noah in mind, and all the living things and the cattle which were with him in the ark: and God sent a wind over the earth, and the waters went down.
2 – And the fountains of the deep and the windows of heaven were shut, and the rain from heaven was stopped.
3 – And the waters went slowly back from the earth, and at the end of a hundred and fifty days the waters were lower.
4 – And on the seventeenth day of the seventh month the ark came to rest on the mountains of Ararat.
5 – And still the waters went on falling, till on the first day of the tenth month the tops of the mountains were seen.
6 – Then, after forty days, through the open window of the ark which he had made,
7 – Noah sent out a raven, which went this way and that till the waters were gone from the earth.
8 – And he sent out a dove, to see if the waters had gone from the face of the earth;
9 – But the dove saw no resting-place for her foot, and came back to the ark, for the waters were still over all the earth; and he put out his hand, and took her into the ark.
10 – And after waiting another seven days, he sent the dove out again;
11 – And the dove came back at evening, and in her mouth was an olive-leaf broken off: so Noah was certain that the waters had gone down on the earth.
12 – And after seven days more, he sent the dove out again, but she did not come back to him.
13 – And in the six hundred and first year, on the first day of the first month, the waters were dry on the earth: and Noah took the cover off the ark and saw that the face of the earth was dry.
14 – And on the twenty-seventh day of the second month the earth was dry.
15 – And God said to Noah,
16 – Go out of the ark, you and your wife and your sons and your sons´ wives.
17 – Take out with you every living thing which is with you, birds and cattle and everything which goes on the earth, so that they may have offspring and be fertile and be increased on the earth.
18 – And Noah went out with his sons and his wife and his sons´ wives;
19 – And every beast and bird and every living thing of every sort which goes on the earth, went out of the ark.
20 – And Noah made an altar to the Lord, and from every clean beast and bird he made burned offerings on the altar.
21 – And when the sweet smell came up to the Lord, he said in his heart, I will not again put a curse on the earth because of man, for the thoughts of man´s heart are evil from his earliest days; never again will I send destruction on all living things as I have done.
22 – While the earth goes on, seed time and the getting in of the grain, cold and heat, summer and winter, day and night, will not come to an end.

Chapter 9

1 – And God gave his blessing to Noah and his sons, and said, Be fertile, and have increase, and make the earth full.
2 – And the fear of you will be strong in every beast of the earth and every bird of the air; everything which goes on the land, and all the fishes of the sea, are given into your hands.
3 – Every living and moving thing will be food for you; I give them all to you as before I gave you all green things.
4 – But flesh with the life-blood in it you may not take for food.
5 – And for your blood, which is your life, will I take payment; from every beast I will take it, and from every man will I take payment for the blood of his brother-man.
6 – Whoever takes a man´s life, by man will his life be taken; because God made man in his image.
7 – And now, be fertile and have increase; have offspring on the earth and become great in number.
8 – And God said to Noah and to his sons,
9 – Truly, I will make my agreement with you and with your seed after you,
10 – And with every living thing with you, all birds and cattle and every beast of the earth which comes out of the ark with you.
11 – And I will make my agreement with you; never again will all flesh be cut off by the waters; never again will the waters come over all the earth for its destruction.
12 – And God said, This is the sign of the agreement which I make between me and you and every living thing with you, for all future generations:
13 – I will put my bow in the cloud and it will be for a sign of the agreement between me and the earth.
14 – And whenever I make a cloud come over the earth, the bow will be seen in the cloud,
15 – And I will keep in mind the agreement between me and you and every living thing; and never again will there be a great flow of waters causing destruction to all flesh.
16 – And the bow will be in the cloud, and looking on it, I will keep in mind the eternal agreement between God and every living thing on the earth.
17 – And God said to Noah, This is the sign of the agreement which I have made between me and all flesh on the earth.
18 – And the sons of Noah who went out of the ark were Shem, Ham, and Japheth; and Ham is the father of Canaan.
19 – These three were the sons of Noah and from them all the earth was peopled.
20 – In those days Noah became a farmer, and he made a vine-garden.
21 – And he took of the wine of it and was overcome by drink; and he was uncovered in his tent.
22 – And Ham, the father of Canaan, saw his father unclothed, and gave news of it to his two brothers outside.
23 – And Shem and Japheth took a robe, and putting it on their backs went in with their faces turned away, and put it over their father so that they might not see him unclothed.
24 – And, awaking from his wine, Noah saw what his youngest son had done to him, and he said,
25 – Cursed be Canaan; let him be a servant of servants to his brothers.
26 – And he said, Praise to the Lord, the God of Shem; let Canaan be his servant.
27 – May God make Japheth great, and let his living-place be in the tents of Shem, and let Canaan be his servant.
28 – And Noah went on living three hundred and fifty years after the great flow of waters;
29 – all the years of his life were nine hundred and fifty: and he came to his end.

Chapter 10

1 – Now these are the generations of the sons of Noah, Shem, Ham, and Japheth: these are the sons which they had after the great flow of waters
2 – The sons of Japheth: Gomer and Magog and Madai and Javan and Tubal and Meshech and Tiras.
3 – And the sons of Gomer: Ashkenaz and Riphath and Togarmah.
4 – And the sons of Javan: Elishah and Tarshish, the Kittim and the Dodanim.
5 – From these came the nations of the sea-lands, with their different families and languages.
6 – And the sons of Ham: Cush and Mizraim and Put and Canaan.
7 – And the sons of Cush: Seba and Havilah and Sabtah and Raamah and Sabteca; and the sons of Raamah: Sheba and Dedan.
8 – And Cush was the father of Nimrod, who was the first of the great men of the earth.
9 – He was a very great bowman, so that there is a saying, Like Nimrod, a very great bowman.
10 – And at the first, his kingdom was Babel and Erech and Accad and Calneh, in the land of Shinar.
11 – From that land he went out into Assyria, building Nineveh with its wide streets and Calah,
12 – And Resen between Nineveh and Calah, which is a very great town.
13 – And Mizraim was the father of the Ludim and Anamim and Lehabim and Naphtuhim;
14 – And Pathrusim and Casluhim and Caphtorim, from whom came the Philistines.
15 – And Canaan was the father of Zidon, who was his oldest son, and Heth,
16 – And the Jebusite and the Amorite and the Girgashite,
17 – And the Hivite and the Arkite and the Sinite,
18 – And the Arvadite and the Zemarite and the Hamathite; after that the families of the Canaanites went far and wide in all directions;
19 – Their country stretching from Zidon to Gaza, in the direction of Gerar; and to Lasha, in the direction of Sodom and Gomorrah and Admah and Zeboiim.
20 – All these, with their different families, languages, lands, and nations, are the offspring of Ham.
21 – And Shem, the older brother of Japheth, the father of the children of Eber, had other sons in addition.
22 – These are the sons of Shem: Elam and Asshur and Arpachshad and Lud and Aram.
23 – And the sons of Aram: Uz and Hul and Gether and Mash.
24 – And Arpachshad became the father of Shelah; and Shelah became the father of Eber.
25 – And Eber had two sons: the name of the one was Peleg, because in his time the peoples of the earth became separate; and his brother´s name was Joktan.
26 – And Joktan was the father of Almodad and Sheleph and Hazarmaveth and Jerah
27 – And Hadoram and Uzal and Diklah
28 – And Obal and Abimael and Sheba
29 – And Ophir and Havilah and Jobab; all these were the sons of Joktan.
30 – And their country was from Mesha, in the direction of Sephar, the mountain of the east.
31 – These, with their families and their languages and their lands and their nations, are the offspring of Shem.
32 – These are the families of the sons of Noah, in the order of their generations and their nations: from these came all the nations of the earth after the great flow of waters.

Chapter 11

1 – And all the earth had one language and one tongue.
2 – And it came about that in their wandering from the east, they came to a stretch of flat country in the land of Shinar, and there they made their living-place.
3 – And they said one to another, Come, let us make bricks, burning them well. And they had bricks for stone, putting them together with sticky earth.
4 – And they said, Come, let us make a town, and a tower whose top will go up as high as heaven; and let us make a great name for ourselves, so that we may not be wanderers over the face of the earth.
5 – And the Lord came down to see the town and the tower which the children of men were building.
6 – And the Lord said, See, they are all one people and have all one language; and this is only the start of what they may do: and now it will not be possible to keep them from any purpose of theirs.
7 – Come, let us go down and take away the sense of their language, so that they will not be able to make themselves clear to one another.
8 – So the Lord God sent them away into every part of the earth: and they gave up building their town.
9 – So it was named Babel, because there the Lord took away the sense of all languages and from there the Lord sent them away over all the face of the earth.
10 – These are the generations of Shem. Shem was a hundred years old when he became the father of Arpachshad, two years after the great flow of waters;
11 – And after the birth of Arpachshad, Shem went on living for five hundred years, and had sons and daughters:
12 – And Arpachshad was thirty-five years old when he became the father of Shelah:
13 – And after the birth of Shelah, Arpachshad went on living for four hundred and three years, and had sons and daughters:
14 – And Shelah was thirty years old when he became the father of Eber:
15 – And after the birth of Eber, Shelah went on living for four hundred and three years, and had sons and daughters:
16 – And Eber was thirty-four years old when he became the father of Peleg:
17 – And after the birth of Peleg, Eber went on living for four hundred and thirty years, and had sons and daughters:
18 – And Peleg was thirty years old when he became the father of Reu:
19 – And after the birth of Reu, Peleg went on living for two hundred and nine years, and had sons and daughters:
20 – And Reu was thirty-two years old when he became the father of Serug:
21 – And after the birth of Serug, Reu went on living for two hundred and seven years, and had sons and daughters:
22 – And Serug was thirty years old when he became the father of Nahor:
23 – And after the birth of Nahor, Serug went on living for two hundred years, and had sons and daughters:
24 – And Nahor was twenty-nine years old when he became the father of Terah:
25 – And after the birth of Terah, Nahor went on living for a hundred and nineteen years, and had sons and daughters:
26 – And Terah was seventy years old when he became the father of Abram, Nahor, and Haran.
27 – These are the generations of Terah: Terah was the father of Abram, Nahor, and Haran; and Haran was the father of Lot.
28 – And death came to Haran when he was with his father Terah in the land of his birth, Ur of the Chaldees.
29 – And Abram and Nahor took wives for themselves: the name of Abram´s wife was Sarai, and the name of Nahor´s wife was Milcah, the daughter of Haran, the father of Milcah and Iscah.
30 – And Sarai had no child.
31 – And Terah took Abram, his son, and Lot, the son of Haran, and Sarai, his daughter-in-law, the wife of his son Abram and they went out from Ur of the Chaldees, to go to the land of Canaan; and they came to Haran, and were there for some time.
32 – And all the years of Terah´s life were two hundred and five: and Terah came to his end in Haran.

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

Operação Chuva Global de 4 a 14 de janeiro de 2012

Operação Chuva Global de 4 a 14 de janeiro de 2012

dezembro 15, 2011 por 

Imagine milhões de pessoas em todo mundo orando juntas pelo derramamento do Espírito Santo. Esse é o objetivo de uma campanha de oração lançada pela Igreja Adventista em todo mundo que, em 10 dias, reunirá pessoas de vários países para orarem juntas.

Na internet, a campanha está sendo promovida pelo site reavivamentoereforma.com e pela página ttp://www.facebook.com/IgrejaAdventistadoSetimoDia. A Rádio e TV Novo Tempo também estarão incentivando diariamente as pessoas a orar e passarem mais tempo com Deus estudando a Bíblia.

Quem acessa a internet poderá assistir e fazer download de vídeos abordando o tema do dia.

