MEDITAÇÃO – MENSAGENS – ANO BÍBLICO

– Meditação Matinal de EGW (Português).:

Fruto Vivificante

“No meio da sua praça, de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, o as folhas da árvore são para a cura dos povos”. Apoc. 22:2.
O fruto da árvore da vida, no Jardim do Éden, possuía virtude sobrenatural. Comê-lo produzia vida eterna. Seu fruto era o antídoto da morte. Suas folhas serviam para manter a vida e a imortalidade. …
Depois da entrada do pecado o Cultivador celestial transplantou a árvore da vida para o Paraíso celestial. – 8T, 288.
os santos remidos, que aqui houverem amado a Deus e observado os Seus mandamentos, entrarão pelas portas da cidade, e terão direito à árvore da vida. Dela comerão livremente, como nossos primeiros pais, antes da queda. As folhas daquela árvore frondosa e imortal serão para a cura das nações. Todos os seus ais terão desaparecido. Nunca mais sofrerão doença, tristeza ou morte, pois foram curados pelas folhas da árvore da vida. Jesus, então, verá o trabalho da Sua alma e ficará satisfeito, quando os remidos, que estiveram sujeitos à tristeza, aos trabalhos e aflições, que gemeram sob a maldição, se reunirem ao redor da árvore da vida, para comer o seu fruto imortal, a que nossos primeiros pais per- deram todo o direito, quando transgrediram os mandamentos de Deus. Não haverá perigo de jamais perderem novamente o direito à árvore da vida, pois aquele que tentou nossos primeiros pais a pecar será destruído pela segunda morte. – Youth’s Instructor, Outubro de 1852.
Obediência a todos os mandamentos de Deus era a condição para comer da árvore da vida. Adão caiu por desobediência.
A obediência por meio de Jesus Cristo confere ao homem perfeição de caráter e o direito a essa árvore da vida. As condições para participar novamente do fruto da árvore são expostas claramente no testemunho de Jesus Cristo a João: “Bem-aventurados os que guardam os Seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas”. – 1BC, 1086.
Restabelecidos à árvore da vida, no Éden há tanto tempo perdido, os remidos crescerão até à estatura completa da raça em sua glória primitiva. Os últimos traços da maldição do pecado serão removidos, e os fiéis de Cristo aparecerão na beleza do Senhor nosso Deus”. – GC, 642 e 643.
Ano Bíblico: Atos 22 e 23. – Juvenis: Atos 5.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=100&p=323

– Meditação Matinal de EGW (Espanhol).:

EL FRUTO DEL ÁRBOL DE LA VIDA

En medio de la calle de la ciudad, y a uno y otro lado de¡ río, estaba el árbol de la vida, que produce doce frutos, dando cada mes su fruto; y las hojas del árbol eran para la sanidad de las naciones. (Apoc. 22: 2).
El fruto del árbol de la vida que estaba en el jardín del Edén tenía virtudes sobrenaturales. Comer de él significaba vivir para siempre. Era el antídoto contra la muerte. Sus hojas servían para mantener la vida y la inmortalidad. . . Después de la entrada del pecado, el Labrador celestial lo trasladó al Paraíso que está en el cielo. *
Los santos redimidos, que han amado a Dios y guardado sus mandamientos aquí, entrarán por las puertas de la ciudad, y tendrán derecho al árbol de la vida. Comerán de él con toda libertad tal como lo hicieron nuestros primeros padres antes de su caída. Las hojas de ese árbol inmortal y de amplia copa, serán para la sanidad de las naciones. Habrán desaparecido todos sus infortunios. Jamás volverán a sentir los efectos de la enfermedad, la tristeza y la muerte, porque las hojas del árbol de la vida los habrán sanado. Jesús verá el fruto del trabajo de su alma y se sentirá satisfecho, cuando los redimidos, que fueron objeto de angustias, fatigas y aflicciones, que gimieron bajo el peso de las calamidades, se reúnan en torno del árbol de la vida para comer de su fruto inmortal, del que nuestros primeros padres perdieron todo derecho por haber quebrantado los mandamientos de Dios. Allí jamás habrá peligro de volver a perder el derecho al árbol de la vida, porque el que condujo a la
tentación y al pecado a nuestros primeros padres será destruido en ocasión de la muerte segunda. *
La condición para comer del árbol de la vida era obedecer todos los mandamientos. Adán cayó por desobedecer. . . La obediencia mediante Cristo Jesús confiere al hombre perfección de carácter y derecho al árbol de la vida. En el testimonio de Jesús a Juan están plenamente establecidas las condiciones para participar otra vez de ese fruto: “Bienaventurados los que guardan sus mandamientos, para que su potencia sea en el árbol de la vida, y que entren por las puertas en la ciudad” (Apoc. 22: 14, Versión Valera antigua). *

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=101&p=323

– Meditação Matinal de EGW (Inglês).:

November 13 – Life-Giving Fruit

In the midst of the street of it, and on either side of the river, was there the tree of life, which bare twelve manner of fruits, and yielded her fruit every month: and the leaves of the tree were for the healing of the nations. Rev. 22:2.
The fruit of the tree of life in the Garden of Eden possessed supernatural virtue. To eat of it was to live forever. Its fruit was the antidote of death. . . . {Mar 325.1}
After the entrance of sin the heavenly Husbandman transplanted the tree of life to the Paradise above. {Mar 325.2}
The redeemed saints, who have loved God and kept His commandments here, will enter in through the gates of the city, and have right to the tree of life. They will eat freely of it as our first parents did before their fall. The leaves of that immortal widespread tree will be for the healing of the nations. All their woes will then be gone. Sickness, sorrow, and death they will never again feel, for the leaves of the tree of life have healed them. Jesus will then see of the travail of His soul and be satisfied, when the redeemed, who have been subject to sorrow, toil, and afflictions, who have groaned beneath the curse, are gathered up around that tree of life to eat of its immortal fruit, that our first parents forfeited all right to, by breaking God”s commands. There will be no danger of their ever losing right to the tree of life again, for he that tempted our first parents to sin will be destroyed by the second death. {Mar 325.3}
Obedience to all the commandments of God was the condition of eating of the tree of life. Adam fell by disobedience. . . . {Mar 325.4}
Obedience through Jesus Christ gives to man perfection of character and a right to that tree of life. The conditions of again partaking of the fruit of the tree are plainly stated in the testimony of Jesus Christ to John: “Blessed are they that do his commandments, that they may have right to the tree of life, and may enter in through the gates into the city.” {Mar 325.5}
Restored to the tree of life in the long-lost Eden, the redeemed will “grow up” to the full stature of the race in its primeval glory. The last lingering traces of the curse of sin will be removed, and Christ”s faithful ones will appear in “the beauty of the Lord our God,” in mind and soul and body reflecting the perfect image of their Lord. Oh, wonderful redemption! long talked of, long hoped for, contemplated with eager anticipation, but never fully understood. {Mar 325.6}

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=129&p=323

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

– Mensagens para Evangelistas.:

Se tendes negligenciado o tempo de semeadura, se permitistes que as oportunidades providas por Deus passassem não aproveitadas, se vos tendes agradado a vós mesmos, não vos arrependereis agora, antes que seja demasiado tarde, esforçando-vos para remir o tempo? A obrigação de usar vossos talentos no serviço do Mestre, repousa pesadamente sobre vós. Vinde ao Senhor, e fazei inteira entrega de tudo a Ele. Não podeis permitir a perda de nem mais um dia. Assumi vossa obra negligenciada. Afastai vossa lamentosa incredulidade, vossa inveja e maus pensamentos, e ide para o trabalho em humildade de fé e fervente oração ao Senhor para que vos perdoe pelos vossos anos em que vos não consagrastes. Suplicai auxílio ao Senhor. Se o buscardes ferventemente, com todo o coração, encontrá-Lo-eis, e Ele vos fortalecerá e abençoará. Review and Herald, 7 de janeiro de 1903 e O Colportor Evangelista, pág. 47.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=43&p=47

– Mensagens para Jovens.:

Queridos amigos jovens, lembrai-vos de que não é preciso ser pastor ordenado para servir ao Senhor. Há muitos modos de trabalhar para Cristo. Talvez nunca vos hajam sido impostas mãos humanas em ordenação, mas Deus vos pode dar aptidão para Seu serviço. Pode trabalhar por meio de vós para salvação de almas. Se, tendo aprendido na escola de Cristo, sois mansos e humildes de coração, Ele vos dará palavras com que trabalheis para Ele. Mensagens aos Jovens, pág. 226.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=6&p=226

– Mensagens para Namorados.:

Um dos maiores erros ligados a este assunto é a idéia de que os jovens e inexperientes não devem ser perturbados em suas afeições, que não deve haver nenhuma interferência em sua experiência amorosa. Se já houve um assunto que devesse ser considerado de todos os pontos de vista, é este. O auxílio da experiência de outros, e o calmo e cuidadoso pesar da questão em ambos os lados, é positivamente indispensável. É um assunto que é pela grande maioria de pessoas tratado com muita, mas muita leviandade. Consultai a Deus e a vossos pais tementes a Deus, jovens amigos. Orai sobre o assunto. Pesai cada sentimento e observai todo desenvolvimento de caráter na pessoa a quem pretendeis ligar o destino de vossa vida. O passo que ides dar é um dos mais importantes de vossa vida, e não deve ser dado precipitadamente. Conquanto possais amar, não ameis cegamente. Fundamentos da Educação Cristã, pág. 104.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=35&p=104

– Mensagens para Pais.:

De grande importância são as primeiras lições. É costume mandar crianças muito novas à escola. Exige-se delas que estudem de livros coisas que sobrecarregam a mente infantil, e muitas vezes lhes é ensinada a música. Freqüentemente, os pais não dispõem senão de poucos recursos, incorrendo em uma despesa que mal se podem permitir, mas tudo precisam fazer para se aplicar a esse ramo artificial de educação. Esse procedimento não é sábio. Uma criança nervosa não devia ser sobrecarregada em qualquer direção, e não devia aprender música antes de estar bem desenvolvida fisicamente. Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 145.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=37&p=145

– Mensagens sobre Escola Sabatina.:

