Novidades – Reavivamento e Reforma

 

Novidades – Reavivamento e Reforma


Continência à nossa bandeira

Posted: 19 Dec 2011 04:28 AM PST

Ao conduzir uma semana de oração no município gaúcho de Santa Maria, localizado na região central do Estado, algumas características locais me impressionaram bastante ao longo da minha estada na cidade. Santa Maria, quinta cidade mais populosa do Rio Grande do Sul, é uma região com um número expressivo de estudantes e de soldados. São nove Universidades, 18 unidades militares do Exército e uma base aérea. Depois do Rio de Janeiro é o segundo efetivo militar do país.

 

Todos os dias, pela manhã, fazíamos uma caminhada passando em frente do Regimento Maleet (3° GAC AP – Unidade de Artilharia mais antiga e tradicional do Exército Brasileiro) e me chamou a atenção a reverência e o respeito na hora do hasteamento da Bandeira Nacional.

Em conversa com Neimar Vargas de Jesus – membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia Central de Santa Maria -, militar do Exército, ele informou que o hasteamento da Bandeira é a primeira atividade oficial do dia. Ela é realizada pela guarda que está entrando de serviço, inclusive nos finais de semana e feriados, sempre às 08:00 horas da manhã. Uma vez por semana, entretanto, todo o efetivo do quartel participa da formatura geral e presta continência à Bandeira Nacional.

Em uma daquelas ocasiões em que passamos pelo local, parei a caminhada para observar o hasteamento. Fiquei impressionado ao ver que todos – inclusive um soldado que estava do outro lado da rua e uma jovem senhora que chegava atrasada – pararam e prestaram continência, manifestando, assim, respeito pelo símbolo nacional.

É claro que além de prestar continência à Bandeira todos os soldados devem, ao longo do dia, obedecer às ordens dos  superiores e,  após o término do expediente, a guarda de serviço presta continência novamente para arriar a bandeira, sempre às 18:00 horas.
 
Soldados de Cristo
 
Esta experiência me chamou a atenção porque nós também somos soldados e pertencemos a um exército.  Ninguém está neutro. Ou pertencemos ao batalhão de Cristo ou ao do inimigo.

Estamos inseridos no Grande Conflito e nosso inimigo luta para nos destruir, pois sabe que pouco tempo lhe resta (Apocalipse 12:12).

Mas como vencer as artimanhas e estratégias do inimigo? O que faz de mim e de você um soldado no exército de Cristo? Ao contrário dos exércitos terrestres, no batalhão de Cristo todos podem e tem condições de ingressar. O único requisito é querer entrar.

Em Êxodo 17:15  Moisés afirma que o Senhor é nossa bandeira. E em Mateus 6:33 e Lucas 12:31 Jesus enfatiza a necessidade de buscá-lo em primeiro lugar. Por isso, se quero ser um soldado obediente e vencer na batalha do grande conflito, cada dia, na primeira hora do dia, somos convocados a prestar continência ao Senhor.

O Senhor é nossa bandeira mas é também o Grande General, o Senhor dos exércitos (1 Samuel 17:45). Ele deve ser o primeiro em nossa lista de prioridades. Levantar mais cedo para orar, estudar a Bíblia, meditar no sacrifício de Jesus e louvar o Seu nome deve ser a nossa primeira tarefa.

Ellen G. White escreveu muito sobre oração. No livro Caminho a Cristo (p. 70) ela enfatiza:

“Consagrai-vos a Deus pela manhã; Fazei disto vossa primeira tarefa…                      Esta é uma questão diária. Cada manhã consagrai-vos a Deus para esse dia. Submetei-Lhe todos os vossos planos, para que se executem ou deixem de se executar, conforme o indique a Sua providência.”