Para cada dia haverá um motivo especial de oração:

04/01 – Intercessão pelo derramamento do Espírito Santo – Hebreus 10:22

05/01 – Entrega pessoal – Tiago 1:6

06/01 – Arrependimento sincero – Daniel 9:4-6

07/01 – Confissão – I João 1:9

08/01 – Amor pelos perdidos – João 17:20 e 21

09/01 – Exame pessoal – problemas com familiares ou membros da igreja – Salmos 51

10/01 – Ajuda financeira para a obra de Deus – Filipenses 2:5-9

11/01 – Obediência – maturidade em Cristo – Romanos 12:1 e 2

12/01 – Ação de graças – cura dos doentes – Filipenses 4:4-6

13/01 – Testemunho apaixonado – missão para o mundo – Romanos 1:16 e 17

 

Veja algumas dicas:

  • Peça a Deus para preparar o seu coração para essa experiência de 10 dias de oração.
  • Forme um grupo de oração. Convide uma ou mais pessoas para acompanhá-lo, ou peça ao pastor de sua igreja para divulgar essa atividade para toda a igreja.
  • Escolha um horário conveniente para que as pessoas que você convidou possam participar com você.
  • Separem uma hora por dia para orar, se possível.
  • Comecem e terminem o momento de oração em grupo com louvores e agradecimentos.
  • Façam orações de frases curtas para que cada pessoa possa orar mais de uma vez e para permitir ao Espírito Santo impressioná-lo como orar.
  • Passem mais tempo efetivamente orando em grupo do que apresentando pedidos de oração.
  • Separe tempo pessoal, particular com Deus, além do tempo de oração em grupo.
  • Pense em adotar algum tipo de jejum, como o de TV, música secular, filmes, Internet, ou sobremesas.
  • Use o tempo extra para orar e ler a Bíblia.
  • Peça a Deus para Se revelar a você.
  • Peça ao pastor de sua igreja para promover os 10 dias de oração na igreja local através de testemunhos de como Deus operou como resultado das orações em grupo.
  • Nos cultos de Sábado durante os 10 dias dêem um destaque especial a oração.
  • Peça a Deus para mostrar-lhe cinco pessoas por quem orar durante os 10 dias.

 

Divulgue:

Related posts:

  1. 2012: fim do mundo?
  2. Terra seca, chuva torrencial
  3. Como orar?
  4. Comunhão e missão
Categorias: MissãoOração Tags: 
Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário

MEDITAÇÃO – MENSAGENS – ANO BÍBLICO

– Meditação Matinal de EGW (Português).:

A Lição de Belém

“Assim também Cristo, oferecendo-Se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que O esperam para salvação”. Heb. 9.28.
No tempo do primeiro advento de Cristo, os sacerdotes e escribas da santa cidade, a quem foram confiados os oráculos de Deus, poderiam ter discernido os sinais dos tempos e proclamado a Vinda do Prometido. A profecia de Miquéias designou o lugar de Seu nascimento (Miquéias 5:2) ; Daniel especificou o tempo em que viria (Daniel 9:25). Deus confiou estas profecias aos dirigentes judeus; estariam sem desculpas se não soubessem nem declarassem ao povo que a vinda do Messias estava às portas. Sua ignorância era o resultado da pecaminosa negligência….
Todo o povo deveria ter estado a vigiar e esperar para que pudessem achar-se entre os primeiros a dar as boas-vindas ao Redentor de mundo. Mas ai em Belém, dois fatigados viajores, procedentes das colinas de Nazaré, percorrem em toda a extensão a estreita rua até à extremidade oriental da cidade, procurando debalde um lugar de repouso e abrigo para a noite. Porta alguma se achava aberta para os receber. Sob miserável telheiro preparado para o gado, encontram finalmente refúgio, e ali nasce o Salvador do mundo….
Evidência alguma há de que Cristo seja esperado, e nenhum preparativo para o Príncipe da Vida. Com espanto está o mensageiro celestial prestes a voltar para o Céu com a desonrosa noticia, quando descobre alguns pastores que, à noite, vigiam seus rebanhos e, mirando o céu bordado de estrelas meditam na profecia do Messias a vir à Terra, anelando o advento do Redentor do mundo. Ali se encontra um grupo que está preparado para receber a mensagem celestial. E subitamente o anjo do Senhor aparece anunciando as boas-novas de grande alegria. …
Oh, que lição encerra a maravilhosa história de Belém! Quanto ela reprova a nossa incredulidade, nosso orgulho e amor-próprio! Quanto nos adverte a nos precavermos para que não aconteça que pela nossa criminosa indiferença deixemos também de discernir os sinais dos tempos, e, portanto, não conheçamos o dia de nossa visitação! – GC, 311, 3.12 e 313.
Ano Bíblico: Gên. 4-7. – Juvenis: Gên. 3 e 4.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=100&p=8

– Meditação Matinal de EGW (Espanhol).:

LA LECCIÓN DE BELÉN

Así también Cristo fue ofrecido una sola vez para llevar los pecados de muchos; y aparecerá por segunda vez, sin relación con el pecado, para salvar a los que le esperan. (Heb. 9: 28).
Cuando se produjo el primer advenimiento de Cristo, los sacerdotes y los fariseos de la ciudad santa, a quienes fueran confiados los oráculos de Dios, habrían podido discernir las señales de los tiempos y proclamar la venida del Mesías prometido. La profecía de Miqueas señalaba el lugar de su nacimiento. (Miq. 5: 2.) Daniel especificaba el tiempo de su advenimiento. (Dan. 9: 25.) Dios había encomendado estas profecías a los caudillos de Israel; no tenían pues excusa por no saber que el Mesías estaba a punto de llegar y por no habérselo dicho al pueblo. Su ignorancia era resultado de culpable descuido. . . Todo el pueblo debería haber estado velando y esperando para hallarse entre los primeros en saludar al Redentor del mundo. En vez de todo esto, vemos, en Belén, a dos caminantes cansados que vienen de los collados de Nazaret, y que recorren toda la longitud de la angosta calle del pueblo hasta el extremo este de la ciudad, buscando en vano lugar de descanso y abrigo para la
noche. Ninguna puerta se abre para recibirlos. En un miserable cobertizo para el ganado, encuentran al fin un refugio, y allí fue donde nació el Salvador del mundo. . .
No hay señales de que se espere a Cristo ni preparativos para recibir al Príncipe de la vida. Asombrado, el mensajero celestial está a punto de volverse al cielo con la vergonzosa noticia, cuando descubre un grupo de pastores que están cuidando sus rebaños durante la noche, y que al contemplar el cielo estrellado, meditan en la profecía de un Mesías que debe venir a la tierra y anhelan el advenimiento del Redentor del mundo. Aquí tenemos un grupo de seres humanos preparados para recibir el mensaje celestial. Y de pronto aparece el ángel del Señor proclamando las buenas nuevas de gran gozo…
¡Oh! ¡Qué lección encierra esta maravillosa historia de Belén! ¡Qué reconvención para nuestra incredulidad, nuestro orgullo y amor propio! ¡Cómo nos amonesta a que tengamos cuidado, no sea que por nuestra criminal indiferencia, nosotros también dejemos de discernir las señales de los tiempos, y no conozcamos el día de nuestra visitación!*

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=101&p=8

– Meditação Matinal de EGW (Inglês).:

January 2 – The Lesson of Bethlehem

Christ was once offered to bear the sins of many; and unto them that look for him shall he appear the second time without sin unto salvation. Heb. 9:28.
At the time of Christ”s first advent the priests and scribes of the Holy City, to whom were entrusted the oracles of God, might have discerned the signs of the times and proclaimed the coming of the Promised One. The prophecy of Micah designated His birthplace; Daniel specified the time of His advent. God committed these prophecies to the Jewish leaders; they were without excuse if they did not know and declare to the people that the Messiah”s coming was at hand. Their ignorance was the result of sinful neglect…. {Mar 10.1}
All the people should have been watching and waiting that they might be among the first to welcome the world”s Redeemer. But, lo, at Bethlehem two weary travellers from the hills of Nazareth traverse the whole length of the narrow street to the eastern extremity of the town, vainly seeking a place of rest and shelter for the night. No doors are open to receive them. In a wretched hovel prepared for cattle, they at last find refuge, and there the Saviour of the world is born…. {Mar 10.2}
There is no evidence that Christ is expected, and no preparation for the Prince of life. In amazement the celestial messenger is about to return to heaven with the shameful tidings, when he discovers a group of shepherds who are watching their flocks by night, and as they gaze into the starry heavens, are contemplating the prophecy of a Messiah to come to earth, and longing for the advent of the world”s Redeemer. Here is a company that is prepared to receive the heavenly message. And suddenly the angel of the Lord appears, declaring the good tidings of great joy…. {Mar 10.3}
Oh, what a lesson is this wonderful story of Bethlehem! How it rebukes our unbelief, our pride and self-sufficiency. How it warns us to beware, lest by our criminal indifference we also fail to discern the signs of the times, and therefore know not the day of our visitation. {Mar 10.4}

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=129&p=8

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

– Mensagens para Evangelistas.:

Aquele que serve sob a ensangüentada bandeira de Emanuel, tem de fazer muitas vezes coisas que requerem esforço heróico e paciente perseverança. Mas o soldado da cruz permanece sem recuos na frente da batalha. Ao ativar o inimigo o ataque contra ele, volve à Fortaleza em busca de socorro; e ao apresentar ao Senhor as promessas de Sua Palavra, é fortalecido para os deveres do momento. Ele compreende sua necessidade de forças de cima. As vitórias que alcança, não o levam a exaltar-se, mas induzem-no a apoiar-se cada vez mais firmemente nAquele que é poderoso. Confiando nesse poder, é habilitado a apresentar a mensagem de salvação tão eficazmente, que tange nos outros espíritos uma corda correspondente. Obreiros Evangélicos, pág. 16.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=49&p=16

– Mensagens para Jovens.:

Quando os jovens procuram desligar-se do domínio de Satanás, ele redobra suas tentações. Tomando vantagem de sua ignorância e inexperiência, procura obscurecer a distinção entre o bem e o mal. Transforma-se em anjo de luz e atrai com promessas de prazeres, para o caminho proibido. Se os jovens formaram o hábito de seguir à inclinação de preferência ao dever, acharão muito difícil resistir à tentação. Não vêem o perigo que há em condescender, mesmo uma só vez, com prazeres proibidos. As sugestões de Satanás despertarão todos os elementos de maldade que estão adormecidos no coração. The Signs of the Times, 19 de janeiro de 1882 e Mensagens aos Jovens, pág. 82.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=6&p=82

– Mensagens para Namorados.:

Noivado com Infiéis: Prezada irmã L.: Eu soube de teu planejado casamento com pessoa que não se te acha unida na fé religiosa, e receio que não tenhas pesado cuidadosamente esta importante questão. Antes de dar um passo que há de exercer influência sobre toda a tua vida futura, insto contigo para que dês ao caso cuidadoso estudo e oração. Demonstrar-se-á este novo parentesco uma fonte de verdadeira felicidade? Ser-te-á um auxílio na vida cristã? Será agradável a Deus? Será teu exemplo de molde que possa com segurança ser seguido por outros? Mensagens aos Jovens, pág. 439.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=6&p=439

– Mensagens para Pais.:

Uma grande causa do deplorável estado de coisas existentes é que os pais não se sentem na obrigação de criar os filhos em conformidade com as leis físicas. As mães amam esses filhos com amor idólatra, e são complacentes com o apetite deles quando sabem que isso é nocivo à saúde, trazendo assim sobre eles doença e infelicidade. Essa cruel bondade manifesta-se em grande escala na geração atual. Os desejos das crianças são satisfeitos à custa da saúde e do bom temperamento, porque é mais fácil para a mãe, no momento, satisfazê-las do que negar aquilo que elas pedem. Assim semeiam elas próprias a semente que brotará e dará frutos. Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 82.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=37&p=82

– Mensagens sobre Escola Sabatina.:

O estudante da Escola Sabatina deve sentir tão integral fervor para tornar-se inteligente no conhecimento das Escrituras como em destacar-se no estudo das ciências. Se um deve ser negligenciado, sejam as lições dos seis dias. A exortação de nosso Salvador deve ser religiosamente considerada por todo homem, mulher e criança que professa Seu nome. Conselhos Sobre a Escola Sabatina, pág. 18.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=15&p=18

– Mensagens sobre Saúde.:

Tomada a refeição regular, deve-se permitir ao estômago um descanso de cinco horas. Nenhuma partícula de alimento deve ser introduzida no estômago até a próxima refeição. Neste intervalo o estômago efetuará seu trabalho, estando então em condições de receber mais alimento. Conselhos Sobre o Regime Alimentar, pág. 179.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=17&p=179

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

– Ano Bíblico (Português).:

Livro de Gênesis

Capítulo 4

1 – Conheceu Adão a Eva, sua mulher; ela concebeu e, tendo dado à luz a Caim, disse: Alcancei do Senhor um varão.
2 – Tornou a dar à luz a um filho-a seu irmão Abel. Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra.
3 – Ao cabo de dias trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor.
4 – Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura. Ora, atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta,
5 – mas para Caim e para a sua oferta não atentou. Pelo que irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante.
6 – Então o Senhor perguntou a Caim: Por que te iraste? e por que está descaído o teu semblante?
7 – Porventura se procederes bem, não se há de levantar o teu semblante? e se não procederes bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo; mas sobre ele tu deves dominar.
8 – Falou Caim com o seu irmão Abel. E, estando eles no campo, Caim se levantou contra o seu irmão Abel, e o matou.
9 – Perguntou, pois, o Senhor a Caim: Onde está Abel, teu irmão? Respondeu ele: Não sei; sou eu o guarda do meu irmão?
10 – E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue de teu irmão está clamando a mim desde a terra.
11 – Agora maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para da tua mão receber o sangue de teu irmão.
12 – Quando lavrares a terra, não te dará mais a sua força; fugitivo e vagabundo serás na terra.
13 – Então disse Caim ao Senhor: É maior a minha punição do que a que eu possa suportar.
14 – Eis que hoje me lanças da face da terra; também da tua presença ficarei escondido; serei fugitivo e vagabundo na terra; e qualquer que me encontrar matar-me-á.
15 – O Senhor, porém, lhe disse: Portanto quem matar a Caim, sete vezes sobre ele cairá a vingança. E pôs o Senhor um sinal em Caim, para que não o ferisse quem quer que o encontrasse.
16 – Então saiu Caim da presença do Senhor, e habitou na terra de Node, ao oriente do Éden.
17 – Conheceu Caim a sua mulher, a qual concebeu, e deu à luz a Enoque. Caim edificou uma cidade, e lhe deu o nome do filho, Enoque.
18 – A Enoque nasceu Irade, e Irade gerou a Meujael, e Meujael gerou a Metusael, e Metusael gerou a Lameque.
19 – Lameque tomou para si duas mulheres: o nome duma era Ada, e o nome da outra Zila.
20 – E Ada deu à luz a Jabal; este foi o pai dos que habitam em tendas e possuem gado.
21 – O nome do seu irmão era Jubal; este foi o pai de todos os que tocam harpa e flauta.
22 – A Zila também nasceu um filho, Tubal-Caim, fabricante de todo instrumento cortante de cobre e de ferro; e a irmã de Tubal-Caim foi Naamá.
23 – Disse Lameque a suas mulheres: Ada e Zila, ouvi a minha voz; escutai, mulheres de Lameque, as minhas palavras; pois matei um homem por me ferir, e um mancebo por me pisar.
24 – Se Caim há de ser vingado sete vezes, com certeza Lameque o será setenta e sete vezes.
25 – Tornou Adão a conhecer sua mulher, e ela deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Sete; porque, disse ela, Deus me deu outro filho em lugar de Abel; porquanto Caim o matou.
26 – A Sete também nasceu um filho, a quem pôs o nome de Enos. Foi nesse tempo, que os homens começaram a invocar o nome do Senhor.

Capítulo 5

1 – Este é o livro das gerações de Adão. No dia em que Deus criou o homem, à semelhança de Deus o fez.
2 – Homem e mulher os criou; e os abençoou, e os chamou pelo nome de homem, no dia em que foram criados.
3 – Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme a sua imagem, e pôs-lhe o nome de Sete.
4 – E foram os dias de Adão, depois que gerou a Sete, oitocentos anos; e gerou filhos e filhas.
5 – Todos os dias que Adão viveu foram novecentos e trinta anos; e morreu.
6 – Sete viveu cento e cinco anos, e gerou a Enos.
7 – Viveu Sete, depois que gerou a Enos, oitocentos e sete anos; e gerou filhos e filhas.
8 – Todos os dias de Sete foram novecentos e doze anos; e morreu.
9 – Enos viveu noventa anos, e gerou a Quenã.
10 – viveu Enos, depois que gerou a Quenã, oitocentos e quinze anos; e gerou filhos e filhas.
11 – Todos os dias de Enos foram novecentos e cinco anos; e morreu.
12 – Quenã viveu setenta anos, e gerou a Maalalel.
13 – Viveu Quenã, depois que gerou a Maalalel, oitocentos e quarenta anos, e gerou filhos e filhas.
14 – Todos os dias de Quenã foram novecentos e dez anos; e morreu.
15 – Maalalel viveu sessenta e cinco anos, e gerou a Jarede.
16 – Viveu Maalalel, depois que gerou a Jarede, oitocentos e trinta anos; e gerou filhos e filhas.
17 – Todos os dias de Maalalel foram oitocentos e noventa e cinco anos; e morreu.
18 – Jarede viveu cento e sessenta e dois anos, e gerou a Enoque.
19 – Viveu Jarede, depois que gerou a Enoque, oitocentos anos; e gerou filhos e filhas.
20 – Todos os dias de Jarede foram novecentos e sessenta e dois anos; e morreu.
21 – Enoque viveu sessenta e cinco anos, e gerou a Matusalém.
22 – Andou Enoque com Deus, depois que gerou a Matusalém, trezentos anos; e gerou filhos e filhas.
23 – Todos os dias de Enoque foram trezentos e sessenta e cinco anos;
24 – Enoque andou com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus o tomou.
25 – Matusalém viveu cento e oitenta e sete anos, e gerou a Lameque.
26 – Viveu Matusalém, depois que gerou a Lameque, setecentos e oitenta e dois anos; e gerou filhos e filhas.
27 – Todos os dias de Matusalém foram novecentos e sessenta e nove anos; e morreu.
28 – Lameque viveu cento e oitenta e dois anos, e gerou um filho,
29 – a quem chamou Noé, dizendo: Este nos consolará acerca de nossas obras e do trabalho de nossas mãos, os quais provêm da terra que o Senhor amaldiçoou.
30 – Viveu Lameque, depois que gerou a Noé, quinhentos e noventa e cinco anos; e gerou filhos e filhas.
31 – Todos os dias de Lameque foram setecentos e setenta e sete anos; e morreu.
32 – E era Noé da idade de quinhentos anos; e gerou Noé a Sem, Cão e Jafé.

Capítulo 6

1 – Sucedeu que, quando os homens começaram a multiplicar-se sobre a terra, e lhes nasceram filhas,
2 – viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram.
3 – Então disse o Senhor: O meu Espírito não permanecerá para sempre no homem, porquanto ele é carne, mas os seus dias serão cento e vinte anos.
4 – Naqueles dias estavam os nefilins na terra, e também depois, quando os filhos de Deus conheceram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos. Esses nefilins eram os valentes, os homens de renome, que houve na antigüidade.
5 – Viu o Senhor que era grande a maldade do homem na terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era má continuamente.
6 – Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem na terra, e isso lhe pesou no coração
7 – E disse o Senhor: Destruirei da face da terra o homem que criei, tanto o homem como o animal, os répteis e as aves do céu; porque me arrependo de os haver feito.
8 – Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor.
9 – Estas são as gerações de Noé. Era homem justo e perfeito em suas gerações, e andava com Deus.
10 – Gerou Noé três filhos: Sem, Cão e Jafé.
11 – A terra, porém, estava corrompida diante de Deus, e cheia de violência.
12 – Viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque toda a carne havia corrompido o seu caminho sobre a terra.
13 – Então disse Deus a Noé: O fim de toda carne é chegado perante mim; porque a terra está cheia da violência dos homens; eis que os destruirei juntamente com a terra.
14 – Faze para ti uma arca de madeira de gôfer: farás compartimentos na arca, e a revestirás de betume por dentro e por fora.
15 – Desta maneira a farás: o comprimento da arca será de trezentos côvados, a sua largura de cinqüenta e a sua altura de trinta.
16 – Farás na arca uma janela e lhe darás um côvado de altura; e a porta da arca porás no seu lado; fá-la-ás com andares, baixo, segundo e terceiro.
17 – Porque eis que eu trago o dilúvio sobre a terra, para destruir, de debaixo do céu, toda a carne em que há espírito de vida; tudo o que há na terra expirará.
18 – Mas contigo estabelecerei o meu pacto; entrarás na arca, tu e contigo teus filhos, tua mulher e as mulheres de teus filhos.
19 – De tudo o que vive, de toda a carne, dois de cada espécie, farás entrar na arca, para os conservares vivos contigo; macho e fêmea serão.
20 – Das aves segundo as suas espécies, do gado segundo as suas espécies, de todo réptil da terra segundo as suas espécies, dois de cada espécie virão a ti, para os conservares em vida.
21 – Leva contigo de tudo o que se come, e ajunta-o para ti; e te será para alimento, a ti e a eles.
22 – Assim fez Noé; segundo tudo o que Deus lhe mandou, assim o fez.

Capítulo 7

1 – Depois disse o Senhor a Noé: Entra na arca, tu e toda a tua casa, porque tenho visto que és justo diante de mim nesta geração.
2 – De todos os animais limpos levarás contigo sete e sete, o macho e sua fêmea; mas dos animais que não são limpos, dois, o macho e sua fêmea;
3 – também das aves do céu sete e sete, macho e fêmea, para se conservar em vida sua espécie sobre a face de toda a terra.
4 – Porque, passados ainda sete dias, farei chover sobre a terra quarenta dias e quarenta noites, e exterminarei da face da terra todas as criaturas que fiz.
5 – E Noé fez segundo tudo o que o Senhor lhe ordenara.
6 – Tinha Noé seiscentos anos de idade, quando o dilúvio veio sobre a terra.
7 – Noé entrou na arca com seus filhos, sua mulher e as mulheres de seus filhos, por causa das águas do dilúvio.
8 – Dos animais limpos e dos que não são limpos, das aves, e de todo réptil sobre a terra,
9 – entraram dois a dois para junto de Noé na arca, macho e fêmea, como Deus ordenara a Noé.
10 – Passados os sete dias, vieram sobre a terra as águas do dilúvio.
11 – No ano seiscentos da vida de Noé, no mês segundo, aos dezessete dias do mês, romperam-se todas as fontes do grande abismo, e as janelas do céu se abriram,
12 – e caiu chuva sobre a terra quarenta dias e quarenta noites.
13 – Nesse mesmo dia entrou Noé na arca, e juntamente com ele seus filhos Sem, Cão e Jafé, como também sua mulher e as três mulheres de seus filhos,
14 – e com eles todo animal segundo a sua espécie, todo o gado segundo a sua espécie, todo réptil que se arrasta sobre a terra segundo a sua espécie e toda ave segundo a sua espécie, pássaros de toda qualidade.
15 – Entraram para junto de Noé na arca, dois a dois de toda a carne em que havia espírito de vida.
16 – E os que entraram eram macho e fêmea de toda a carne, como Deus lhe tinha ordenado; e o Senhor o fechou dentro.
17 – Veio o dilúvio sobre a terra durante quarenta dias; e as águas cresceram e levantaram a arca, e ela se elevou por cima da terra.
18 – Prevaleceram as águas e cresceram grandemente sobre a terra; e a arca vagava sobre as águas.
19 – As águas prevaleceram excessivamente sobre a terra; e todos os altos montes que havia debaixo do céu foram cobertos.
20 – Quinze côvados acima deles prevaleceram as águas; e assim foram cobertos.
21 – Pereceu toda a carne que se movia sobre a terra, tanto ave como gado, animais selvagens, todo réptil que se arrasta sobre a terra, e todo homem.
22 – Tudo o que tinha fôlego do espírito de vida em suas narinas, tudo o que havia na terra seca, morreu.
23 – Assim foram exterminadas todas as criaturas que havia sobre a face da terra, tanto o homem como o gado, o réptil, e as aves do céu; todos foram exterminados da terra; ficou somente Noé, e os que com ele estavam na arca.
24 – E prevaleceram as águas sobre a terra cento e cinqüenta dias.