Não deve o professor da Escola Sabatina seguir o exemplo dos que não crescem no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, embora esse exemplo seja dado pelos que ministram no santo púlpito. Os que desejam ser aceitos como coobreiros de Deus não devem imitar o tom, maneiras ou idéias de qualquer outro homem. Devem aprender de Deus e ser dotados de sabedoria celestial. Deus deu o dom da razão e do intelecto a um obreiro como a outro e, de acordo com vossa capacidade, deveis negociar com vossos talentos. O Senhor não quer que nenhum obreiro seja a simples sombra de outro a quem admira. O professor deve crescer até à estatura de Cristo e não até à de um finito e falível mortal. Deveis “crescer na graça” (II Ped. 3:18), e onde se encontra ela? Só em Cristo, o modelo divino. Conselhos Sobre a Escola Sabatina, págs. 105 e 106.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=15&p=105

– Mensagens sobre Saúde.:

Não deveis permitir a vossos filhos que comam doces, frutas, nozes ou o que quer que seja no ramo dos alimentos, entre as suas refeições. Duas refeições ao dia será para eles melhor do que três. Se os pais derem o exemplo, e agirem dirigidos pelo princípio, os filhos logo entrarão na linha. Irregularidades no comer destroem a condição sadia dos órgãos digestivos, e quando vossos filhos vêm à mesa, não lhes apetece o alimento saudável; seu apetite anseia por aquilo que lhes é mais prejudicial. Muitas vezes vossos filhos têm sofrido febre e calafrios devidos ao comer de modo impróprio, sendo os pais os responsáveis por sua doença. É dever dos pais cuidar que os filhos formem hábitos conducentes à saúde, poupando-se assim muito aborrecimento. Testimonies, vol. 4, pág. 502 e Conselhos Sobre o Regime Alimentar, pág. 229.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=17&p=229

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

– Ano Bíblico (Português).:

Livro de Atos

Capítulo 22

1 – Irmãos e pais, ouvi a minha defesa, que agora faço perante vós.
2 – Ora, quando ouviram que lhes falava em língua hebraica, guardaram ainda maior silêncio. E ele prosseguiu:
3 – Eu sou judeu, nascido em Tarso da Cilícia, mas criado nesta cidade, instruído aos pés de Gamaliel, conforme a precisão da lei de nossos pais, sendo zeloso para com Deus, assim como o sois todos vós no dia de hoje.
4 – E persegui este Caminho até a morte, algemando e metendo em prisões tanto a homens como a mulheres,
5 – do que também o sumo sacerdote me é testemunha, e assim todo o conselho dos anciãos; e, tendo recebido destes cartas para os irmãos, seguia para Damasco, com o fim de trazer algemados a Jerusalém aqueles que ali estivessem, para que fossem castigados.
6 – Aconteceu, porém, que, quando caminhava e ia chegando perto de Damasco, pelo meio-dia, de repente, do céu brilhou-me ao redor uma grande luz.
7 – Caí por terra e ouvi uma voz que me dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?
8 – Eu respondi: Quem és tu, Senhor? Disse-me: Eu sou Jesus, o nazareno, a quem tu persegues.
9 – E os que estavam comigo viram, em verdade, a luz, mas não entenderam a voz daquele que falava comigo.
10 – Então perguntei: Senhor que farei? E o Senhor me disse: Levanta-te, e vai a Damasco, onde se te dirá tudo o que te é ordenado fazer.
11 – Como eu nada visse por causa do esplendor daquela luz, guiado pela mão dos que estavam comigo cheguei a Damasco.
12 – Um certo Ananias, varão piedoso conforme a lei, que tinha bom testemunho de todos os judeus que ali moravam,
13 – vindo ter comigo, de pé ao meu lado, disse-me: Saulo, irmão, recobra a vista. Naquela mesma hora, recobrando a vista, eu o vi.
14 – Disse ele: O Deus de nossos pais de antemão te designou para conhecer a sua vontade, ver o Justo, e ouvir a voz da sua boca.
15 – Porque hás de ser sua testemunha para com todos os homens do que tens visto e ouvido.
16 – Agora por que te demoras? Levanta-te, batiza-te e lava os teus pecados, invocando o seu nome.
17 – Aconteceu que, tendo eu voltado para Jerusalém, enquanto orava no templo, achei-me em êxtase,
18 – e vi aquele que me dizia: Apressa-te e sai logo de Jerusalém; porque não receberão o teu testemunho acerca de mim.
19 – Disse eu: Senhor, eles bem sabem que eu encarcerava e açoitava pelas sinagogas os que criam em ti.
20 – E quando se derramava o sangue de Estêvão, tua testemunha, eu também estava presente, consentindo na sua morte e guardando as capas dos que o matavam.
21 – Disse-me ele: Vai, porque eu te enviarei para longe, aos gentios.
22 – Ora, escutavam-no até esta palavra, mas então levantaram a voz, dizendo: Tira do mundo tal homem, porque não convém que viva.
23 – Gritando eles e arrojando de si as capas e lançando pó para o ar,
24 – o comandante mandou que levassem Paulo para dentro da fortaleza, ordenando que fosse interrogado debaixo de açoites, para saber por que causa assim clamavam contra ele.
25 – Quando o haviam atado com as correias, disse Paulo ao centurião que ali estava: É-vos lícito açoitar um cidadão romano, sem ser ele condenado?
26 – Ouvindo isto, foi o centurião ter com o comandante e o avisou, dizendo: Vê o que estás para fazer, pois este homem é romano.
27 – Vindo o comandante, perguntou-lhe: Dize-me: és tu romano? Respondeu ele: Sim sou.
28 – Tornou o comandante: Eu por grande soma de dinheiro adquiri este direito de cidadão. Paulo disse: Mas eu o sou de nascimento.
29 – Imediatamente, pois se apartaram dele aqueles que o iam interrogar; e até o comandante, tendo sabido que Paulo era romano, atemorizou-se porque o havia ligado.
30 – No dia seguinte, querendo saber ao certo a causa por que ele era acusado pelos judeus, soltou-o das prisões, e mandou que se reunissem os principais sacerdotes e todo o sinédrio; e, trazendo Paulo, apresentou-o diante deles.

Capítulo 23

1 – Fitando Paulo os olhos no sinédrio, disse: Varões irmãos, até o dia de hoje tenho andado diante de Deus com toda a boa consciência.
2 – Mas o sumo sacerdote, Ananias, mandou aos que estavam junto dele que o ferissem na boca.
3 – Então Paulo lhe disse: Deus te ferirá a ti, parede branqueada; tu estás aí sentado para julgar-me segundo a lei, e contra a lei mandas que eu seja ferido?
4 – Os que estavam ali disseram: Injurias o sumo sacerdote de Deus?
5 – Disse Paulo: Não sabia, irmãos, que era o sumo sacerdote; porque está escrito: Não dirás mal do príncipe do teu povo.
6 – Sabendo Paulo que uma parte era de saduceus e outra de fariseus, clamou no sinédrio: Varões irmãos, eu sou fariseu, filho de fariseus; é por causa da esperança da ressurreição dos mortos que estou sendo julgado.
7 – Ora, dizendo ele isto, surgiu dissensão entre os fariseus e saduceus; e a multidão se dividiu.
8 – Porque os saduceus dizem que não há ressurreição, nem anjo, nem espírito; mas os fariseus reconhecem uma e outra coisa.
9 – Daí procedeu grande clamor; e levantando-se alguns da parte dos fariseus, altercavam, dizendo: Não achamos nenhum mal neste homem. E se algum espírito ou anjo lhe falou, não resistamos a Deus.
10 – E avolumando-se a dissenção, o comandante, temendo que Paulo fosse por eles despedaçado, mandou que os soldados descessem e o tirassem do meio deles e o levassem para a fortaleza.
11 – Na noite seguinte, apresentou-se-lhe o Senhor e disse: Tem bom ânimo: porque, como deste testemunho de mim em Jerusalém, assim importa que o dês também em Roma.
12 – Quando já era dia, coligaram-se os judeus e juraram sob pena de maldição que não comeriam nem beberiam enquanto não matassem a Paulo.
13 – Eram mais de quarenta os que fizeram esta conjuração;
14 – e estes foram ter com os principais sacerdotes e anciãos, e disseram: Conjuramo-nos sob pena de maldição a não provarmos coisa alguma até que matemos a Paulo.
15 – Agora, pois, vós, com o sinédrio, rogai ao comandante que o mande descer perante vós como se houvésseis de examinar com mais precisão a sua causa; e nós estamos prontos para matá-lo antes que ele chegue.
16 – Mas o filho da irmã de Paulo, tendo sabido da cilada, foi, entrou na fortaleza e avisou a Paulo.
17 – Chamando Paulo um dos centuriões, disse: Leva este moço ao comandante, porque tem alguma coisa que lhe comunicar.
18 – Tomando-o ele, pois, levou-o ao comandante e disse: O preso Paulo, chamando-me, pediu-me que trouxesse à tua presença este moço, que tem alguma coisa a dizer-te.
19 – O comandante tomou-o pela mão e, retirando-se à parte, perguntou-lhe em particular: Que é que tens a contar-me?
20 – Disse ele: Os judeus combinaram rogar-te que amanhã mandes Paulo descer ao sinédrio, como que tendo de inquirir com mais precisão algo a seu respeito.
21 – Tu, pois, não te deixes persuadir por eles; porque mais de quarenta homens dentre eles armaram ciladas, os quais juraram sob pena de maldição não comerem nem beberem até que o tenham morto; e agora estão aprestados, esperando a tua promessa.
22 – Então o comandante despediu o moço, ordenando-lhe que a ninguém dissesse que lhe havia contado aquilo.
23 – Chamando dois centuriões, disse: Aprontai para a terceira hora da noite duzentos soldados de infantaria, setenta de cavalaria e duzentos lanceiros para irem até Cesaréia.
24 – E mandou que aparelhassem cavalgaduras para que Paulo montasse, a fim de o levarem salvo ao governador Félix.
25 – E escreveu-lhe uma carta nestes termos:
26 – Cláudio Lísias, ao excelentíssimo governador Félix, saúde.
27 – Este homem foi preso pelos judeus, e estava a ponto de ser morto por eles quando eu sobrevim com a tropa e o livrei ao saber que era romano.
28 – Querendo saber a causa por que o acusavam, levei-o ao sinédrio deles;
29 – e achei que era acusado de questões da lei deles, mas que nenhum crime havia nele digno de morte ou prisão.
30 – E quando fui informado que haveria uma cilada contra o homem, logo to enviei, intimando também aos acusadores que perante ti se manifestem contra ele. Passa bem.
31 – Os soldados, pois, conforme lhes fora mandado, tomando a Paulo, o levaram de noite a Antipátride.
32 – Mas no dia seguinte, deixando aos de cavalaria irem com ele, voltaram à fortaleza;
33 – os quais, logo que chegaram a Cesaréia e entregaram a carta ao governador, apresentaram-lhe também Paulo.
34 – Tendo lido a carta, o governador perguntou de que província ele era; e, sabendo que era da Cilícia, disse:
35 – Ouvir-te-ei quando chegarem também os teus acusadores; e mandou que fosse guardado no pretório de Herodes.