Deus deve ser o primeiro, o último e o melhor. Por isso, ao longo do dia somos chamados a obedecer e, no final do dia, a prestar continência ao Senhor depondo nossa vida em seu altar. “Todo dia que passou no qual Cristo não teve permissão para entrar na alma, é um dia perdido.” (Ellen White, Este Dia com Deus, p. 51)

“Não pode haver limite à utilidade de uma pessoa que, pondo de parte o eu, oferece margem à operação do Espírito Santo em seu coração, e vive uma vida inteiramente consagrada a Deus.” (Ellen White, Ciência do Bom Viver, p. 159).

Lembre-se que a vitória verdadeira está no Senhor. Como diz o hino “Grande Comandante”, uma das canções inspiradoras do Hinário Adventista:

“Grande comandante Cristo nos será. Nesta guerra santa à frente marchará. Nunca Suas hostes abandonará. Há de até o fim lutar. Seu pendão glorioso vamos defender. Hostes inimigas sempre combater. Nosso general por certo irá vencer. Seguiremos a Jesus. Na feroz batalha temos proteção. E afinal em coro junto a multidão. Entoaremos todos a real canção. Quando nós chegarmos lá.

Sempre avante manda o General. Sempre avante guerra contra o mal. Firmes fortes nunca vacilar. Com Jesus havemos de ganhar”.

Pr. Evandro Fávero
Mordomia Cristã – Saúde – ASA
União Sul-Brasileira

Postagens relacionados:

  1. Jesus: Nossa Esperança Viva Quaisquer que sejam os reveses, podemos olhar para eles além…
  2. O culto ao belo – qual a nossa posição? Recentemente aconteceu o concurso de Miss Universo aqui no Brasil….
  3. Oração: uma reflexão teológica A teologia da oração deve examinar a natureza da oração…
Atletas espirituais

Posted: 19 Dec 2011 03:33 AM PST

Na primeira carta de Paulo a Timóteo, o apóstolo Paulo escreve que “o exercício físico para pouco é proveitoso, mas a piedade para tudo é proveitosa…” (I Tim 4:8). O que será que Paulo queria dizer com isso? Será que o exercício físico não é importante para o cristão?
Estudos científicos mostram que o exercício é uma exigência absoluta para a preservação da saúde e das faculdades mentais. Enquanto as máquinas mecânicas, como um carro, se desgastam com o uso, a máquina humana é exatamente o oposto: quanto mais você usá-la mais ela funciona.
Um programa regular de exercícios aeróbicos terá efeitos positivos em todos os sistemas do corpo. Além do evidente ganho muscular, um dos mais importantes é o seu efeito sobre o coração, pulmões e vasos sanguíneos. Como o músculo cardíaco se torna mais forte e mais eficiente, ele bombeia mais sangue a cada batimento cardíaco, melhorando a circulação. O exercício aumenta o volume de sangue e a quantidade de glóbulos vermelhos, melhorando o fornecimento de oxigênio para os órgãos, principalmente para o cérebro.
É no cérebro que os efeitos da atividade física se tornam mais visíveis. Se você começar um programa regular de exercícios físicos, você irá experimentar um aumento da concentração, disposição, energia e entusiasmo. Além disso, é notável a diminuição do estresse, das tensões e da fadiga mental. Você terá mais vitalidade e vigor pessoal; o sono será mais profundo e a memória mais afiada.
Exercício físico e espiritualidade – Esta melhora da condição cerebral proporciona terreno fértil para o crescimento espiritual. Na verdade, é exatamente isso que Paulo menciona em sua carta. Paulo não estava menosprezando os benefícios do exercício físico, pois o corpo humano é o “templo do Espírito Santo” (1 Cor 6:19-20) e todo cristão deve se manter no melhor estado possível de saúde, oferecendo-se como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. Manter-se saudável requer razoável quantidade de exercício físico. O que Paulo queria dizer é que o exercício físico não deve ser um fim em si mesmo, em detrimento da piedade do caráter, mas um meio de manter o corpo em um estado físico ideal que permita o progresso espiritual.
Como começar  – Se você deseja prosperar física e espiritualmente, comece hoje mesmo. Inicie aos poucos e aumente gradualmente a duração e a intensidade conforme sua resistência melhora. Alguns estudos têm mostrado que 20 a 30 minutos de exercício vigoroso cinco vezes por semana é suficiente para produzir os efeitos benéficos aqui descritos.
Exercício ao ar livre é sempre mais saudável do que o exercício indoor. Andar a pé é provavelmente o exercício mais universal, podendo ser praticado pela maioria. Três a cinco quilômetros de caminhada, cinco dias por semana pode mudar a sua vida. Se você está em boas condições, jogging, natação e musculação também são boas escolhas. Mas cuidado: evite os esportes competitivos, que muitas vezes causam lesões e estimulam um espírito de rivalidade.