– Pergunta sobre o Ano Bíblico.:

Como se chamava o filho de Caim?
Resposta: Enoque (Gênesis 4:17)

– Curiosidades Bíblicas.:

Quem ficou mudo após falar com um anjo?
Resposta: Zacarias. Lucas 1:18,19,20.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/biblia.asp?lista=1&livro=42&capitulo=1

– Versos Bíblicos.:

Eu louvarei ao Senhor segundo a sua justiça, e cantarei louvores ao nome do Senhor, o Altíssimo. Salmos 7:17

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/biblia.asp?lista=1&livro=19&capitulo=7&verso=17

– Ano Bíblico (Espanhol).:

Libro de Gênesis

Capítulo 4

1 – El hombre Conoció a Eva su mujer, la cual Concibió y dio a luz a Caín. Entonces ella dijo: “¡He adquirido un Varón de parte de Jehovah!”
2 – Después dio a luz a su hermano Abel. Y Abel fue pastor de ovejas, y Caín labrador de la tierra.
3 – Aconteció después de un tiempo que Caín trajo, del fruto de la tierra, una ofrenda a Jehovah.
4 – Abel también trajo una ofrenda de los primerizos de sus ovejas, lo mejor de ellas. Y Jehovah Miró con agrado a Abel y su ofrenda,
5 – pero no Miró con agrado a Caín ni su ofrenda. Por eso Caín se Enfureció mucho, y Decayó su semblante.
6 – Entonces Jehovah dijo a Caín: –¿Por qué te has enfurecido? ¿Por qué ha Decaído tu semblante?
7 – Si haces lo bueno, ¿no Serás enaltecido? Pero si no haces lo bueno, el pecado Está a la puerta y te Seducirá; pero Tú debes enseñorearte de él.
8 – Caín Habló con su hermano Abel. Y Sucedió que estando juntos en el campo, Caín se Levantó contra su hermano Abel y lo Mató.
9 – Entonces Jehovah Preguntó a Caín: –¿Dónde Está tu hermano Abel? Y Respondió: –No sé. ¿Soy yo acaso el guarda de mi hermano?
10 – Le Preguntó: –¿Qué has hecho? La voz de la sangre de tu hermano clama a Mí desde la tierra.
11 – Ahora pues, maldito seas Tú, lejos de la tierra que Abrió su boca para recibir de tu mano la sangre de tu hermano.
12 – Cuando trabajes la tierra, ella no te Volverá a dar su fuerza. Y Serás errante y fugitivo en la tierra.
13 – Caín dijo a Jehovah: –¡Grande es mi castigo para ser soportado!
14 – He Aquí que me echas hoy de la faz de la tierra, y me esconderé de tu presencia. Seré errante y fugitivo en la tierra, y Sucederá que cualquiera que me halle me Matará.
15 – Jehovah le Respondió: –No Será Así. Cualquiera que mate a Caín Será castigado siete veces. Entonces Jehovah puso una señal sobre Caín, para que no lo matase cualquiera que lo hallase.
16 – Así Partió Caín de delante de Jehovah, y Habitó en la tierra de Nod, al oriente de Edén.
17 – Caín Conoció a su mujer, y ella Concibió y dio a luz a Enoc. Caín Edificó una ciudad a la cual Llamó Según el nombre de su hijo Enoc.
18 – A Enoc le Nació Irad. E Irad Engendró a Mejuyael. Mejuyael Engendró a Metusael. Y Metusael Engendró a Lamec.
19 – Lamec Tomó para Sí dos mujeres. El nombre de la una fue Ada; y el nombre de la otra, Zila.
20 – Ada dio a luz a Jabal, quien Llegó a ser el padre de los que habitan en tiendas y Crían ganado.
21 – El nombre de su hermano fue Jubal, quien Llegó a ser padre de todos los que tocan el arpa y la flauta.
22 – Zila también dio a luz a Tubal-Caín, maestro de todos los que trabajan el bronce y el hierro. Y la hermana de Tubal-Caín fue Naama.
23 – Entonces Lamec dijo a sus mujeres: “Ada y Zila, Oíd mi voz. Oh mujeres de Lamec, escuchad mi dicho: Yo maté a un hombre, porque me Hirió; maté a un muchacho, porque me Golpeó.
24 – Si Caín ha de ser vengado siete veces, Lamec lo Será setenta y siete veces.”
25 – Adán Conoció de nuevo a su mujer, y ella dio a luz un hijo y Llamó su nombre Set, diciendo: “Porque Dios me ha sustituido otro hijo en lugar de Abel, a quien Mató Caín.”
26 – A Set también le Nació un hijo, y Llamó su nombre Enós. Entonces se Comenzó a invocar el nombre de Jehovah.

Capítulo 5

1 – Este es el libro de los descendientes de Adán: Cuando Dios Creó al hombre, lo hizo a semejanza de Dios.
2 – Hombre y mujer los Creó, y los bendijo. Y el Día que fueron creados, Llamó el nombre de ellos Hombre.
3 – Cuando Adán Tenía 130 años, Engendró un hijo a su semejanza, conforme a su imagen, y Llamó su nombre Set.
4 – Los años que Vivió Adán después de engendrar a Set fueron 800, y Engendró hijos e hijas.
5 – Todos los años que Vivió Adán fueron 930, y Murió.
6 – Cuando Set Tenía 105 años, Engendró a Enós.
7 – Set Vivió después de engendrar a Enós 807 años, y Engendró hijos e hijas.
8 – Todos los años de Set fueron 912, y Murió.
9 – Cuando Enós Tenía 90 años, Engendró a Cainán.
10 – Enós Vivió después de engendrar a Cainán 815 años, y Engendró hijos e hijas.
11 – Todos los años de Enós fueron 905, y Murió.
12 – Cuando Cainán Tenía 70 años, Engendró a Mahalaleel.
13 – Cainán Vivió después de engendrar a Mahalaleel 840 años, y Engendró hijos e hijas.
14 – Todos los años de Cainán fueron 910, y Murió.
15 – Cuando Mahalaleel Tenía 65 años, Engendró a Jared.
16 – Mahalaleel Vivió después de engendrar a Jared 830 años, y Engendró hijos e hijas.
17 – Todos los años de Mahalaleel fueron 895, y Murió.
18 – Cuando Jared Tenía 162 años, Engendró a Enoc.
19 – Jared Vivió después de engendrar a Enoc 800 años, y Engendró hijos e hijas.
20 – Todos los años de Jared fueron 962, y Murió.
21 – Cuando Enoc Tenía 65 años, Engendró a Matusalén.
22 – Enoc Caminó con Dios 300 años después de engendrar a Matusalén, y Engendró hijos e hijas.
23 – Todos los años de Enoc fueron 365 años.
24 – Caminó, pues, Enoc con Dios y Desapareció, porque Dios lo Llevó consigo.
25 – Cuando Matusalén Tenía 187 años, Engendró a Lamec.
26 – Matusalén Vivió después de engendrar a Lamec 782 años, y Engendró hijos e hijas.
27 – Todos los años de Matusalén fueron 969, y Murió.
28 – Cuando Lamec Tenía 182 años, Engendró un hijo,
29 – y Llamó su nombre Noé diciendo: “Este nos Aliviará de nuestras obras y de la penosa labor de nuestras manos, a causa de la tierra que Jehovah maldijo.”
30 – Lamec Vivió después de engendrar a Noé 595 años, y Engendró hijos e hijas.
31 – Todos los años de Lamec fueron 777, y Murió.
32 – Cuando Noé Tenía 500 años, Engendró a Sem, a Cam y a Jafet.

Capítulo 6

1 – Aconteció que cuando los hombres comenzaron a multiplicarse sobre la faz de la tierra, les nacieron hijas.
2 – Y viendo los hijos de Dios que las hijas de los hombres eran bellas, tomaron para Sí mujeres, escogiendo entre todas.
3 – Entonces Jehovah dijo: “No Contenderá para siempre mi Espíritu con el hombre, por cuanto él es carne, y su vida Será de 120 años.”
4 – En aquellos Días Había gigantes en la tierra, y aun después, cuando se unieron los hijos de Dios con las hijas de los hombres y les nacieron hijos. Ellos eran los héroes que desde la antigüedad fueron hombres de renombre.
5 – Jehovah vio que la maldad del hombre era mucha en la tierra, y que toda tendencia de los pensamientos de su Corazón era de continuo Sólo al mal.
6 – Entonces Jehovah Lamentó haber hecho al hombre en la tierra, y le Dolió en su Corazón.
7 – Y dijo Jehovah: “Arrasaré de la faz de la tierra los seres que he creado, desde el hombre hasta el ganado, los reptiles y las aves del cielo; porque lamento haberlos hecho.”
8 – Pero Noé Halló gracia ante los ojos de Jehovah.
9 – Esta es la historia de Noé: Noé era un hombre justo y cabal en su Generación; Noé caminaba con Dios.
10 – Noé Engendró tres hijos: Sem, Cam y Jafet.
11 – La tierra estaba corrompida delante de Dios; estaba llena de violencia.
12 – Dios Miró la tierra, y he Aquí que estaba corrompida, porque toda carne Había corrompido su camino sobre la tierra.
13 – Entonces Dios dijo a Noé: “He decidido el final de toda carne, porque la tierra Está llena de violencia por culpa de ellos. He Aquí que los destruiré junto con la tierra.
14 – Hazte un arca de madera de árbol Conífero. Haz compartimentos al arca, y Cúbrela con brea por dentro y por fuera.
15 – Hazla de esta manera: de 300 codos de largo, 50 codos de ancho y 30 codos de alto.
16 – Hazle una claraboya y Termínala a un codo de la parte alta. La puerta del arca Estará a uno de sus lados. Construye también un piso bajo, uno intermedio y uno superior.
17 – Porque he Aquí, yo voy a traer un diluvio de aguas sobre la tierra, para destruir toda carne en la cual hay aliento de vida debajo del cielo. Todo lo que hay en la tierra Morirá.
18 – Pero estableceré mi pacto contigo. Entraréis en el arca Tú, tus hijos, tu mujer y las mujeres de tus hijos contigo.
19 – De todo ser viviente, de toda carne, Meterás en el arca dos de cada especie, para que sobrevivan contigo. Serán macho y hembra:
20 – de las aves Según su especie; del ganado Según su especie; de todo animal que se desplaza en la tierra, Según su especie. Dos de cada especie Vendrán a ti para sobrevivir.
21 – Toma contigo toda clase de alimentos para comer, y almacénalos para que te sirvan de comida a ti y a ellos.”
22 – Y Noé hizo conforme a todo lo que Dios le Mandó; Así lo hizo.

Capítulo 7

1 – Entonces Jehovah dijo a Noé: “Entra en el arca Tú, y toda tu familia, porque he visto que Tú eres justo delante de Mí en esta Generación.
2 – De todo animal limpio toma contigo siete parejas, el macho y su hembra; pero de los animales que no son limpios Sólo una pareja, el macho y su hembra.
3 – De las aves del cielo toma también siete parejas, macho y hembra, para preservar la especie sobre la faz de la tierra.
4 – Porque después de siete Días yo haré llover sobre la tierra durante cuarenta Días y cuarenta noches, y arrasaré de la faz de la tierra todo ser viviente que he hecho.”
5 – Y Noé hizo conforme a todo lo que Jehovah le Mandó.
6 – Noé Tenía 600 años cuando vino el diluvio de aguas sobre la tierra.
7 – Noé Entró en el arca, y con él sus hijos, su mujer y las mujeres de sus hijos, por causa de las aguas del diluvio.
8 – De los animales limpios y de los animales no limpios, de las aves y de todo lo que se desplaza sobre la tierra,
9 – de dos en dos entraron en el arca con Noé, macho y hembra, como Dios Había mandado a Noé.
10 – Y Sucedió que a los siete Días vinieron sobre la tierra las aguas del diluvio.
11 – El Día 17 del mes segundo del año 600 de la vida de Noé, en este Día fueron rotas todas las fuentes del gran océano y fueron abiertas las ventanas de los cielos.
12 – Y hubo lluvia sobre la tierra durante cuarenta Días y cuarenta noches.
13 – En este mismo Día entraron en el arca Noé, sus hijos Sem, Cam y Jafet, la mujer de Noé y las tres mujeres de sus hijos con ellos.
14 – Entraron ellos y todos los animales Según su especie, todos los animales domésticos Según su especie, todos los animales que se desplazan sobre la tierra Según su especie, todas las aves Según su especie, y todo Pájaro, todo lo que tiene alas.
15 – Y vinieron al arca, a Noé, de dos en dos, de todos los seres que respiran.
16 – Vinieron macho y hembra de todo animal, como Dios le Había mandado. Y Jehovah le Cerró la puerta.
17 – El diluvio Duró cuarenta Días sobre la tierra. Las aguas crecieron y levantaron el arca, y se Elevó sobre la tierra.
18 – Las aguas crecieron y se incrementaron tanto sobre la tierra que el arca flotaba sobre la superficie de las aguas.
19 – Las aguas subieron tanto sobre la tierra que las montañas Más altas debajo de todos los cielos fueron cubiertas.
20 – Las montañas fueron cubiertas, y las aguas crecieron quince codos por encima.
21 – Y Murió todo ser que se desplaza sobre la tierra, tanto las aves como el ganado, las fieras, los animales que se desplazan sobre la tierra y todos los hombres.
22 – Murió todo cuanto Tenía aliento de vida en sus narices, todo lo que Había en la tierra seca.
23 – Así fue arrasado de la faz de la tierra todo ser viviente. Fueron arrasados de la tierra desde el hombre hasta el ganado, los reptiles y las aves del cielo. Sólo quedaron Noé y los que estaban con él en el arca.
24 – Y las aguas prevalecieron sobre la tierra durante 150 Días.