– Pergunta sobre o Ano Bíblico.:

Como se chamava o sumo sacerdote que mandou que batessem na boca de Paulo?
Resposta: Ananias (Atos 23:1-2)

– Curiosidades Bíblicas.:

Onde se lê na Bíblia a morte de um grupo de rapazes por terem zombado de um servo do Senhor, chamando-o de careca?
Resposta: II Reis 2:23,24.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/biblia.asp?lista=1&livro=12&capitulo=2

– Versos Bíblicos.:

Porque Deus há de trazer a juízo toda obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau. Eclesiastes 12:14

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/biblia.asp?lista=1&livro=21&capitulo=12&verso=14

– Ano Bíblico (Espanhol).:

Libro de Atos

Capítulo 22

1 – –Hermanos y padres, Oíd ahora mi defensa ante vosotros.
2 – Cuando oyeron que Pablo les hablaba en lengua hebrea, guardaron aun mayor silencio. Entonces dijo:
3 – –Soy un hombre Judío, nacido en Tarso de Cilicia pero criado en esta ciudad, instruido a los pies de Gamaliel en la estricta observancia de la ley de nuestros padres, siendo celoso de Dios como lo sois todos vosotros hoy.
4 – Yo Perseguí este Camino hasta la muerte, tomando presos y entregando a las Cárceles a hombres y también a mujeres,
5 – como aun el sumo sacerdote me es testigo, y todos los ancianos de quienes también Recibí cartas para los hermanos. Y fui a Damasco para traer presos a Jerusalén a los que estaban Allí, para que fuesen castigados.
6 – Pero me Sucedió, cuando viajaba y llegaba cerca de Damasco, como a Mediodía, que de repente me Rodeó de resplandor una gran luz del cielo.
7 – Yo Caí al suelo y Oí una voz que me Decía: “Saulo, Saulo, ¿por qué me persigues?”
8 – Entonces yo Respondí: “¿Quién eres, Señor?” Y me dijo: “Yo soy Jesús de Nazaret, a quien Tú persigues.”
9 – A la verdad, los que estaban conmigo vieron la luz, pero no entendieron la voz del que hablaba conmigo.
10 – Yo dije: “¿Qué haré, Señor?” Y el Señor me dijo: “Levántate y vé a Damasco, y Allí se te Dirá todo lo que te Está ordenado hacer.”
11 – Como no Podía ver a causa del resplandor de aquella luz, fui guiado de la mano por los que estaban conmigo, y entré en Damasco.
12 – Entonces un tal Ananías, hombre piadoso conforme a la ley, que Tenía buen testimonio de todos los Judíos que moraban Allí,
13 – vino a Mí y puesto de pie me dijo: “Hermano Saulo, recibe la vista.” Y yo le vi en aquel instante.
14 – Y él me dijo: “El Dios de nuestros padres te ha designado de antemano para que conozcas su voluntad y veas al Justo, y oigas la voz de su boca.
15 – Porque Serás testigo suyo ante todos los hombres de lo que has visto y Oído.
16 – Ahora, pues, ¿por qué te detienes? Levántate y Bautízate, y lava tus pecados, invocando su nombre.”
17 – Entonces, cuando Volví a Jerusalén, mientras oraba en el templo, Sucedió que Caí en éxtasis
18 – y vi al Señor que me Decía: “Date prisa y sal de inmediato de Jerusalén, porque no Recibirán tu testimonio acerca de Mí.”
19 – Y yo dije: “Señor, ellos saben bien que yo andaba encarcelando y azotando a los que Creían en ti en todas las sinagogas;
20 – y cuando se derramaba la sangre de tu testigo Esteban, yo también estaba presente, aprobaba su muerte y guardaba la ropa de los que le mataban.”
21 – Pero él me dijo: “Anda, porque yo te enviaré lejos, a los gentiles.”
22 – Le escucharon hasta esta palabra. Entonces alzaron la voz diciendo: –¡Quita de la tierra a tal hombre, porque no conviene que viva!
23 – Como ellos daban voces, arrojaban sus ropas y echaban polvo al aire,
24 – el tribuno Mandó que metieran a Pablo en la fortaleza y Ordenó que le sometieran a interrogatorio mediante azotes, para saber por qué causa daban voces Así contra él.
25 – Pero apenas lo estiraron con las correas, Pablo dijo al Centurión que estaba presente: –¿Os es Lícito azotar a un ciudadano romano que no ha sido condenado?
26 – Cuando el Centurión Oyó esto, fue e Informó al tribuno diciendo: –¿Qué vas a hacer? Pues este hombre es romano.
27 – Vino el tribuno y le dijo: –Dime, ¿eres Tú romano? Y él dijo: –Sí.
28 – El tribuno Respondió: –Yo logré esta Ciudadanía con una gran suma. Entonces Pablo dijo: –Pero yo la tengo por nacimiento.
29 – Así que, en seguida se retiraron de él los que le iban a interrogar. También el tribuno tuvo temor cuando supo que Pablo era ciudadano romano y que le Había tenido atado.
30 – Al Día siguiente, queriendo saber con certeza la verdadera Razón por la que era acusado por los Judíos, le Desató y Mandó reunir a todos los principales sacerdotes y a todo el Sanedrín de ellos. Y sacando a Pablo, lo Presentó delante de ellos.

Capítulo 23

1 – Entonces Pablo, fijando la vista en el Sanedrín, dijo: –Hermanos, yo he vivido delante de Dios con toda buena conciencia hasta el Día de hoy.
2 – Y el sumo sacerdote Ananías Mandó a los que estaban a su lado, que le golpeasen en la boca.
3 – Entonces Pablo dijo: –¡Dios te ha de golpear a ti, pared blanqueada! Tú Estás sentado para juzgarme conforme a la ley; y quebrantando la ley, ¿mandas que me golpeen?
4 – Los que estaban presentes le dijeron: –¿Insultas Tú al sumo sacerdote de Dios?
5 – Y Pablo dijo: –No Sabía, hermanos, que fuera el sumo sacerdote; pues escrito Está: No Maldecirás al gobernante de tu pueblo.
6 – Entonces Pablo, sabiendo que una parte del Sanedrín eran saduceos y la otra parte fariseos, Gritó en el Sanedrín: –Hermanos, yo soy fariseo, hijo de fariseos. Es por la esperanza y la Resurrección de los muertos que soy juzgado.
7 – Cuando dijo esto, se produjo Disensión entre los fariseos y los saduceos. La asamblea se Dividió,
8 – porque los saduceos dicen que no hay Resurrección, ni ángeles, ni Espíritus; pero los fariseos afirman todas estas cosas.
9 – Se Levantó un gran Vocerío, y algunos de los escribas del partido de los fariseos se levantaron y Contendían diciendo: –No hallamos Ningún mal en este hombre. ¿Y qué hay si un Espíritu o un ángel le ha hablado?
10 – Como hubo grande Disensión, el tribuno, temiendo que Pablo fuese despedazado, Mandó a los soldados que bajaran para arrebatarlo de en medio de ellos y llevarlo a la fortaleza.
11 – A la noche siguiente se le Presentó el Señor y le dijo: “Sé valiente, Pablo, pues Así como has testificado de Mí en Jerusalén, Así es necesario que testifiques también en Roma.”
12 – Cuando Llegó el Día, los Judíos tramaron un complot y se juraron bajo Maldición, diciendo que no Comerían ni Beberían hasta que hubieran dado muerte a Pablo.
13 – Eran Más de cuarenta los que Habían hecho esta Conjuración.
14 – Ellos fueron a los principales sacerdotes y a los ancianos, y les dijeron: –Nosotros hemos jurado bajo Maldición, que no gustaremos nada hasta que hayamos dado muerte a Pablo.
15 – Ahora, pues, vosotros con el Sanedrín solicitad al tribuno que le saque mañana a vosotros, como si tuvierais que investigar su caso con Más exactitud. Pero nosotros estaremos preparados para matarle antes que él llegue.
16 – Pero el hijo de la hermana de Pablo Oyó hablar de la emboscada. El fue, Entró en la fortaleza y se lo Informó a Pablo.
17 – Pablo Llamó a uno de los centuriones y le dijo: –Lleva a este joven al tribuno, porque tiene algo que comunicarle.
18 – Entonces él le Tomó, le Llevó al tribuno y le dijo: –El preso Pablo me Llamó y me Rogó que trajera este joven a ti, porque tiene algo que decirte.
19 – El tribuno le Tomó de la mano, y Llevándolo aparte le Preguntó en privado: –¿Qué es lo que tienes que decirme?
20 – Y él dijo: –Los Judíos han acordado rogarte que mañana saques a Pablo al Sanedrín, como si fueran a indagar algo Más exacto acerca de él.
21 – Pues Tú, no les creas, porque Más de cuarenta hombres de ellos le Están preparando una emboscada. Se han jurado bajo Maldición que no Comerán ni Beberán hasta que le hayan asesinado. Ahora Están listos, esperando una promesa de parte tuya.
22 – Luego el tribuno Despidió al joven Encargándole: –No digas a nadie que me has informado de esto.
23 – Entonces el tribuno Llamó a dos de los centuriones y dijo: –Para la tercera hora de la noche, preparad 200 soldados, Más 70 de Caballería y 200 lanceros para que vayan a Cesarea.
24 – A la vez, Ordenó que proveyeran cabalgaduras para que Pablo montara, y le llevasen a salvo al procurador Félix.
25 – También Escribió una carta en estos términos:
26 – Claudio Lisias, al Excelentísimo procurador Félix. Saludos.
27 – Cuando este hombre fue prendido por los Judíos y estaba a punto de ser muerto por ellos, yo le rescaté acudiendo con la tropa, habiendo entendido que era romano.
28 – Queriendo saber el delito por el cual le acusaban, le hice bajar al Sanedrín de ellos.
29 – Hallé que era acusado de cuestiones de la ley de ellos, pero sin ninguna Acusación de crimen digno de muerte o de Prisión.
30 – Pero como se me Informó que Habría un complot contra el hombre, inmediatamente le envié a ti y he informado también a sus acusadores que declaren delante de ti lo que tienen contra él.
31 – Por tanto, de acuerdo con las órdenes que Habían recibido, los soldados tomaron a Pablo y le llevaron de noche a Antípatris.
32 – Y al Día siguiente, dejando que la Caballería siguiera con él, regresaron a la fortaleza.
33 – Después de llegar a Cesarea y entregar la carta al procurador, presentaron también a Pablo delante de él.
34 – El procurador Leyó la carta y le Preguntó de qué provincia era. Informado que era de Cilicia, dijo:
35 – –Oiré tu causa cuando vengan tus acusadores. Y Mandó que le guardaran en el Pretorio de Herodes.