Luiz Fernando Sella é médico

Postagens relacionados:

  1. O que é reavivamento e reforma espirituais? O período pós-Conferência Geral de Atlanta, EUA (junho-julho de 2010),…
  2. Boa atitude As doenças mentais aumentaram de maneira alarmante nos últimos cem…
  3. Suando para ver Deus A atividade física é indicada como remédio em vários casos….
Colha o dia

Posted: 19 Dec 2011 03:01 AM PST

Depois de viver obcecada pelo futuro, Jenifer descobriu o prazer das pequenas coisas – passear na praia, telefonar para os amigos, sufocar antigos rancores, comer bolinhos de chuva, levantar-se depois das dez – enfim, ela entendeu que a vida é feita de pequenos momentos que devem ser vividos ao máximo e no presente. Este relato poderia servir de desfecho para qualquer comédia romântica. Mensagens assim aparecem também em músicas, livros e até em discursos religiosos.
Aliás, este tema acompanha a Literatura ocidental desde os gregos. Os melhores líricos cultivaram o gênero que recebeu o nome de carpe diem (“colha o dia”, expressão de Horácio, poeta latino que inovou o gênero). “[…]O sentido é, pois, apanhar o tempo correto, destacando-o do abstrato tempo da vida.” (Francisco Achbar, “Lírica e Lugar-comum – alguns temas de Horácio e sua presença em Português, p. 94). Na prática, o carpe diem é um convite para se aproveitar o dia de hoje, já que não se tem certeza do amanhã, que merece ser ignorado, porque talvez jamais chegue a existir. Não existe, dentro desta visão, limites para se promover o prazer ao máximo (essa busca pelo prazer como um objetivo é chamada de hedonismo). Isto soa familiar?
Mesmo se para alguns o nome “Horácio” não signifique nada além de um dinossauro verde das histórias em quadrinhos, a influência grega ficou. Milhares “colhem o dia” junto com as consequências de um estilo de vida egoísta e irresponsável. Abortos. Embriaguês. Doenças venéreas. Culpa. Depressão. Há saída?
Claro que a Bíblia também trata da brevidade da vida. Salomão nos aconselha a aproveitar nossa curta existência; escrevendo o Eclesiastes, no qual o sábio insiste mais no assunto, ele fala diretamente aos jovens através de um poema (Ec. 11:9-12:8). Este texto se constitui no auge do livro de Eclesiastes e não seria exagero colocá-lo entre os melhores poemas da Literatura Mundial (Horácio teria inveja!).
Na passagem, Salomão nos apresenta a juventude como época de aproveitar a vida – “satisfazer o coração”, “agradar os olhos”, “afastar o desgosto” e “mover a dor da carne”. Ao mesmo tempo, ele nos lembra que a juventude não é eterna, mas será sucedida pelos “maus dias”, forma não muito simpática de se referir à velhice. De forma majestosa, o poeta bíblico usa metáforas para descrever os efeitos do tempo sobre o corpo, em termos que lembram uma tempestade sobre as cidades do oriente médio.
Certo. Mas o que Salomão tem em mente quando se refere a aproveitar a vida? Acontece que a maneira de se aproveitar a vida não está focada no prazer imediato – mas tendo em vista o compromisso de obediência a Deus (Eclesiastes 11:9, 12:1; também na conclusão, 12:13).

Douglas Reis é teólogo

FONTE:  http://reavivamentoereforma.com/

Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s