– Ano Bíblico (Inglês).:

Book of Gênesis

Chapter 4

1 – And the man had connection with Eve his wife, and she became with child and gave birth to Cain, and said, I have got a man from the Lord.
2 – Then again she became with child and gave birth to Abel, his brother. And Abel was a keeper of sheep, but Cain was a farmer.
3 – And after a time, Cain gave to the Lord an offering of the fruits of the earth.
4 – And Abel gave an offering of the young lambs of his flock and of their fat. And the Lord was pleased with Abel´s offering;
5 – But in Cain and his offering he had no pleasure. And Cain was angry and his face became sad.
6 – And the Lord said to Cain, Why are you angry? and why is your face sad?
7 – If you do well, will you not have honour? and if you do wrong, sin is waiting at the door, desiring to have you, but do not let it be your master.
8 – And Cain said to his brother, Let us go into the field: and when they were in the field, Cain made an attack on his brother Abel and put him to death.
9 – And the Lord said to Cain, Where is your brother Abel? And he said, I have no idea: am I my brother´s keeper?
10 – And he said, What have you done? the voice of your brother´s blood is crying to me from the earth.
11 – And now you are cursed from the earth, whose mouth is open to take your brother´s blood from your hand;
12 – No longer will the earth give you her fruit as the reward of your work; you will be a wanderer in flight over the earth.
13 – And Cain said, My punishment is greater than my strength.
14 – You have sent me out this day from the face of the earth and from before your face; I will be a wanderer in flight over the earth, and whoever sees me will put me to death.
15 – And the Lord said, Truly, if Cain is put to death, seven lives will be taken for his. And the Lord put a mark on Cain so that no one might put him to death.
16 – And Cain went away from before the face of the Lord, and made his living-place in the land of Nod on the east of Eden.
17 – And Cain had connection with his wife and she became with child and gave birth to Enoch: and he made a town, and gave the town the name of Enoch after his son.
18 – And Enoch had a son Irad: and Irad became the father of Mehujael: and Mehujael became the father of Methushael: and Methushael became the father of Lamech.
19 – And Lamech had two wives; the name of the one was Adah, and the name of the other Zillah.
20 – And Adah gave birth to Jabal: he was the father of such as are living in tents and keep cattle.
21 – And his brother´s name was Jubal: he was the father of all players on instruments of music.
22 – And Zillah gave birth to Tubal-cain, who is the father of every maker of cutting instruments of brass and iron: and the sister of Tubal-cain was Naamah.
23 – And Lamech said to his wives, Adah and Zillah, give ear to my voice; you wives of Lamech, give attention to my words, for I would put a man to death for a wound, and a young man for a blow;
24 – If seven lives are to be taken as punishment for Cain´s death, seventy-seven will be taken for Lamech´s.
25 – And Adam had connection with his wife again, and she gave birth to a son to whom she gave the name of Seth: for she said, God has given me another seed in place of Abel, whom Cain put to death.
26 – And Seth had a son, and he gave him the name of Enosh: at this time men first made use of the name of the Lord in worship.

Chapter 5

1 – This is the book of the generations of Adam. In the day when God made man, he made him in the image of God;
2 – Male and female he made them, naming them Man, and giving them his blessing on the day when they were made.
3 – Adam had been living for a hundred and thirty years when he had a son like himself, after his image, and gave him the name of Seth:
4 – And after the birth of Seth, Adam went on living for eight hundred years, and had sons and daughters:
5 – And all the years of Adam´s life were nine hundred and thirty: and he came to his end.
6 – And Seth was a hundred and five years old when he became the father of Enosh:
7 – And he went on living after the birth of Enosh for eight hundred and seven years, and had sons and daughters:
8 – And all the years of Seth´s life were nine hundred and twelve: and he came to his end.
9 – And Enosh was ninety years old when he became the father of Kenan:
10 – And after the birth of Kenan, Enosh went on living for eight hundred and fifteen years, and had sons and daughters:
11 – And all the years of Enosh were nine hundred and five: and he came to his end.
12 – And Kenan was seventy years old when he became the father of Mahalalel:
13 – And after the birth of Mahalalel, Kenan went on living for eight hundred and forty years, and had sons and daughters:
14 – And all the years of Kenan´s life were nine hundred and ten; and he came to his end.
15 – And Mahalalel was sixty-five years old when he became the father of Jared:
16 – And after the birth of Jared, Mahalalel went on living for eight hundred and thirty years, and had sons and daughters:
17 – And all the years of Mahalalel´s life were eight hundred and ninety-five: and he came to his end.
18 – And Jared was a hundred and sixty-two years old when he became the father of Enoch:
19 – And Jared went on living after the birth of Enoch for eight hundred years, and had sons and daughters:
20 – And all the years of Jared´s life were nine hundred and sixty-two: and he came to his end.
21 – And Enoch was sixty-five years old when he became the father of Methuselah:
22 – And after the birth of Methuselah, Enoch went on in God´s ways for three hundred years, and had sons and daughters:
23 – And all the years of Enoch´s life were three hundred and sixty-five:
24 – And Enoch went on in God´s ways: and he was not seen again, for God took him.
25 – And Methuselah was a hundred and eighty-seven years old when he became the father of Lamech:
26 – And after the birth of Lamech, Methuselah went on living for seven hundred and eighty-two years, and had sons and daughters:
27 – And all the years of Methuselah´s life were nine hundred and sixty-nine: and he came to his end.
28 – And Lamech was a hundred and eighty-two years old when he had a son:
29 – And he gave him the name of Noah, saying, Truly, he will give us rest from our trouble and the hard work of our hands, because of the earth which was cursed by God.
30 – And after the birth of Noah, Lamech went on living for five hundred and ninety-five years, and had sons and daughters:
31 – And all the years of Lamech´s life were seven hundred and seventy-seven: and he came to his end.
32 – And when Noah was five hundred years old, he became the father of Shem, Ham, and Japheth.

Chapter 6

1 – And after a time, when men were increasing on the earth, and had daughters,
2 – The sons of God saw that the daughters of men were fair; and they took wives for themselves from those who were pleasing to them.
3 – And the Lord said, My spirit will not be in man for ever, for he is only flesh; so the days of his life will be a hundred and twenty years.
4 – There were men of great strength and size on the earth in those days; and after that, when the sons of God had connection with the daughters of men, they gave birth to children: these were the great men of old days, the men of great name.
5 – And the Lord saw that the sin of man was great on the earth, and that all the thoughts of his heart were evil.
6 – And the Lord had sorrow because he had made man on the earth, and grief was in his heart.
7 – And the Lord said, I will take away man, whom I have made, from the face of the earth, even man and beast and that which goes on the earth and every bird of the air; for I have sorrow for having made them.
8 – But Noah had grace in the eyes of God.
9 – These are the generations of Noah. Noah was an upright man and without sin in his generation: he went in the ways of God.
10 – And Noah had three sons, Shem, Ham, and Japheth.
11 – And the earth was evil in God´s eyes and full of violent ways.
12 – And God, looking on the earth, saw that it was evil: for the way of all flesh had become evil on the earth.
13 – And God said to Noah, The end of all flesh has come; the earth is full of their violent doings, and now I will put an end to them with the earth.
14 – Make for yourself an ark of gopher wood with rooms in it, and make it safe from the water inside and out.
15 – And this is the way you are to make it: it is to be three hundred cubits long, fifty cubits wide, and thirty cubits high.
16 – You are to put a window in the ark, a cubit from the roof, and a door in the side of it, and you are to make it with a lower and second and third floors.
17 – For truly, I will send a great flow of waters over the earth, for the destruction from under the heaven of all flesh in which is the breath of life; everything on the earth will come to an end.
18 – But with you I will make an agreement; and you will come into the ark, you and your sons and your wife and your sons´ wives with you.
19 – And you will take with you into the ark two of every sort of living thing, and keep them safe with you; they will be male and female.
20 – Two of every sort of bird and cattle and of every sort of living thing which goes on the earth will you take with you to keep them from destruction.
21 – And make a store of every sort of food for yourself and them.
22 – And all these things Noah did; as God said, so he did.

Chapter 7

1 – And the Lord said to Noah, Take all your family and go into the ark, for you only in this generation have I seen to be upright.
2 – Of every clean beast you will take seven males and seven females, and of the beasts which are not clean, two, the male and his female;
3 – And of the birds of the air, seven males and seven females, so that their seed may still be living on the face of the earth.
4 – For after seven days I will send rain on the earth for forty days and forty nights, for the destruction of every living thing which I have made on the face of the earth.
5 – And Noah did everything which the Lord said he was to do.
6 – And Noah was six hundred years old when the waters came flowing over all the earth.
7 – And Noah, with his sons and his wife and his sons´ wives, went into the ark because of the flowing of the waters.
8 – Of clean beasts, and of beasts which are not clean, and of birds, and of everything which goes on the earth,
9 – In twos, male and female, they went into the ark with Noah, as God had said.
10 – And after the seven days, the waters came over all the earth.
11 – In the six hundredth year of Noah´s life, in the second month, on the seventeenth day of the month, all the fountains of the great deep came bursting through, and the windows of heaven were open;
12 – And rain came down on the earth for forty days and forty nights.
13 – On the same day Noah, with Shem, Ham, and Japheth, his sons, and his wife and his sons´ wives, went into the ark;
14 – And with them, every sort of beast and cattle, and every sort of thing which goes on the earth, and every sort of bird.
15 – They went with Noah into the ark, two and two of all flesh in which is the breath of life.
16 – Male and female of all flesh went in, as God had said, and the ark was shut by the Lord.
17 – And for forty days the waters were over all the earth; and the waters were increased so that the ark was lifted up high over the earth.
18 – And the waters overcame everything and were increased greatly on the earth, and the ark was resting on the face of the waters.
19 – And the waters overcame everything on the earth; and all the mountains under heaven were covered.
20 – The waters went fifteen cubits higher, till all the mountains were covered.
21 – And destruction came on every living thing moving on the earth, birds and cattle and beasts and everything which went on the earth, and every man.
22 – Everything on the dry land, in which was the breath of life, came to its end.
23 – Every living thing on the face of all the earth, man and cattle and things moving on the face of the earth, and birds of the air, came to destruction: only Noah and those who were with him in the ark, were kept from death.
24 – And the waters were over the earth a hundred and fifty days.

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

– Meditação Matinal de EGW (Português).:

A Primeira Vinda de Jesus

“Vindo … a plenitude do tempo, Deus enviou Sem Filho, …para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos”. Gál. 4-.4 ES
A vinda do Salvador foi predita no Éden. Quando Adão e Eva ouviram pela primeira vez a promessa, aguardavam-lhe o pronto cumprimento. Saudaram alegremente seu primogênito, na esperança de que fosse o libertador. Mas o cumprimento da promessa demorava. Aqueles que primeiro a receberam, morreram sem o ver. Desde os dias de Enoque, a promessa foi repetida por meio de patriarcas e profetas, mantendo viva a esperança de Seu aparecimento, e todavia Ele não vinha. A profecia de Daniel revelou o tempo de Seu advento, mas nem todos interpretavam corretamente a mensagem. Século após século se passou; cessaram as vozes dos profetas. A mão do opressor era pesada sobre Israel, e muitos estavam dispostos a exclamar: “Prolongar-se-ão os dias, e perecerá toda a visão”. Ezeq. 12:22.
Mas, como as estrelas no vasto circuito de sua indicada órbita, os desígnios de Deus não conhecem adiantamento nem tardança. Mediante os símbolos da grande escuridão e do forno de fumo, Deus revelara a Abraão a servidão de Israel no Egito, e declarara que o tempo de sua peregrinação seria de quatrocentos anos. “Sairão depois”, disse Ele, “com grandes riquezas”. Gên. 15:14. Contra essa palavra, todo o poder do orgulhoso império de Faraó batalhou em vão. “Naquele mesmo dia”, indicado na promessa divina, “todos os exércitos do Senhor saíram da terra do Egito”. Exo. 12:41. Assim, nos divinos conselhos fora determinada a hora da vinda de Cristo. Quando o grande relógio do tempo indicou aquela hora, Jesus nasceu em Belém.
“Vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou Seu Filho”. A Providência havia dirigido os movimentos das nações, e a onda do impulso e influência humanos, até que o mundo se achasse maduro para a vinda do Libertador. … Então veio Cristo, a fim de restaurar no homem a imagem de seu Criador. Ninguém, senão Cristo, pode remodelar o caráter arruinado pelo pecado. Veio para expelir os demônios que haviam dominado a vontade. Veio para nos erguer do pó, reformar o caráter manchado, segundo o modelo de Seu divino caráter, embelezando-o com Sua própria glória. – DN, 23 e 27.
Ano Bíblico – Gên. 1-3. juvenis: Gên. 1 e 2.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=100&p=7

– Meditação Matinal de EGW (Espanhol).:

El Rey ya viene

LA PRIMERA VENIDA DE JESÚS
Pero cuando vino el cumplimiento del tiempo, Dios envió a su Hijo,. . . para que redimiese a los que estaban bajo la ley, a fin de que recibiésemos la adopción de hijos. (Gál. 4: 4, 5).
La venida del Salvador había sido predicha en el Edén. Cuando Adán y Eva oyeron por primera vez la promesa, esperaban que se cumpliese pronto. Dieron gozosamente la bienvenida a su primogénito, esperando que fuese el Libertador. Pero el cumplimiento de la promesa tardó. Los que la recibieron primero, murieron sin verlo. Desde los días de Enoc, la promesa fue repetida por medio de los patriarcas y los profetas, manteniendo viva la esperanza de su aparición, y sin embargo no había venido. La profecía de Daniel revelaba el tiempo de su advenimiento, pero no todos interpretaban correctamente el mensaje. Transcurrió un siglo tras otro, y las voces de los profetas cesaron. La mano del opresor pesaba sobre Israel, y muchos estaban listos para exclamar: “Se van prolongando los días, y desaparecerá toda visión” (Eze. 12: 22).
Pero, como las estrellas en la vasta órbita de su derrotero señalado, los propósitos de Dios no conocen premura ni demora. Por los símbolos de las densas tinieblas y el horno humeante, Dios había anunciado a Abrahán la servidumbre de Israel en Egipto, y había declarado que el tiempo de su estada allí abarcaría cuatrocientos años. “Después de esto -dijo Dios- saldrán con gran riqueza” (Gen. 15: 14). Y contra esta palabra se empeñó en vano todo el poder del orgulloso imperio de los faraones. “En el mismo día” señalado por la promesa divina, “todas las huestes de Jehová salieron de la tierra de Egipto” (Exo. 12: 41). Así también fue determinada en el concilio celestial la hora en que Cristo había de venir; y cuando el gran reloj del tiempo marcó aquella hora, Jesús nació en Belén.
“Pero cuando vino el cumplimiento del tiempo, Dios envió a su Hijo”. La Providencia había dirigido los movimientos de las naciones, así como el flujo y reflujo de impulsos e influencias de origen humano, a tal punto que el mundo estaba maduro para la llegada del Libertador. . .
Entonces vino Jesús a restaurar en el hombre la imagen de su Hacedor. Nadie, excepto Cristo, puede amoldar de nuevo el carácter que ha sido arruinado por el pecado. Él vino para expulsar a los demonios que habían dominado la voluntad. Vino para levantarnos del polvo, para rehacer según el modelo divino el carácter que había sido mancillado, para hermosearlo con su propia gloria.*

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=101&p=7

– Meditação Matinal de EGW (Inglês).:

January 1 – The First Coming of Jesus

When the fullness of the time was come, God sent forth his Son,…to redeem them that were under the law, that we might receive the adoption of sons. Gal. 4:4, 5.
The Saviour”s coming was foretold in Eden. When Adam and Eve first heard the promise, they looked for its speedy fulfilment. They joyfully welcomed their first-born son, hoping that he might be the Deliverer. But the fulfilment of the promise tarried. Those who first received it died without the sight. From the days of Enoch the promise was repeated through patriarchs and prophets, keeping alive the hope of His appearing, and yet He came not. The prophecy of Daniel revealed the time of His advent, but not all rightly interpreted the message. Century after century passed away; the voices of the prophets ceased. The hand of the oppressor was heavy upon Israel, and many were ready to exclaim, “The days are prolonged, and every vision faileth.” Ezek. 12:22. {Mar 9.1}
But like the stars in the vast circuit of their appointed path, God”s purposes know no haste and no delay. Through the symbols of the great darkness and the smoking furnace, God had revealed to Abraham the bondage of Israel in Egypt, and had declared that the time of their sojourning should be four hundred years. “Afterward,” He said, “shall they come out with great substance.” Gen. 15:14. Against that word, all the power of Pharaoh”s proud empire battled in vain. On “the self-same day” appointed in the divine promise, “it came to pass, that all the hosts of the Lord went out from the land of Egypt.” Ex. 12:41. So in heaven”s council the hour for the coming of Christ had been determined. When the great clock of time pointed to that hour, Jesus was born in Bethlehem. {Mar 9.2}
“When the fullness of the time was come, God sent forth his Son.” Providence had directed the movements of nations, and the tide of human impulse and influence, until the world was ripe for the coming of the Deliverer…. {Mar 9.3}
Then Jesus came to restore in man the image of his Maker. None but Christ can fashion anew the character that has been ruined by sin. He came to expel the demons that had controlled the will. He came to lift us up from the dust, to reshape the marred character after the pattern of His divine character, and to make it beautiful with His own glory. {Mar 9.4}

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=129&p=7

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

– Mensagens para Evangelistas.:

Têm os sentinelas sobre os muros de Sião o privilégio de viver tão perto de Deus, e ser tão susceptíveis às impressões de Seu Espírito, que Ele possa operar por meio deles, para avisar os pecadores do perigo que correm, indicando-lhes o lugar de segurança. Escolhidos por Deus, selados com o sangue da consagração, eles devem salvar homens e mulheres da destruição iminente. Cumpre-lhes advertir fielmente seus semelhantes do infalível resultado da transgressão, bem como fielmente salvaguardar os interesses da igreja. Em tempo algum podem eles afrouxar a vigilância. Sua obra requer o exercício de todas as faculdades de seu ser. Sua voz se deve erguer qual sonido de trombeta, nunca fazendo soar uma nota vacilante e incerta. Eles não devem trabalhar por causa do salário, mas por não poderem fazer de outra maneira, visto compreenderem que há um ai sobre eles se deixarem de pregar o evangelho. Obreiros Evangélicos, pág. 15.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=49&p=15

– Mensagens para Jovens.:

Ninguém será jamais chamado a aperfeiçoar o caráter cristão sob mais desfavoráveis circunstâncias do que o foi nosso Salvador. O fato de haver Cristo vivido trinta anos em Nazaré, de onde muitos julgavam maravilha que pudesse sair alguma coisa boa, constitui uma repreensão aos jovens que julgam dever seu caráter religioso conformar-se com as circunstâncias. Se o ambiente dos jovens é desagradável e positivamente mau, muitos fazem disso uma desculpa para não aperfeiçoar o caráter cristão. O exemplo de Cristo reprovaria a idéia de que Seus seguidores dependam de lugar, fortuna ou prosperidade para viver vida irrepreensível. Cristo lhes ensina que, por mais humilde que seja qualquer lugar ou posição a que a providência de Deus os chame, sua fidelidade o tornaria honroso. Mensagens aos Jovens, pág. 79.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=6&p=79

– Mensagens para Namorados.:

Antes de assumir as responsabilidades que o casamento envolve, devem os jovens ter na vida prática uma experiência que os prepare para os deveres e encargos do mesmo. Casamentos precoces não convêm. Relação tão importante como seja a do casamento, e tão vasta no alcance de seus resultados, não deve ser assumida precipitadamente, sem suficiente preparo, e antes de se acharem bem desenvolvidas as faculdades mentais e físicas. A Ciência do Bom Viver, pág. 358.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=31&p=358

– Mensagens para Pais.:

Na primeira educação das crianças, muitos pais e mestres deixam de compreender que a primeira atenção precisa ser dada à constituição física, para garantir-se saúde física e mental. Tem sido costume animar crianças a freqüentar a escola quando simples bebês, necessitadas dos cuidados maternos. Numa idade delicada, são freqüentemente metidas em apinhadas salas de aula sem ventilação, onde se sentam em posição errônea em bancos mal construídos e, em resultado, as tenras estruturas de alguns se têm deformado. Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 80.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=37&p=80

– Mensagens sobre Escola Sabatina.:

Ninguém que trabalhe na Escola Sabatina ou na sociedade de temperança deixará de ceifar abundante colheita, não só no fim do mundo, mas também na vida presente. No esforço de iluminar e abençoar a outros, seus próprios pontos de vista se tornarão mais claros e vastos. Quanto mais nos esforçamos por explicar a outros a verdade, com amor pelas pessoas, tanto mais clara se tornará ela para nós mesmos. Ao entendimento do expositor, ela sempre se abre em nova beleza e força. Testimonies on Sabbath School Work, pág. 108 e Conselhos Sobre a Escola Sabatina, págs. 13 e 14.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=15&p=13

– Mensagens sobre Saúde.:

Nunca enganeis o estômago, privando-o daquilo que a saúde requer, e nunca dele abuseis impondo-lhe uma carga que não deve levar. Cultivai o domínio próprio. Refreai o apetite; conservai-o sob o controle da razão. Não julgueis necessário abarrotar a mesa com alimento insalubre quando tendes visitas. A saúde de vossa família e a influência sobre vossos filhos devem ser consideradas, tanto quanto os hábitos e gostos de vossos hóspedes. Christian Temperance and Bible Hygiene, pág. 58 e Conselhos Sobre o Regime Alimentar, pág. 176.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=17&p=176

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

– Ano Bíblico (Português).:

Livro de Gênesis

Capítulo 1

1 – No princípio criou Deus os céus e a terra.
2 – A terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo, mas o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas.
3 – Disse Deus: haja luz. E houve luz.
4 – Viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas.
5 – E Deus chamou à luz dia, e às trevas noite. E foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.
6 – E disse Deus: haja um firmamento no meio das águas, e haja separação entre águas e águas.
7 – Fez, pois, Deus o firmamento, e separou as águas que estavam debaixo do firmamento das que estavam por cima do firmamento. E assim foi.
8 – Chamou Deus ao firmamento céu. E foi a tarde e a manhã, o dia segundo.
9 – E disse Deus: Ajuntem-se num só lugar as águas que estão debaixo do céu, e apareça o elemento seco. E assim foi.
10 – Chamou Deus ao elemento seco terra, e ao ajuntamento das águas mares. E viu Deus que isso era bom.
11 – E disse Deus: Produza a terra relva, ervas que dêem semente, e árvores frutíferas que, segundo as suas espécies, dêem fruto que tenha em si a sua semente, sobre a terra. E assim foi.
12 – A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo as suas espécies, e árvores que davam fruto que tinha em si a sua semente, segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom.
13 – E foi a tarde e a manhã, o dia terceiro.
14 – E disse Deus: haja luminares no firmamento do céu, para fazerem separação entre o dia e a noite; sejam eles para sinais e para estações, e para dias e anos;
15 – e sirvam de luminares no firmamento do céu, para alumiar a terra. E assim foi.
16 – Deus, pois, fez os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; fez também as estrelas.
17 – E Deus os pôs no firmamento do céu para alumiar a terra,
18 – para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que isso era bom.
19 – E foi a tarde e a manhã, o dia quarto.
20 – E disse Deus: Produzam as águas cardumes de seres viventes; e voem as aves acima da terra no firmamento do céu.
21 – Criou, pois, Deus os monstros marinhos, e todos os seres viventes que se arrastavam, os quais as águas produziram abundantemente segundo as suas espécies; e toda ave que voa, segundo a sua espécie. E viu Deus que isso era bom.
22 – Então Deus os abençoou, dizendo: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei as águas dos mares; e multipliquem-se as aves sobre a terra.
23 – E foi a tarde e a manhã, o dia quinto.
24 – E disse Deus: Produza a terra seres viventes segundo as suas espécies: animais domésticos, répteis, e animais selvagens segundo as suas espécies. E assim foi.
25 – Deus, pois, fez os animais selvagens segundo as suas espécies, e os animais domésticos segundo as suas espécies, e todos os répteis da terra segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom.
26 – E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que se arrasta sobre a terra.
27 – Criou, pois, Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
28 – Então Deus os abençoou e lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra.
29 – Disse-lhes mais: Eis que vos tenho dado todas as ervas que produzem semente, as quais se acham sobre a face de toda a terra, bem como todas as árvores em que há fruto que dê semente; ser-vos-ão para mantimento.
30 – E a todos os animais da terra, a todas as aves do céu e a todo ser vivente que se arrasta sobre a terra, tenho dado todas as ervas verdes como mantimento. E assim foi.
31 – E viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. E foi a tarde e a manhã, o dia sexto.