– Ano Bíblico (Inglês).:

Book of Atos

Chapter 22

1 – My brothers and fathers, give ear to the story of my life which I now put before you.
2 – And, hearing him talking in the Hebrew language, they became the more quiet, and he said,
3 – I am a Jew of Tarsus in Cilicia by birth, but I had my education in this town at the feet of Gamaliel, being trained in the keeping of every detail of the law of our fathers; given up to the cause of God with all my heart, as you are today.
4 – And I made attacks on this Way, even to death, taking men and women and putting them in prison.
5 – Of which the high priest will be a witness, and all the rulers, from whom I had letters to the brothers; and I went into Damascus, to take those who were there as prisoners to Jerusalem for punishment.
6 – And it came about that while I was on my journey, coming near to Damascus, about the middle of the day, suddenly I saw a great light from heaven shining round me.
7 – And when I went down on the earth, a voice came to my ears saying to me, Saul, Saul, why are you attacking me so cruelly?
8 – And I, answering, said, Who are you; Lord? And he said to me, I am Jesus of Nazareth, whom you are attacking.
9 – And those who were with me saw the light, but the voice of him who was talking to me came not to their ears.
10 – And I said, What have I to do, Lord? And the Lord said to me, Get up, and go into Damascus; and it will be made clear to you what you have to do.
11 – And because I was unable to see because of the glory of that light, those who were with me took me by the hand, and so I came to Damascus.
12 – And one Ananias, a God-fearing man, who kept the law, and of whom all the Jews in that place had a high opinion,
13 – Came to my side and said, Brother Saul, let your eyes be open. And in that very hour I was able to see him.
14 – And he said, You have been marked out by the God of our fathers to have knowledge of his purpose, and to see the Upright One and to give ear to the words of his mouth.
15 – For you will be a witness for him to all men of what you have seen and of what has come to your ears.
16 – And now, why are you waiting? get up, and have baptism, for the washing away of your sins, giving worship to his name.
17 – And it came about that when I had come back to Jerusalem, while I was at prayer in the Temple, my senses became more than naturally clear,
18 – And I saw him saying to me, Go out of Jerusalem straight away because they will not give hearing to your witness about me.
19 – And I said, Lord, they themselves have knowledge that I went through the Synagogues putting in prison and whipping all those who had faith in you:
20 – And when Stephen your witness was put to death, I was there, giving approval, and looking after the clothing of those who put him to death.
21 – And he said to me, Go, for I will send you far away to the Gentiles.
22 – And they gave him a hearing as far as this word; then with loud voices they said, Away with this man from the earth; it is not right for him to be living.
23 – And while they were crying out, and pulling off their clothing, and sending dust into the air,
24 – The chief captain gave orders for him to be taken into the army building, saying that he would put him to the test by whipping, so that he might have knowledge of the reason why they were crying out so violently against him.
25 – And when they had put leather bands round him, Paul said to the captain who was present, Is it the law for you to give blows to a man who is a Roman and has not been judged?
26 – And hearing this, the man went to the chief captain and gave him an account of it, saying, What are you about to do? for this man is a Roman.
27 – And the chief captain came to him and said, Give me an answer, are you a Roman? And he said, Yes.
28 – And the chief captain said, I got Roman rights for myself at a great price. And Paul said, But I had them by birth.
29 – Then those who were about to put him to the test went away: and the chief captain was in fear, seeing that he was a Roman, and that he had put chains on him.
30 – But on the day after, desiring to have certain knowledge of what the Jews had to say against him, he made him free, and gave orders for the chief priests and all the Sanhedrin to come together, and he took Paul and put him before them.

Chapter 23

1 – And Paul, looking fixedly at the Sanhedrin, said, My brothers, my life has been upright before God till this day.
2 – And the high priest, Ananias, gave orders to those who were near him to give him a blow on the mouth.
3 – Then Paul said to him, God will give blows to you, you whitewashed wall: are you here to be my judge by law, and by your orders am I given blows against the law?
4 – And those who were near said, Do you say such words against God´s high priest?
5 – And Paul said, Brother, I had no idea that he was the high priest: for it has been said, You may not say evil about the ruler of your people.
6 – But when Paul saw that half of them were Sadducees and the rest Pharisees, he said in the Sanhedrin, Brothers, I am a Pharisee, and the son of Pharisees: I am here to be judged on the question of the hope of the coming back from the dead.
7 – And when he had said this, there was an argument between the Pharisees and the Sadducees, and a division in the meeting.
8 – For the Sadducees say that there is no coming back from the dead, and no angels or spirits: but the Pharisees have belief in all these.
9 – And there was a great outcry: and some of the scribes on the side of the Pharisees got up and took part in the discussion, saying, We see no evil in this man: what if he has had a revelation from an angel or a spirit?
10 – And when the argument became very violent, the chief captain, fearing that Paul would be pulled in two by them, gave orders to the armed men to take him by force from among them, and take him into the army building.
11 – And the night after, the Lord came to his side and said, Be of good heart, for as you have been witnessing for me in Jerusalem, so will you be my witness in Rome.
12 – And when it was day, the Jews came together and put themselves under an oath that they would take no food or drink till they had put Paul to death.
13 – And more than forty of them took this oath.
14 – And they came to the chief priests and the rulers and said, We have taken a great oath to take no food till we have put Paul to death
15 – So now, will you and the Sanhedrin make a request to the military authorities to have him sent down to you, as if you were desiring to go into the business in greater detail; and we, before ever he gets to you, will be waiting to put him to death.
16 – But Paul´s sister´s son had word of their design, and he came into the army building and gave news of it to Paul.
17 – And Paul sent for a captain and said, Take this young man to your chief, for he has news for him.
18 – So he took him to the chief captain and said, Paul, the prisoner, made a request to me to take this young man to you, for he has something to say to you.
19 – And the chief took him by the hand and, going on one side, said to him privately, What is it you have to say to me?
20 – And he said, The Jews are in agreement together to make a request to you for Paul to be taken, on the day after this, into the Sanhedrin, to be questioned in greater detail.
21 – But do not give way to them, for more than forty of them are waiting for him, having taken an oath not to take food or drink till they have put him to death: and now they are ready, waiting for your order.
22 – So the chief captain let the young man go, saying to him, Do not say to anyone that you have given me word of these things.
23 – And he sent for two captains and said, Make ready two hundred men, with seventy horsemen and two hundred spearmen, to go to Caesarea, at the third hour of the night:
24 – And get beasts so that they may put Paul on them, and take him safely to Felix, the ruler.
25 – And he sent a letter in these words:
26 – Claudius Lysias, to the most noble ruler, Felix, peace be with you.
27 – This man was taken by the Jews, and was about to be put to death by them, when I came on them with the army and took him out of danger, having knowledge that he was a Roman.
28 – And, desiring to get at the reason for their attack on him, I took him down to their Sanhedrin:
29 – Then it became clear to me that it was a question of their law, and that nothing was said against him which might be a reason for prison or death.
30 – And when news was given to me that a secret design was being made against the man, I sent him straight away to you, giving orders to those who are against him to make their statements before you.
31 – So the armed men, as they were ordered, took Paul and came by night to Antipatris.
32 – But on the day after, they sent the horsemen on with him, and went back to their place:
33 – And they, when they came to Caesarea, gave the letter to the ruler, and took Paul before him.
34 – And after reading it, he said, What part of the country do you come from? And, hearing that he was from Cilicia,
35 – I will give hearing to your cause, he said, when those who are against you have come. And he gave orders for him to be kept in Herod´s Praetorium.

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

– Meditação Matinal de EGW (Português).:

“Nem Olhos Viram, nem Ouvidos Ouviram”

“Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que O amam”. 1 Cor. 2-9.
Os que na verdade amam a Deus desejarão de tal modo usar os talentos que Deus lhes confiou, que poliam ser uma bênção aos outros. E afinal os portais do Céu se abrirão de par em par para lhes dar entrada, e dos lábios do Rei da Glória alcançará os seus ouvidos, qual música suavíssima, a bênção: “Vinde, benditos de Meu Pai! entra! na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”. S. Mat. 25:34. Assim os remidos receberão as boas-vindas às mansões que Jesus lhes está preparando. Lá seus companheiros não serão os vis da Terra, mas sim os que, mediante o auxílio divino formaram caráter perfeito. Cada tendência pecaminosa, toda imperfeição, foi removida pelo sangue de Cristo; o é-lhes comunicada a excelência e resplendor de Sua glória, excedente em muito ao brilho do Sol em seu esplendor meridiano. E resplandece através deles a beleza moral, a perfeição de Seu caráter o que é de valor muito superior ao esplendor externo. São irrepreensíveis ante o grande trono branco, e participam da dignidade e privilégios dos anjos.
“Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que O amam”. Em vista da gloriosa herança que lhe pode caber, “que dará o homem em troca de sua alma?” S. Mat. 16:26. Pode ele ser pobre, todavia possui, em si mesmo, uma riqueza e dignidade que o mundo jamais poderia conceder. A alma, redimida e purificada do pecado, com todas as suas nobres faculdades delicadas ao serviço de Deus, é de sumo valor. Nos Lugares Celestiais, p. 367.
Habitar para sempre no lar dos bem-aventurados, trazer na alma, no corpo e no espírito, não os negros traços do pecado e da maldição, mas a perfeita semelhança de nosso Criador, e através dos séculos intérminos progredir em sabedoria, em conhecimento e santidade, explorando sempre novos campos do pensamento, sempre encontrando novas maravilhas e novas glórias, aumentando sempre à capacidade de saber, gozar e amar, e sabendo que há ainda diante de nós alegria, amor e sabedoria infinitos – tal é o objetivo a que aponta a esperança cristã. – CP, 49.
Ano Bíblico: Atos 19-21. – Juvenis: Atos 4.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=100&p=322

– Meditação Matinal de EGW (Espanhol).:

LO QUE OJO NO VIO, NI OÍDO OYÓ

Cosas que ojo no vio, ni oído oyó, ni han subido en corazón de hombre, son las que Dios ha preparado para los que le aman. (1 Cor. 2: 9).
Los que verdaderamente aman a Dios, desearán mejorar los talentos recibidos a fin de que puedan ser una bendición para otros. Y pronto las puertas del cielo se abrirán para admitirlos, y los labios del Rey de gloria pronunciarán la bendición que será para sus oídos como la más hermosa música: “Venid, benditos de mi Padre, heredad el reino preparado para vosotros desde la fundación del mundo” (Mat. 25: 34). Así se les dará la bienvenida a los redimidos a las mansiones que Jesús les está preparando. Allí sus compañeros no serán los viles de la tierra, sino los que por la ayuda divina han formado caracteres perfectos. Toda tendencia pecaminosa, toda imperfección ha sido eliminada por la sangre de Cristo; y se les imparte la excelencia y brillantez de su gloria, que excede por lejos al fulgor del sol en su esplendor meridiano. Y la belleza moral, la perfección de su carácter [de Cristo], resplandece a través de ellos, con una excelencia que sobrepasa ese esplendor exterior. Están
sin culpa ante el gran trono blanco, compartiendo la dignidad y los privilegios de los ángeles. *
“Cosas que ojo no vio, ni oído oyó, ni han subido en corazón de hombre, son las que Dios ha preparado para los que le aman”. Teniendo en vista esta gloriosa herencia, “¿qué recompensa dará el hombre por su alma?” (Mat. 16: 26). Quizás sea pobre; pero posee una riqueza y dignidad que el mundo jamás podrá otorgar. *
Morar para siempre en este hogar de los bienaventurados; llevar en el alma, el cuerpo y el espíritu, no los obscuros estigmas del pecado y la maldición, sino la perfecta semejanza de nuestro Creador, y a través de los siglos sin fin progresar en sabiduría, conocimiento y santidad, explorando siempre nuevos campos del pensamiento, hallando siempre nuevos prodigios y nuevas glorias creciendo siempre en capacidad de conocer, disfrutar y amar, sabiendo que quedan todavía delante de nosotros gozo, amor y infinitos, tal es el fin hacia el cual dirige la esperanza el cristiano, el fin para el cual nos prepara la educación cristiana. *

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=101&p=322

– Meditação Matinal de EGW (Inglês).:

November 12 – Eye Hath Not Seen, Nor Ear Heard

Eye hath not seen, nor ear heard, neither have entered into the heart of man, the things which God hath prepared for them that love him. 1 Cor. 2:9.
Those who truly love God will desire so to improve the talents that He has given them, that they may be a blessing to others. And by and by the gates of heaven will be thrown wide open to admit them, and from the lips of the King of Glory the benediction will fall upon their ear like richest music, “Come, ye blessed of my Father, inherit the kingdom prepared for you from the foundation of the world” (Matt. 25:34). Thus the redeemed will be welcomed to the mansions that Jesus is preparing for them. There their companions will not be the vile of earth, but those who through divine aid have formed perfect characters. Every sinful tendency, every imperfection, has been removed by the blood of Christ; and the excellence and brightness of His glory, far exceeding the brightness of the sun in its meridian splendour, is imparted to them. And the moral beauty, the perfection of His character, shines through them in worth far exceeding this outward splendour. They are without fault bef
ore the great white throne, sharing the dignity and privileges of the angels. {Mar 324.1}
“Eye hath not seen, nor ear heard, neither have entered into the heart of man, the things which God hath prepared for them that love him.” In view of the glorious inheritance which may be his, “What shall a man give in exchange for his soul?” (Matt. 16:26). He may be poor; yet he possesses in himself a wealth and dignity that the world could never bestow. The soul, redeemed and cleansed from sin, with all its noble powers dedicated to the service of God, is of surpassing worth. {Mar 324.2}
To dwell forever in this home of the blest, to bear in soul, body, and spirit, not the dark traces of sin and curse, but the perfect likeness of our Creator, and through ceaseless ages to advance in wisdom, in knowledge, and in holiness, ever exploring new fields of thought, ever finding new wonders and new glories, ever increasing in capacity to know and to enjoy and to love, and knowing that there is still beyond us joy and love and wisdom infinite–such is the object to which the Christian”s hope is pointing. {Mar 324.3}

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=129&p=322

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

– Mensagens para Evangelistas.:

A alegria de Cristo era auxiliar aos que necessitavam de auxílio, procurar os perdidos, salvar os que estavam a perecer, levantar os caídos, curar os doentes e falar palavras de simpatia e consolo aos tristes e abatidos. Quanto mais nos acharmos imbuídos de Seu Espírito, mais zelosamente trabalharemos pelos que nos estão ao redor e mais faremos pelos outros, maior será nosso amor pela obra e maior nosso deleite em seguir ao Mestre. Nosso coração será cheio do amor de Deus; e com zelo e um poder convincente, falaremos do Salvador crucificado. O Colportor Evangelista, pág. 46.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=43&p=46

– Mensagens para Jovens.:

Os jovens se devem habilitar mediante a familiarização com outras línguas, a fim de que Deus os possa usar como instrumentos para comunicar Sua salvadora verdade aos povos de outras nações. Esses jovens podem obter conhecimento de outras línguas, mesmo enquanto ocupados em trabalhar pelos pecadores. Se forem econômicos no tempo, poderão aperfeiçoar a mente e habilitar-se para mais ampla utilidade. Se as moças que não têm senão pequenas responsabilidades se consagrassem a Deus, poder-se-iam preparar para servir, estudando e se familiarizando com outras línguas. Poder-se-iam devotar à obra de tradução. Testimonies, vol. 3, pág. 204 e Mensagens aos Jovens, pág. 225.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=6&p=225

– Mensagens para Namorados.:

O modo secreto pelo qual se fazem os namoros e casamentos é causa de grande quantidade de miséria, da qual só Deus conhece a completa extensão. Nesse recife milhares sofreram o naufrágio da alma. Cristãos professos, cuja vida é assinalada pela integridade, e que parecem prudentes quanto a qualquer outro assunto, neste cometem terríveis erros. Manifestam uma vontade firme, resoluta, a qual a razão não pode mudar. Tornam-se tão fascinados pelos sentimentos e impulsos humanos que não têm desejo de pesquisar a Bíblia e entrar em comunhão íntima com Deus. Satanás sabe exatamente com que elementos tem de tratar, e emprega sua infernal sabedoria em vários artifícios, a fim de enlaçar almas para a ruína. Observa cada passo que se dê, e faz muitas sugestões, e muitas vezes estas sugestões são seguidas de preferência ao conselho da Palavra de Deus. Essa rede perigosa, bem tecida, é habilmente preparada para apanhar os jovens e desprevenidos. Pode achar-se muitas vezes disfarçada sob um
manto de luz; mas os que se tornam suas vítimas trespassam-se a si mesmos com muitas dores. Em resultado, vemos ruínas humanas por toda parte. Fundamentos da Educação Cristã, págs. 103 e 104.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=35&p=103

– Mensagens para Pais.:

A vida não nos foi dada para ser vivida em ociosidade nem em satisfação egoísta. Grandes possibilidades são postas diante de todos os que desenvolverem as aptidões que lhes foram concedidas por Deus. Por essa razão é de suma importância a educação dos jovens. Toda criança nascida no lar é um depósito sagrado. Deus diz aos pais: “Toma esta criança e cria-a para Mim, a fim de que venha a ser uma honra ao Meu nome, e um conduto através do qual Minhas bênçãos possam fluir para o mundo.” Habilitar a criança para uma vida assim requer algo mais que uma educação parcial, unilateral, que desenvolva as faculdades mentais com prejuízo das físicas. Todas as faculdades da mente e do corpo precisam ser desenvolvidas; e esta é a obra que os pais, auxiliados pelo Mestre, devem fazer pelas crianças e pelos jovens postos sob o seu cuidado. Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, pág. 145.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=37&p=145

– Mensagens sobre Escola Sabatina.:

Se os professores sempre tivessem em mente que é o Espírito Santo que revela à pessoa vislumbres das coisas celestiais e que, ao trabalhar no espírito de Cristo, esse agente celestial está impressionando a mente com a divina verdade; se compreendessem que os rodeiam anjos e que pisam em terra santa, seria muito mais eficiente o trabalho feito em nossas Escolas Sabatinas. Os professores não seriam destituídos de graça e poder espirituais, pois teriam a intuição da presença divina e compreenderiam que são apenas os instrumentos humanos por cujo intermédio Cristo comunica luz celestial. Seu labor seria animado de fervor e poder, e saberiam que o Espírito os ajuda em suas fraquezas. Testimonies on Sabbath School Work, págs. 41-43 e Conselhos Sobre a Escola Sabatina, pág. 105.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=15&p=105

– Mensagens sobre Saúde.:

A primeira educação que as crianças devem receber da mãe, na infância, deve ser acerca de sua saúde física. Só lhes deve permitir alimento simples, da qualidade que lhes preserve a melhor condição de saúde, e esse só deve ser tomado em períodos regulares, não mais do que três vezes ao dia, e duas refeições seria melhor do que três. Se as crianças forem disciplinadas devidamente, logo aprenderão que nada conseguirão por chorar e irritar-se. A mãe sábia, na educação dos filhos agirá não meramente tendo em vista o presente conforto dela mesma, porém o bem futuro deles. E para isso ensinará ela aos filhos a importante lição do domínio do apetite e da negação de si mesmos, e que devem comer, beber e vestir-se tendo em vista a saúde. How to Live, pág. 47 e Conselhos Sobre o Regime Alimentar, págs. 228 e 229.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/?l=17&p=228

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

– Ano Bíblico (Português).:

Livro de Atos

Capítulo 19

1 – E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo tendo atravessado as regiões mais altas, chegou a Éfeso e, achando ali alguns discípulos,
2 – perguntou-lhes: Recebestes vós o Espírito Santo quando crestes? Responderam-lhe eles: Não, nem sequer ouvimos que haja Espírito Santo.
3 – Tornou-lhes ele: Em que fostes batizados então? E eles disseram: No batismo de João.
4 – Mas Paulo respondeu: João administrou o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que após ele havia de vir, isto é, em Jesus.
5 – Quando ouviram isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus.
6 – Havendo-lhes Paulo imposto as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo, e falavam em línguas e profetizavam.
7 – E eram ao todo uns doze homens.
8 – Paulo, entrando na sinagoga, falou ousadamente por espaço de três meses, discutindo e persuadindo acerca do reino de Deus.
9 – Mas, como alguns deles se endurecessem e não obedecessem, falando mal do Caminho diante da multidão, apartou-se deles e separou os discípulos, discutindo diariamente na escola de Tirano.
10 – Durou isto por dois anos; de maneira que todos os que habitavam na Ásia, tanto judeus como gregos, ouviram a palavra do Senhor.
11 – E Deus pelas mãos de Paulo fazia milagres extraordinários,
12 – de sorte que lenços e aventais eram levados do seu corpo aos enfermos, e as doenças os deixavam e saíam deles os espíritos malignos.
13 – Ora, também alguns dos exorcistas judeus, ambulantes, tentavam invocar o nome de Jesus sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus a quem Paulo prega.
14 – E os que faziam isto eram sete filhos de Ceva, judeu, um dos principais sacerdotes.
15 – Respondendo, porém, o espírito maligno, disse: A Jesus conheço, e sei quem é Paulo; mas vós, quem sois?
16 – Então o homem, no qual estava o espírito maligno, saltando sobre eles, apoderou-se de dois e prevaleceu contra eles, de modo que, nus e feridos, fugiram daquela casa.
17 – E isto tornou-se conhecido de todos os que moravam em Éfeso, tanto judeus como gregos; e veio temor sobre todos eles, e o nome do Senhor Jesus era engrandecido.
18 – E muitos dos que haviam crido vinham, confessando e revelando os seus feitos.
19 – Muitos também dos que tinham praticado artes mágicas ajuntaram os seus livros e os queimaram na presença de todos; e, calculando o valor deles, acharam que montava a cinqüenta mil moedas de prata.
20 – Assim a palavra do Senhor crescia poderosamente e prevalecia.
21 – Cumpridas estas coisas, Paulo propôs, em seu espírito, ir a Jerusalém, passando pela Macedônia e pela Acaia, porque dizia: Depois de haver estado ali, é-me necessário ver também Roma.
22 – E, enviando à Macedônia dois dos que o auxiliavam, Timóteo e Erasto, ficou ele por algum tempo na Ásia.
23 – Por esse tempo houve um não pequeno alvoroço acerca do Caminho.
24 – Porque certo ourives, por nome Demétrio, que fazia da prata miniaturas do templo de Diana, proporcionava não pequeno negócio aos artífices,
25 – os quais ele ajuntou, bem como os oficiais de obras semelhantes, e disse: Senhores, vós bem sabeis que desta indústria nos vem a prosperidade,
26 – e estais vendo e ouvindo que não é só em Éfeso, mas em quase toda a Ásia, este Paulo tem persuadido e desviado muita gente, dizendo não serem deuses os que são feitos por mãos humanas.
27 – E não somente há perigo de que esta nossa profissão caia em descrédito, mas também que o templo da grande deusa Diana seja estimado em nada, vindo mesmo a ser destituída da sua majestade aquela a quem toda a Ásia e o mundo adoram.
28 – Ao ouvirem isso, encheram-se de ira, e clamavam, dizendo: Grande é a Diana dos efésios!
29 – A cidade encheu-se de confusão, e todos à uma correram ao teatro, arrebatando a Gaio e a Aristarco, macedônios, companheiros de Paulo na viagem.
30 – Querendo Paulo apresentar-se ao povo, os discípulos não lho permitiram.
31 – Também alguns dos asiarcas, sendo amigos dele, mandaram rogar-lhe que não se arriscasse a ir ao teatro.
32 – Uns, pois, gritavam de um modo, outros de outro; porque a assembléia estava em confusão, e a maior parte deles nem sabia por que causa se tinham ajuntado.
33 – Então tiraram dentre a turba a Alexandre, a quem os judeus impeliram para a frente; e Alexandre, acenando com a mão, queria apresentar uma defesa ao povo.
34 – Mas quando perceberam que ele era judeu, todos a uma voz gritaram por quase duas horas: Grande é a Diana dos efésios!
35 – Havendo o escrivão conseguido apaziguar a turba, disse: Varões efésios, que homem há que não saiba que a cidade dos efésios é a guardadora do templo da grande deusa Diana, e da imagem que caiu de Júpiter?
36 – Ora, visto que estas coisas não podem ser contestadas, convém que vos aquieteis e nada façais precipitadamente.
37 – Porque estes homens que aqui trouxestes, nem são sacrílegos nem blasfemadores da nossa deusa.
38 – Todavia, se Demétrio e os artífices que estão com ele têm alguma queixa contra alguém, os tribunais estão abertos e há procônsules: que se acusem uns aos outros.
39 – E se demandais alguma outra coisa, averiguar-se-á em legítima assembléia.
40 – Pois até corremos perigo de sermos acusados de sedição pelos acontecimentos de hoje, não havendo motivo algum com que possamos justificar este ajuntamento.
41 – E, tendo dito isto, despediu a assembléia.

Capítulo 20

1 – Depois que cessou o alvoroço, Paulo mandou chamar os discípulos e, tendo-os exortado, despediu-se e partiu para a Macedônia.
2 – E, havendo andado por aquelas regiões, exortando os discípulos com muitas palavras, veio à Grécia.
3 – Depois de passar ali três meses, visto terem os judeus armado uma cilada contra ele quando ia embarcar para a Síria, determinou voltar pela Macedônia.
4 – Acompanhou-o Sópater de Beréia, filho de Pirro; bem como dos de Tessalônica, Aristarco e Segundo; Gaio de Derbe e Timóteo; e dos da Ásia, Tíquico e Trófimo.
5 – Estes porém, foram adiante e nos esperavam em Trôade.
6 – E nós, depois dos dias dos pães ázimos, navegamos de Filipos, e em cinco dias fomos ter com eles em Trôade, onde nos detivemos sete dias.
7 – No primeiro dia da semana, tendo-nos reunido a fim de partir o pão, Paulo, que havia de sair no dia seguinte, falava com eles, e prolongou o seu discurso até a meia-noite.
8 – Ora, havia muitas luzes no cenáculo onde estávamos reunidos.
9 – E certo jovem, por nome Êutico, que estava sentado na janela, tomado de um sono profundo enquanto Paulo prolongava ainda mais o seu sermão, vencido pelo sono caiu do terceiro andar abaixo, e foi levantado morto.
10 – Tendo Paulo descido, debruçou-se sobre ele e, abraçando-o, disse: Não vos perturbeis, pois a sua alma está nele.
11 – Então subiu, e tendo partido o pão e comido, ainda lhes falou largamente até o romper do dia; e assim partiu.
12 – E levaram vivo o jovem e ficaram muito consolados.
13 – Nós, porém, tomando a dianteira e embarcando, navegamos para Assôs, onde devíamos receber a Paulo, porque ele, havendo de ir por terra, assim o ordenara.
14 – E, logo que nos alcançou em Assôs, recebemo-lo a bordo e fomos a Mitilene;
15 – e navegando dali, chegamos no dia imediato defronte de Quios, no outro aportamos a Samos e [e tendo-nos demorado em Trogílio, chegamos,] no dia seguinte a Mileto.
16 – Porque Paulo havia determinado passar ao largo de Éfeso, para não se demorar na Ásia; pois se apressava para estar em Jerusalém no dia de Pentecostes, se lhe fosse possível.
17 – De Mileto mandou a Éfeso chamar os anciãos da igreja.
18 – E, tendo eles chegado, disse-lhes: Vós bem sabeis de que modo me tenho portado entre vós sempre, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia,
19 – servindo ao Senhor com toda a humildade, e com lágrimas e provações que pelas ciladas dos judeus me sobrevieram;
20 – como não me esquivei de vos anunciar coisa alguma que útil seja, ensinando-vos publicamente e de casa em casa,
21 – testificando, tanto a judeus como a gregos, o arrependimento para com Deus e a fé em nosso Senhor Jesus.
22 – Agora, eis que eu, constrangido no meu espírito, vou a Jerusalém, não sabendo o que ali acontecerá,
23 – senão o que o Espírito Santo me testifica, de cidade em cidade, dizendo que me esperam prisões e tribulações,
24 – mas em nada tenho a minha vida como preciosa para mim, contando que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.
25 – E eis agora, sei que nenhum de vós, por entre os quais passei pregando o reino de Deus, jamais tornará a ver o meu rosto.
26 – Portanto, no dia de hoje, vos protesto que estou limpo do sangue de todos.
27 – Porque não me esquivei de vos anunciar todo o conselho de Deus.
28 – Cuidai pois de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele adquiriu com seu próprio sangue.
29 – Eu sei que depois da minha partida entrarão no meio de vós lobos cruéis que não pouparão rebanho,
30 – e que dentre vós mesmos se levantarão homens, falando coisas perversas para atrair os discípulos após si.
31 – Portanto vigiai, lembrando-vos de que por três anos não cessei noite e dia de admoestar com lágrimas a cada um de vós.
32 – Agora pois, vos encomendo a Deus e à palavra da sua graça, àquele que é poderoso para vos edificar e dar herança entre todos os que são santificados.
33 – De ninguém cobicei prata, nem ouro, nem vestes.
34 – Vós mesmos sabeis que estas mãos proveram as minhas necessidades e as dos que estavam comigo.
35 – Em tudo vos dei o exemplo de que assim trabalhando, é necessário socorrer os enfermos, recordando as palavras do Senhor Jesus, porquanto ele mesmo disse: Coisa mais bem-aventurada é dar do que receber.
36 – Havendo dito isto, pôs-se de joelhos, e orou com todos eles.
37 – E levantou-se um grande pranto entre todos, e lançando-se ao pescoço de Paulo, beijavam-no.
38 – Entristecendo-se principalmente pela palavra que dissera, que não veriam mais o seu rosto. E eles o acompanharam até o navio.