Capítulo 2

1 – Assim foram acabados os céus e a terra, com todo o seu exército.
2 – Ora, havendo Deus completado no dia sétimo a obra que tinha feito, descansou nesse dia de toda a obra que fizera.
3 – Abençoou Deus o sétimo dia, e o santificou; porque nele descansou de toda a sua obra que criara e fizera.
4 – Eis as origens dos céus e da terra, quando foram criados. No dia em que o Senhor Deus fez a terra e os céus
5 – não havia ainda nenhuma planta do campo na terra, pois nenhuma erva do campo tinha ainda brotado; porque o Senhor Deus não tinha feito chover sobre a terra, nem havia homem para lavrar a terra.
6 – Um vapor, porém, subia da terra, e regava toda a face da terra.
7 – E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou-lhe nas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente.
8 – Então plantou o Senhor Deus um jardim, da banda do oriente, no Éden; e pôs ali o homem que tinha formado.
9 – E o Senhor Deus fez brotar da terra toda qualidade de árvores agradáveis à vista e boas para comida, bem como a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal.
10 – E saía um rio do Éden para regar o jardim; e dali se dividia e se tornava em quatro braços.
11 – O nome do primeiro é Pisom: este é o que rodeia toda a terra de Havilá, onde há ouro;
12 – e o ouro dessa terra é bom: ali há o bdélio, e a pedra de berilo.
13 – O nome do segundo rio é Giom: este é o que rodeia toda a terra de Cuche.
14 – O nome do terceiro rio é Tigre: este é o que corre pelo oriente da Assíria. E o quarto rio é o Eufrates.
15 – Tomou, pois, o Senhor Deus o homem, e o pôs no jardim do Édem para o lavrar e guardar.
16 – Ordenou o Senhor Deus ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente;
17 – mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dessa não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.
18 – Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora que lhe seja idônea.
19 – Da terra formou, pois, o Senhor Deus todos os animais o campo e todas as aves do céu, e os trouxe ao homem, para ver como lhes chamaria; e tudo o que o homem chamou a todo ser vivente, isso foi o seu nome.
20 – Assim o homem deu nomes a todos os animais domésticos, às aves do céu e a todos os animais do campo; mas para o homem não se achava ajudadora idônea.
21 – Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre o homem, e este adormeceu; tomou-lhe, então, uma das costelas, e fechou a carne em seu lugar;
22 – e da costela que o senhor Deus lhe tomara, formou a mulher e a trouxe ao homem.
23 – Então disse o homem: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; ela será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada.
24 – Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne.
25 – E ambos estavam nus, o homem e sua mulher; e não se envergonhavam.

Capítulo 3

1 – Ora, a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo, que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim?
2 – Respondeu a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim podemos comer,
3 – mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais.
4 – Disse a serpente à mulher: Certamente não morrereis.
5 – Porque Deus sabe que no dia em que comerdes desse fruto, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal.
6 – Então, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, comeu, e deu a seu marido, e ele também comeu.
7 – Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; pelo que coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais.
8 – E, ouvindo a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim à tardinha, esconderam-se o homem e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim.
9 – Mas chamou o Senhor Deus ao homem, e perguntou-lhe: Onde estás?
10 – Respondeu-lhe o homem: Ouvi a tua voz no jardim e tive medo, porque estava nu; e escondi-me.
11 – Deus perguntou-lhe mais: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses?
12 – Ao que respondeu o homem: A mulher que me deste por companheira deu-me a árvore, e eu comi.
13 – Perguntou o Senhor Deus à mulher: Que é isto que fizeste? Respondeu a mulher: A serpente enganou-me, e eu comi.
14 – Então o Senhor Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isso, maldita serás tu dentre todos os animais domésticos, e dentre todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida.
15 – Porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua descendência e a sua descendência; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.
16 – E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a dor da tua conceição; em dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.
17 – E ao homem disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste da árvore de que te ordenei dizendo: Não comerás dela; maldita é a terra por tua causa; em fadiga comerás dela todos os dias da tua vida.
18 – Ela te produzirá espinhos e abrolhos; e comerás das ervas do campo.
19 – Do suor do teu rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, porque dela foste tomado; porquanto és pó, e ao pó tornarás.
20 – Chamou Adão à sua mulher Eva, porque era a mãe de todos os viventes.
21 – E o Senhor Deus fez túnicas de peles para Adão e sua mulher, e os vestiu.
22 – Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem se tem tornado como um de nós, conhecendo o bem e o mal. Ora, não suceda que estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente.
23 – O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden para lavrar a terra, de que fora tomado.
24 – E havendo lançado fora o homem, pôs ao oriente do jardim do Éden os querubins, e uma espada flamejante que se volvia por todos os lados, para guardar o caminho da árvore da vida.

– Pergunta sobre o Ano Bíblico.:

Em quantos braços se dividia o rio que saía do Jardim do Éden?
Resposta: 4 (Gênesis 2:10)

– Curiosidades Bíblicas.:

Quem foi a 1ª pessoa para a qual Jesus apareceu após a sua ressurreição?
Resposta: Maria Madalena. Marcos 16:9.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/biblia.asp?lista=1&livro=41&capitulo=16

– Versos Bíblicos.:

Senhor, Deus meu, confio, salva-me de todo o que me persegue, e livra-me; Salmos 7:1

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/biblia.asp?lista=1&livro=19&capitulo=7&verso=1

– Ano Bíblico (Espanhol).:

Libro de Gênesis

Capítulo 1

1 – En el principio Creó Dios los cielos y la tierra.
2 – Y la tierra estaba sin orden y Vacía. Había tinieblas sobre la faz del océano, y el Espíritu de Dios se Movía sobre la faz de las aguas.
3 – Entonces dijo Dios: “Sea la luz”, y fue la luz.
4 – Dios vio que la luz era buena, y Separó Dios la luz de las tinieblas.
5 – Dios Llamó a la luz Día, y a las tinieblas Llamó Noche. Y fue la tarde y fue la mañana del primer Día.
6 – Entonces dijo Dios: “Haya una Bóveda en medio de las aguas, para que separe las aguas de las aguas.”
7 – E hizo Dios la Bóveda, y Separó las aguas que Están debajo de la Bóveda, de las aguas que Están sobre la Bóveda. Y fue Así.
8 – Dios Llamó a la Bóveda Cielos. Y fue la tarde y fue la mañana del segundo Día.
9 – Entonces dijo Dios: “Reúnanse las aguas que Están debajo del cielo en un solo lugar, de modo que aparezca la parte seca.” Y fue Así.
10 – Llamó Dios a la parte seca Tierra, y a la Reunión de las aguas Llamó Mares; y vio Dios que esto era bueno.
11 – Después dijo Dios: “Produzca la tierra hierba, plantas que den semilla y árboles frutales que den fruto, Según su especie, cuya semilla esté en él, sobre la tierra.” Y fue Así.
12 – La tierra produjo hierba, plantas que dan semilla Según su especie, árboles frutales cuya semilla Está en su fruto, Según su especie. Y vio Dios que esto era bueno.
13 – Y fue la tarde y fue la mañana del tercer Día.
14 – Entonces dijo Dios: “Haya lumbreras en la Bóveda del cielo para distinguir el Día de la noche, para servir de señales, para las estaciones y para los Días y los años.
15 – Así sirvan de lumbreras para que alumbren la tierra desde la Bóveda del cielo.” Y fue Así.
16 – E hizo Dios las dos grandes lumbreras: la lumbrera mayor para dominar en el Día, y la lumbrera menor para dominar en la noche. Hizo también las estrellas.
17 – Dios las puso en la Bóveda del cielo para alumbrar sobre la tierra,
18 – para dominar en el Día y en la noche, y para separar la luz de las tinieblas. Y vio Dios que esto era bueno.
19 – Y fue la tarde y fue la mañana del cuarto Día.
20 – Entonces dijo Dios: “Produzcan las aguas innumerables seres vivientes, y haya aves que vuelen sobre la tierra, en la Bóveda del cielo.”
21 – Y Creó Dios los grandes animales Acuáticos, todos los seres vivientes que se desplazan y que las aguas produjeron, Según su especie, y toda ave alada Según su especie. Vio Dios que esto era bueno,
22 – y los bendijo Dios diciendo: “Sed fecundos y multiplicaos. Llenad las aguas de los mares; y Multiplíquense las aves en la tierra.”
23 – Y fue la tarde y fue la mañana del quinto Día.
24 – Entonces dijo Dios: “Produzca la tierra seres vivientes Según su especie: ganado, reptiles y animales de la tierra, Según su especie.” Y fue Así.
25 – Hizo Dios los animales de la tierra Según su especie, el ganado Según su especie y los reptiles de la tierra Según su especie. Y vio Dios que esto era bueno.
26 – Entonces dijo Dios: “Hagamos al hombre a nuestra imagen, conforme a nuestra semejanza, y tenga dominio sobre los peces del mar, las aves del cielo, el ganado, y en toda la tierra, y sobre todo animal que se desplaza sobre la tierra.”
27 – Creó, pues, Dios al hombre a su imagen; a imagen de Dios lo Creó; hombre y mujer los Creó.
28 – Dios los bendijo y les dijo: “Sed fecundos y multiplicaos. Llenad la tierra; sojuzgadla y tened dominio sobre los peces del mar, las aves del cielo y todos los animales que se desplazan sobre la tierra.”
29 – Dios dijo Además: “He Aquí que os he dado toda planta que da semilla que Está sobre la superficie de toda la tierra, y todo árbol cuyo fruto lleva semilla; ellos os Servirán de alimento.
30 – Y a todo animal de la tierra, a toda ave del cielo, y a todo animal que se desplaza sobre la tierra, en que hay vida, toda planta les Servirá de alimento.” Y fue Así.
31 – Dios vio todo lo que Había hecho, y he Aquí que era muy bueno. Y fue la tarde y fue la mañana del sexto Día.

Capítulo 2

1 – Así fueron terminados los cielos y la tierra y todos sus ocupantes.
2 – El séptimo Día Dios Había terminado la obra que hizo, y Reposó en el séptimo Día de toda la obra que Había hecho.
3 – Por eso Dios bendijo y Santificó el séptimo Día, porque en él Reposó de toda su obra de Creación que Dios Había hecho.
4 – Estos son los Orígenes de los cielos y de la tierra, cuando fueron creados. Cuando Jehovah Dios hizo la tierra y los cielos,
5 – Aún no Había en la tierra Ningún arbusto del campo, ni Había germinado ninguna planta del campo, porque Jehovah Dios no Había hecho llover sobre la tierra, ni Había hombre para cultivarla.
6 – Pero Subía de la tierra un vapor que regaba toda la superficie de la tierra.
7 – Entonces Jehovah Dios Formó al hombre del polvo de la tierra. Sopló en su nariz aliento de vida, y el hombre Llegó a ser un ser viviente.
8 – Y Plantó Jehovah Dios un Jardín en Edén, en el oriente, y puso Allí al hombre que Había formado.
9 – Jehovah Dios hizo brotar de la tierra toda clase de árboles atractivos a la vista y buenos para comer; también en medio del Jardín, el árbol de la vida y el árbol del conocimiento del bien y del mal.
10 – Un Río Salía de Edén para regar el Jardín, y de Allí se Dividía en cuatro brazos.
11 – El nombre del primero era Pisón. Este rodeaba toda la tierra de Havila, donde hay oro.
12 – Y el oro de aquella tierra es bueno. También hay Allí ámbar y ónice.
13 – El nombre del segundo Río era Guijón. Este rodeaba toda la tierra de Etiopía.
14 – El nombre del tercer Río era Tigris, que corre al oriente de Asiria. Y el cuarto Río era el Eufrates.
15 – Tomó, pues, Jehovah Dios al hombre y lo puso en el Jardín de Edén, para que lo cultivase y lo guardase.
16 – Y Jehovah Dios Mandó al hombre diciendo: “Puedes comer de todos los árboles del Jardín;
17 – pero del árbol del conocimiento del bien y del mal no Comerás, porque el Día que comas de él, ciertamente Morirás.”
18 – Dijo Además Jehovah Dios: “No es bueno que el hombre esté solo; le haré una ayuda Idónea.”
19 – Jehovah Dios, pues, Formó de la tierra todos los animales del campo y todas las aves del cielo, y los trajo al hombre para ver Cómo los Llamaría. Lo que el hombre Llamó a los animales, ése es su nombre.
20 – El hombre puso nombres a todo el ganado, a las aves del cielo y a todos los animales del campo. Pero para Adán no Halló ayuda que le fuera Idónea.
21 – Entonces Jehovah Dios hizo que sobre el hombre cayera un sueño profundo; y mientras Dormía, Tomó una de sus costillas y Cerró la carne en su lugar.
22 – Y de la costilla que Jehovah Dios Tomó del hombre, hizo una mujer y la trajo al hombre.
23 – Entonces dijo el hombre: “Ahora, ésta es hueso de mis huesos y carne de mi carne. Esta Será llamada Mujer, porque fue tomada del hombre.”
24 – Por tanto, el hombre Dejará a su padre y a su madre, y se Unirá a su mujer, y Serán una sola carne.
25 – Estaban ambos desnudos, el hombre y su mujer, y no se avergonzaban.

Capítulo 3

1 – Entonces la serpiente, que era el Más astuto de todos los animales del campo que Jehovah Dios Había hecho, dijo a la mujer: –¿De veras Dios os ha dicho: “No Comáis de Ningún árbol del Jardín”?
2 – La mujer Respondió a la serpiente: –Podemos comer del fruto de los árboles del Jardín.
3 – Pero del fruto del árbol que Está en medio del Jardín ha dicho Dios: “No Comáis de él, ni lo toquéis, no sea que Muráis.”
4 – Entonces la serpiente dijo a la mujer: –Ciertamente no moriréis.
5 – Es que Dios sabe que el Día que Comáis de él, vuestros ojos Serán abiertos, y seréis como Dios, conociendo el bien y el mal.
6 – Entonces la mujer vio que el árbol era bueno para comer, que era atractivo a la vista y que era árbol codiciable para alcanzar Sabiduría. Tomó, pues, de su fruto y Comió. Y también dio a su marido que estaba con ella, y él Comió.
7 – Y fueron abiertos los ojos de ambos, y se dieron cuenta de que estaban desnudos. Entonces cosieron hojas de higuera, y se hicieron ceñidores.
8 – Cuando oyeron la voz de Jehovah Dios que se paseaba en el Jardín en el fresco del Día, el hombre y su mujer se escondieron de la presencia de Jehovah Dios entre los árboles del Jardín.
9 – Pero Jehovah Dios Llamó al hombre y le Preguntó: –¿Dónde Estás Tú?
10 – El Respondió: –Oí tu voz en el Jardín y tuve miedo, porque estaba desnudo. Por eso me Escondí.
11 – Le Preguntó Dios: –¿Quién te dijo que estabas desnudo? ¿Acaso has comido del árbol del que te mandé que no comieses?
12 – El hombre Respondió: –La mujer que me diste por compañera, ella me dio del árbol, y yo Comí.
13 – Entonces Jehovah Dios dijo a la mujer: –¿Por qué has hecho esto? La mujer dijo: –La serpiente me Engañó, y Comí.
14 – Entonces Jehovah Dios dijo a la serpiente: –Porque hiciste esto, Serás maldita entre todos los animales domésticos y entre todos los animales del campo. Te Arrastrarás sobre tu vientre y Comerás polvo todos los Días de tu vida.
15 – Y pondré enemistad entre ti y la mujer, y entre tu descendencia y su descendencia; ésta te Herirá en la cabeza, y Tú le Herirás en el Talón.
16 – A la mujer dijo: –Aumentaré mucho tu sufrimiento en el embarazo; con dolor Darás a luz a los hijos. Tu deseo te Llevará a tu marido, y él se Enseñoreará de ti.
17 – Y al hombre dijo: –Porque obedeciste la voz de tu mujer y comiste del árbol del que te mandé diciendo: “No comas de él”, sea maldita la tierra por tu causa. Con dolor Comerás de ella todos los Días de tu vida;
18 – espinos y cardos te Producirá, y Comerás plantas del campo.
19 – Con el sudor de tu frente Comerás el pan hasta que vuelvas a la tierra, pues de ella fuiste tomado. Porque polvo eres y al polvo Volverás.
20 – El hombre Llamó el nombre de su mujer Eva, porque ella Sería la madre de todos los vivientes.
21 – Luego Jehovah Dios hizo vestidos de piel para Adán y para su mujer, y los Vistió.
22 – Y Jehovah Dios dijo: –He Aquí que el hombre ha llegado a ser como uno de nosotros, conociendo el bien y el mal. Ahora pues, que no extienda su mano, tome también del árbol de la vida, y coma y viva para siempre.
23 – Y Jehovah Dios lo Arrojó del Jardín de Edén, para que labrase la tierra de la que fue tomado.
24 – Expulsó, pues, al hombre y puso querubines al oriente del Jardín de Edén, y una espada incandescente que se Movía en toda Dirección, para guardar el camino al árbol de la vida.

– Ano Bíblico (Inglês).:

Book of Gênesis

Chapter 1

1 – At the first God made the heaven and the earth.
2 – And the earth was waste and without form; and it was dark on the face of the deep: and the Spirit of God was moving on the face of the waters.
3 – And God said, Let there be light: and there was light.
4 – And God, looking on the light, saw that it was good: and God made a division between the light and the dark,
5 – Naming the light, Day, and the dark, Night. And there was evening and there was morning, the first day.
6 – And God said, Let there be a solid arch stretching over the waters, parting the waters from the waters.
7 – And God made the arch for a division between the waters which were under the arch and those which were over it: and it was so.
8 – And God gave the arch the name of Heaven. And there was evening and there was morning, the second day.
9 – And God said, Let the waters under the heaven come together in one place, and let the dry land be seen: and it was so.
10 – And God gave the dry land the name of Earth; and the waters together in their place were named Seas: and God saw that it was good.
11 – And God said, Let grass come up on the earth, and plants producing seed, and fruit-trees giving fruit, in which is their seed, after their sort: and it was so.
12 – And grass came up on the earth, and every plant producing seed of its sort, and every tree producing fruit, in which is its seed, of its sort: and God saw that it was good.
13 – And there was evening and there was morning, the third day.
14 – And God said, Let there be lights in the arch of heaven, for a division between the day and the night, and let them be for signs, and for marking the changes of the year, and for days and for years:
15 – And let them be for lights in the arch of heaven to give light on the earth: and it was so.
16 – And God made the two great lights: the greater light to be the ruler of the day, and the smaller light to be the ruler of the night: and he made the stars.
17 – And God put them in the arch of heaven, to give light on the earth;
18 – To have rule over the day and the night, and for a division between the light and the dark: and God saw that it was good.
19 – And there was evening and there was morning, the fourth day.
20 – And God said, Let the waters be full of living things, and let birds be in flight over the earth under the arch of heaven.
21 – And God made great sea-beasts, and every sort of living and moving thing with which the waters were full, and every sort of winged bird: and God saw that it was good.
22 – And God gave them his blessing, saying, Be fertile and have increase, making all the waters of the seas full, and let the birds be increased in the earth.
23 – And there was evening and there was morning, the fifth day.
24 – And God said, Let the earth give birth to all sorts of living things, cattle and all things moving on the earth, and beasts of the earth after their sort: and it was so.
25 – And God made the beast of the earth after its sort, and the cattle after their sort, and everything moving on the face of the earth after its sort: and God saw that it was good.
26 – And God said, Let us make man in our image, like us: and let him have rule over the fish of the sea and over the birds of the air and over the cattle and over all the earth and over every living thing which goes flat on the earth.
27 – And God made man in his image, in the image of God he made him: male and female he made them.
28 – And God gave them his blessing and said to them, Be fertile and have increase, and make the earth full and be masters of it; be rulers over the fish of the sea and over the birds of the air and over every living thing moving on the earth.
29 – And God said, See, I have given you every plant producing seed, on the face of all the earth, and every tree which has fruit producing seed: they will be for your food:
30 – And to every beast of the earth and to every bird of the air and every living thing moving on the face of the earth I have given every green plant for food: and it was so.
31 – And God saw everything which he had made and it was very good. And there was evening and there was morning, the sixth day.

Chapter 2

1 – And the heaven and the earth and all things in them were complete.
2 – And on the seventh day God came to the end of all his work; and on the seventh day he took his rest from all the work which he had done.
3 – And God gave his blessing to the seventh day and made it holy: because on that day he took his rest from all the work which he had made and done.
4 – These are the generations of the heaven and the earth when they were made.
5 – In the day when the Lord God made earth and heaven there were no plants of the field on the earth, and no grass had come up: for the Lord God had not sent rain on the earth and there was no man to do work on the land.
6 – But a mist went up from the earth, watering all the face of the land.
7 – And the Lord God made man from the dust of the earth, breathing into him the breath of life: and man became a living soul.
8 – And the Lord God made a garden in the east, in Eden; and there he put the man whom he had made.
9 – And out of the earth the Lord made every tree to come, delighting the eye and good for food; and in the middle of the garden, the tree of life and the tree of the knowledge of good and evil.
10 – And a river went out of Eden giving water to the garden; and from there it was parted and became four streams.
11 – The name of the first is Pishon, which goes round about all the land of Havilah where there is gold.
12 – And the gold of that land is good: there is bdellium and the onyx stone.
13 – And the name of the second river is Gihon: this river goes round all the land of Cush.
14 – And the name of the third river is Tigris, which goes to the east of Assyria. And the fourth river is Euphrates.
15 – And the Lord God took the man and put him in the garden of Eden to do work in it and take care of it.
16 – And the Lord God gave the man orders, saying, You may freely take of the fruit of every tree of the garden:
17 – But of the fruit of the tree of the knowledge of good and evil you may not take; for on the day when you take of it, death will certainly come to you.
18 – And the Lord God said, It is not good for the man to be by himself: I will make one like himself as a help to him
19 – And from the earth the Lord God made every beast of the field and every bird of the air, and took them to the man to see what names he would give them: and whatever name he gave to any living thing, that was its name.
20 – And the man gave names to all cattle and to the birds of the air and to every beast of the field; but Adam had no one like himself as a help.
21 – And the Lord God sent a deep sleep on the man, and took one of the bones from his side while he was sleeping, joining up the flesh again in its place:
22 – And the bone which the Lord God had taken from the man he made into a woman, and took her to the man.
23 – And the man said, This is now bone of my bone and flesh of my flesh: let her name be Woman because she was taken out of Man.
24 – For this cause will a man go away from his father and his mother and be joined to his wife; and they will be one flesh.
25 – And the man and his wife were without clothing, and they had no sense of shame.

Chapter 3

1 – Now the snake was wiser than any beast of the field which the Lord God had made. And he said to the woman, Has God truly said that you may not take of the fruit of any tree in the garden?
2 – And the woman said, We may take of the fruit of the trees in the garden:
3 – But of the fruit of the tree in the middle of the garden, God has said, If you take of it or put your hands on it, death will come to you.
4 – And the snake said, Death will not certainly come to you:
5 – For God sees that on the day when you take of its fruit, your eyes will be open, and you will be as gods, having knowledge of good and evil.
6 – And when the woman saw that the tree was good for food, and a delight to the eyes, and to be desired to make one wise, she took of its fruit, and gave it to her husband.
7 – And their eyes were open and they were conscious that they had no clothing and they made themselves coats of leaves stitched together.
8 – And there came to them the sound of the Lord God walking in the garden in the evening wind: and the man and his wife went to a secret place among the trees of the garden, away from the eyes of the Lord God.
9 – And the voice of the Lord God came to the man, saying, Where are you?
10 – And he said, Hearing your voice in the garden I was full of fear, because I was without clothing: and I kept myself from your eyes.
11 – And he said, Who gave you the knowledge that you were without clothing? Have you taken of the fruit of the tree which I said you were not to take?
12 – And the man said, The woman whom you gave to be with me, she gave me the fruit of the tree and I took it.
13 – And the Lord God said to the woman, What have you done? And the woman said, I was tricked by the deceit of the snake and I took it.
14 – And the Lord God said to the snake, Because you have done this you are cursed more than all cattle and every beast of the field; you will go flat on the earth, and dust will be your food all the days of your life:
15 – And there will be war between you and the woman and between your seed and her seed: by him will your head be crushed and by you his foot will be wounded.
16 – To the woman he said, Great will be your pain in childbirth; in sorrow will your children come to birth; still your desire will be for your husband, but he will be your master.
17 – And to Adam he said, Because you gave ear to the voice of your wife and took of the fruit of the tree which I said you were not to take, the earth is cursed on your account; in pain you will get your food from it all your life.
18 – Thorns and waste plants will come up, and the plants of the field will be your food;
19 – With the hard work of your hands you will get your bread till you go back to the earth from which you were taken: for dust you are and to the dust you will go back.
20 – And the man gave his wife the name of Eve because she was the mother of all who have life.
21 – And the Lord God made for Adam and for his wife coats of skins for their clothing.
22 – And the Lord God said, Now the man has become like one of us, having knowledge of good and evil; and now if he puts out his hand and takes of the fruit of the tree of life, he will go on living for ever.
23 – So the Lord God sent him out of the garden of Eden to be a worker on the earth from which he was taken.
24 – So he sent the man out; and at the east of the garden of Eden he put winged ones and a flaming sword turning every way to keep the way to the tree of life.

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

Publicado em Não categorizado | Deixe um comentário