Capítulo 21

1 – E assim aconteceu que, separando-nos deles, navegamos e, correndo em direitura, chegamos a Cós, e no dia seguinte a Rodes, e dali a Pátara.
2 – Achando um navio que seguia para a Fenícia, embarcamos e partimos.
3 – E quando avistamos Chipre, deixando-a á esquerda, navegamos para a Síria e chegamos a Tiro, pois o navio havia de ser descarregado ali.
4 – Havendo achado os discípulos, demoramo-nos ali sete dias; e eles pelo Espírito diziam a Paulo que não subisse a Jerusalém.
5 – Depois de passarmos ali aqueles dias, saímos e seguimos a nossa viagem, acompanhando-nos todos, com suas mulheres e filhos, até fora da cidade; e, postos de joelhos na praia, oramos,
6 – e despedindo-nos uns dos outros, embarcamos, e eles voltaram para casa.
7 – Concluída a nossa viagem de Tiro, chegamos a Ptolemaida; e, havendo saudado os irmãos, passamos um dia com eles.
8 – Partindo no dia seguinte, fomos a Cesaréia; e entrando em casa de Felipe, o evangelista, que era um dos sete, ficamos com ele.
9 – Tinha este quatro filhas virgens que profetizavam.
10 – Demorando-nos ali por muitos dias, desceu da Judéia um profeta, de nome Ágabo;
11 – e vindo ter conosco, tomou a cinta de Paulo e, ligando os seus próprios pés e mãos, disse: Isto diz o Espírito Santo: Assim os judeus ligarão em Jerusalém o homem a quem pertence esta cinta, e o entregarão nas mãos dos gentios.
12 – Quando ouvimos isto, rogamos-lhe, tanto nós como os daquele lugar, que não subisse a Jerusalém.
13 – Então Paulo respondeu: Que fazeis chorando e magoando-me o coração? Porque eu estou pronto não só a ser ligado, mas ainda a morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus.
14 – E, como não se deixasse persuadir, dissemos: Faça-se a vontade do Senhor; e calamo-nos.
15 – Depois destes dias, havendo feito os preparativos, fomos subindo a Jerusalém.
16 – E foram também conosco alguns discípulos de Cesaréia, levando consigo um certo Mnáson, cíprio, discípulo antigo, com quem nos havíamos de hospedar.
17 – E chegando nós a Jerusalém, os irmãos nos receberam alegremente.
18 – No dia seguinte Paulo foi em nossa companhia ter com Tiago, e compareceram todos os anciãos.
19 – E, havendo-os saudado, contou-lhes uma por uma as coisas que por seu ministério Deus fizera entre os gentios.
20 – Ouvindo eles isto, glorificaram a Deus, e disseram-lhe: Bem vês, irmãos, quantos milhares há entre os judeus que têm crido, e todos são zelosos da lei.
21 – Têm sido informados a teu respeito que ensinas todos os judeus que estão entre os gentios a se apartarem de Moisés, dizendo que não circuncidem seus filhos, nem andem segundo os costumes da lei.
22 – Que se há de fazer, pois? Certamente saberão que és chegado.
23 – Faze, pois, o que te vamos dizer: Temos quatro homens que fizeram voto;
24 – toma estes contigo, e santifica-te com eles, e faze por eles as despesas para que rapem a cabeça; e saberão todos que é falso aquilo de que têm sido informados a teu respeito, mas que também tu mesmo andas corretamente, guardando a lei.
25 – Todavia, quanto aos gentios que têm crido já escrevemos, dando o parecer que se abstenham do que é sacrificado a os ídolos, do sangue, do sufocado e da prostituição.
26 – Então Paulo, no dia seguinte, tomando consigo aqueles homens, purificou-se com eles e entrou no templo, notificando o cumprimento dos dias da purificação, quando seria feita a favor de cada um deles a respectiva oferta.
27 – Mas quando os sete dias estavam quase a terminar, os judeus da Ásia, tendo-o visto no templo, alvoroçaram todo o povo e agarraram-no,
28 – clamando: Varões israelitas, acudi; este é o homem que por toda parte ensina a todos contra o povo, contra a lei, e contra este lugar; e ainda, além disso, introduziu gregos no templo, e tem profanado este santo lugar.
29 – Antes tinham visto com ele na cidade a Trófimo de Éfeso, e pensavam que Paulo o introduzira no templo.
30 – Alvoroçou-se toda a cidade, e houve ajuntamento do povo; e agarrando a Paulo, arrastaram-no para fora do templo, e logo as portas se fecharam.
31 – E, procurando eles matá-lo, chegou ao comandante da corte o aviso de que Jerusalém estava toda em confusão;
32 – o qual, tomando logo consigo soldados e centuriões, correu para eles; e quando viram o comandante e os soldados, cessaram de espancar a Paulo.
33 – Então aproximando-se o comandante, prendeu-o e mandou que fosse acorrentado com duas cadeias, e perguntou quem era e o que tinha feito.
34 – E na multidão uns gritavam de um modo, outros de outro; mas, não podendo por causa do alvoroço saber a verdade, mandou conduzi-lo à fortaleza.
35 – E sucedeu que, chegando às escadas, foi ele carregado pelos soldados por causa da violência da turba.
36 – Pois a multidão o seguia, clamando: Mata-o!
37 – Quando estava para ser introduzido na fortaleza, disse Paulo ao comandante: É-me permitido dizer-te alguma coisa? Respondeu ele: Sabes o grego?
38 – Não és porventura o egípcio que há poucos dias fez uma sedição e levou ao deserto os quatro mil sicários?
39 – Mas Paulo lhe disse: Eu sou judeu, natural de Tarso, cidade não insignificante da Cilícia; rogo-te que me permitas falar ao povo.
40 – E, havendo-lho permitido o comandante, Paulo, em pé na escada, fez sinal ao povo com a mão; e, feito grande silêncio, falou em língua hebraica, dizendo:

– Pergunta sobre o Ano Bíblico.:

Qual o valor estimado dos livros de artes mágicas, queimados em Éfeso por cristãos convertidos?
Resposta: 50 mil denários (Atos 19:19)

– Curiosidades Bíblicas.:

Qual o rei de Israel que morreu queimado em seu próprio castelo?
Resposta: Zinri. I Reis 16:18.

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/biblia.asp?lista=1&livro=11&capitulo=16

– Versos Bíblicos.:

Este é o fim do discurso; tudo já foi ouvido: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é todo o dever do homem. Eclesiastes 12:13

Fonte: http://www.ellenwhitebooks.com/biblia.asp?lista=1&livro=21&capitulo=12&verso=13

– Ano Bíblico (Espanhol).:

Libro de Atos

Capítulo 19

1 – Mientras Apolos estaba en Corinto, Aconteció que Pablo, después de recorrer las regiones interiores, Bajó a Efeso y Encontró a ciertos Discípulos.
2 – Entonces les dijo: –¿Recibisteis el Espíritu Santo cuando Creísteis? Ellos le contestaron: –Ni siquiera hemos Oído que haya Espíritu Santo.
3 – Entonces dijo: –¿En qué, pues, fuisteis bautizados? Ellos respondieron: –En el bautismo de Juan.
4 – Y dijo Pablo: –Juan Bautizó con el bautismo de arrepentimiento, diciendo al pueblo que creyesen en el que Había de venir después de él, es decir, en Jesús.
5 – Cuando oyeron esto, fueron bautizados en el nombre del Señor Jesús.
6 – Y cuando Pablo les impuso las manos, vino sobre ellos el Espíritu Santo, y ellos hablaban en lenguas y profetizaban.
7 – Eran entre todos como doce hombres.
8 – Durante unos tres meses, entrando en la sinagoga, Pablo predicaba con Valentía discutiendo y persuadiendo acerca de las cosas del reino de Dios.
9 – Pero como algunos se Endurecían y rehusaban creer, hablando mal del Camino delante de la multitud, se Separó de ellos y Tomó a los Discípulos aparte, discutiendo cada Día en la escuela de Tirano.
10 – Esto Continuó por dos años, de manera que todos los que habitaban en Asia, tanto Judíos como griegos, oyeron la palabra del Señor.
11 – Dios Hacía milagros extraordinarios por medio de las manos de Pablo;
12 – de tal manera que hasta llevaban pañuelos o delantales que Habían tocado su cuerpo para ponerlos sobre los enfermos, y las enfermedades se iban de ellos, y los Espíritus malos Salían de ellos.
13 – Pero también algunos de los Judíos, exorcistas ambulantes, se pusieron a invocar el nombre del Señor Jesús sobre los que Tenían Espíritus malos, diciendo: –¡Os conjuro por el Jesús que Pablo predica!
14 – Eran siete hijos de un tal Esceva, un Judío, principal de los sacerdotes, los que Hacían esto.
15 – Pero el Espíritu malo Respondió y les dijo: –A Jesús conozco, y sé quién es Pablo; pero vosotros, ¿quiénes sois?
16 – Y el hombre en quien estaba el Espíritu malo se Lanzó sobre ellos, los Dominó a todos y Prevaleció contra ellos, de tal manera que huyeron de aquella casa desnudos y heridos.
17 – Este acontecimiento fue conocido por todos los que habitaban en Efeso, tanto Judíos como griegos. Cayó temor sobre todos ellos, y el nombre del Señor Jesús era magnificado.
18 – Muchos de los que Habían Creído Venían confesando y reconociendo sus Prácticas Públicamente.
19 – Asimismo, un buen Número de los que Habían practicado la magia trajeron sus libros y los quemaron delante de todos. Calcularon su valor y hallaron que era de 50.000 monedas de plata.
20 – De esta manera Crecía la palabra del Señor y Prevalecía poderosamente.
21 – Cuando estas cosas se cumplieron, Pablo propuso en su Espíritu ir a Jerusalén después de recorrer Macedonia y Acaya, diciendo: “Después que haya estado en Jerusalén, me Será preciso ver también a Roma.”
22 – Y después de enviar a Macedonia a dos de los que le ayudaban, a Timoteo y a Erasto, él mismo se detuvo por Algún tiempo en Asia.
23 – En aquel entonces se produjo un alboroto no pequeño acerca del Camino.
24 – Porque cierto platero, llamado Demetrio, que elaboraba en plata templecillos de Diana, y daba no poca ganancia a los artesanos,
25 – Reunió a éstos con los obreros de oficios semejantes y les dijo: –Hombres, sabéis que nuestra prosperidad proviene de este oficio;
26 – y veis y Oís que no solamente en Efeso, sino también en casi toda Asia, este Pablo ha persuadido y apartado a mucha gente, diciendo que no son dioses los que se hacen con las manos.
27 – No solamente hay el peligro de que este negocio nuestro caiga en descrédito, sino también que el templo de la gran diosa Diana sea estimado en nada, y que pronto sea despojada de su majestad aquella a quien adoran toda el Asia y el mundo.
28 – Al Oír estas palabras se llenaron de ira y gritaron diciendo: –¡Grande es Diana de los efesios!
29 – Y la ciudad se Llenó de Confusión. Se lanzaron Unánimes al teatro, arrebatando a Gayo y a Aristarco, macedonios y compañeros de Pablo.
30 – Aunque Pablo Quería salir a la multitud, los Discípulos no se lo permitieron.
31 – También algunas de las autoridades de Asia, que eran sus amigos, enviaron a él y le rogaron que no se presentara en el teatro.
32 – Unos gritaban una cosa, y otros otra cosa; porque la concurrencia estaba confusa, y la mayor parte ni Sabía por qué se Había reunido.
33 – Entonces algunos de entre la multitud dieron instrucciones a Alejandro, a quien los Judíos Habían empujado hacia adelante. Y Alejandro, pidiendo silencio con la mano, Quería hacer una defensa ante el pueblo.
34 – Pero reconociendo que era Judío, todos volvieron a gritar a una sola voz, por casi dos horas: –¡Grande es Diana de los efesios!
35 – Por fin, cuando el magistrado Había apaciguado la multitud, dijo: –Hombres de Efeso, ¿qué hombre hay que no sepa que la ciudad de Efeso es guardiana del templo de la majestuosa Diana y de su imagen Caída del cielo?
36 – Ya que esto no puede ser contradicho, conviene que os apacigüéis y que no Hagáis nada precipitado.
37 – Pues habéis Traído a estos hombres que ni han cometido sacrilegio ni han blasfemado a nuestra diosa.
38 – Por tanto, si Demetrio y los artesanos que Están con él tienen pleito contra alguien, se conceden audiencias y hay Procónsules. ¡Que se acusen los unos a los otros!
39 – Y si Buscáis alguna otra cosa, Será deliberado en Legítima asamblea.
40 – Pero hay peligro de que seamos acusados de Sedición por esto de hoy, sin que tengamos ninguna causa por la cual podamos dar Razón de este tumulto.
41 – Y habiendo dicho esto, Disolvió la concurrencia.

Capítulo 20

1 – Después de cesar el disturbio, Pablo Mandó llamar a los Discípulos, y habiéndoles exhortado, se Despidió y Salió para ir a Macedonia.
2 – Recorrió aquellas regiones, Exhortándoles con abundancia de palabras, y luego Llegó a Grecia.
3 – Después de estar él Allí tres meses, los Judíos tramaron un complot contra él cuando estaba por navegar rumbo a Siria, de modo que Decidió regresar por Macedonia.
4 – Le acompañaron Sópater hijo de Pirro, de Berea, los tesalonicenses Aristarco y Segundo, Gayo de Derbe, Timoteo, y Tíquico y Trófimo de Asia.
5 – Estos salieron antes y nos esperaron en Troas.
6 – Pero después de los Días de los panes sin levadura, nosotros navegamos desde Filipos y los alcanzamos después de cinco Días en Troas, donde nos detuvimos siete Días.
7 – El primer Día de la semana, cuando Estábamos reunidos para partir el pan, Pablo Comenzó a hablarles, porque Había de partir al Día siguiente, y Alargó el discurso hasta la medianoche.
8 – Había muchas Lámparas en el piso superior, donde Estábamos reunidos.
9 – Y a cierto joven llamado Eutico, que estaba sentado en la ventana, le iba dominando un profundo sueño. Como Pablo Seguía hablando por mucho tiempo, el joven, ya vencido por el sueño, Cayó del tercer piso abajo y fue levantado muerto.
10 – Entonces Pablo Descendió y se Echó sobre él, y al abrazarlo dijo: “¡No os alarméis, porque su vida Está en él!”
11 – Después de subir, de partir el pan y de comer, Habló largamente hasta el alba; y de esta manera Salió.
12 – Ellos llevaron al joven vivo y fueron grandemente consolados.
13 – Habiendo ido nosotros al barco con Anticipación, navegamos hasta Asón para recibir a Pablo Allí, pues Así lo Había dispuesto, debiendo ir él por tierra.
14 – Cuando se Reunió con nosotros en Asón, le tomamos a bordo y fuimos a Mitilene.
15 – Navegamos de Allí al Día siguiente y llegamos frente a Quío. Al otro Día, atracamos en Samos, y llegamos a Mileto al Próximo Día,
16 – pues Pablo Había decidido pasar de largo a Efeso para no detenerse en Asia; porque, de serle posible, se apresuraba para pasar el Día de Pentecostés en Jerusalén.
17 – Desde Mileto, Pablo Envió a Efeso e hizo llamar a los ancianos de la iglesia.
18 – Cuando ellos llegaron a él, les dijo: “Vosotros sabéis bien Cómo me he comportado con vosotros todo el tiempo, desde el primer Día que llegué a Asia,
19 – sirviendo al Señor con toda humildad y con muchas Lágrimas y pruebas que me vinieron por las asechanzas de los Judíos.
20 – Y sabéis que no he rehuido el anunciaros nada que os fuese útil, y el enseñaros Públicamente y de casa en casa,
21 – testificando a los Judíos y a los griegos acerca del arrepentimiento para con Dios y la fe en nuestro Señor Jesús.
22 – “Ahora, he Aquí yo voy a Jerusalén con el Espíritu encadenado, sin saber lo que me ha de acontecer Allí;
23 – salvo que el Espíritu Santo me da testimonio en una ciudad tras otra, diciendo que me esperan prisiones y tribulaciones.
24 – Sin embargo, no estimo que mi vida sea de Ningún valor ni preciosa para Mí mismo, con tal que acabe mi carrera y el ministerio que Recibí del Señor Jesús, para dar testimonio del evangelio de la gracia de Dios.
25 – “Ahora, he Aquí yo sé que ninguno de todos vosotros, entre los cuales he pasado predicando el reino, Volverá a ver mi cara.
26 – Por tanto, yo declaro ante vosotros en el Día de hoy que soy limpio de la sangre de todos,
27 – porque no he rehuido el anunciaros todo el consejo de Dios.
28 – Tened cuidado por vosotros mismos y por todo el rebaño sobre el cual el Espíritu Santo os ha puesto como obispos, para pastorear la iglesia del Señor, la cual Adquirió para Sí mediante su propia sangre.
29 – Porque yo sé que después de mi partida Entrarán en medio de vosotros lobos rapaces que no Perdonarán la vida al rebaño;
30 – y que de entre vosotros mismos se Levantarán hombres que Hablarán cosas perversas para descarriar a los Discípulos tras ellos.
31 – Por tanto, velad, Acordándoos que por tres años, de noche y de Día, no cesé de amonestar con Lágrimas a cada uno.
32 – “Y ahora, hermanos, os encomiendo a Dios y a la palabra de su gracia, a aquel que tiene poder para edificar y para dar herencia entre todos los santificados.
33 – “No he codiciado ni la plata ni el oro ni el vestido de nadie.
34 – Vosotros sabéis que estas manos proveyeron para mis necesidades y para aquellos que estaban conmigo.
35 – En todo os he demostrado que trabajando Así es necesario apoyar a los débiles, y tener presente las palabras del Señor Jesús, que dijo: “Más bienaventurado es dar que recibir.””
36 – Cuando Había dicho estas cosas, se puso de rodillas y Oró con todos ellos.
37 – Entonces hubo gran llanto de todos. Se echaron sobre el cuello de Pablo y le besaban,
38 – lamentando sobre todo por la palabra que Había dicho que ya no Volverían a ver su cara. Y le acompañaron al barco.

Capítulo 21

1 – Habiéndonos despedido de ellos, zarpamos y navegamos con rumbo directo a Cos, y al Día siguiente a Rodas, y de Allí a Pátara.
2 – Hallando un barco que Hacía la Travesía a Fenicia, nos embarcamos y zarpamos.
3 – Después de avistar Chipre y de dejarla a la izquierda, Navegábamos a Siria y arribamos a Tiro, porque el barco Debía descargar Allí.
4 – Nos quedamos siete Días Allí, ya que hallamos a los Discípulos. Mediante el Espíritu ellos Decían a Pablo que no subiese a Jerusalén.
5 – Cuando se nos pasaron los Días, salimos acompañados por todos con sus mujeres e hijos hasta fuera de la ciudad, y puestos de rodillas en la playa, oramos.
6 – Nos despedimos los unos de los otros y subimos al barco, y ellos volvieron a sus casas.
7 – Habiendo completado la Travesía Marítima desde Tiro, arribamos a Tolemaida; y habiendo saludado a los hermanos, nos quedamos con ellos un Día.
8 – Al Día siguiente, partimos y llegamos a Cesarea. Entramos a la casa de Felipe el evangelista, quien era uno de los siete, y nos alojamos con él.
9 – Este Tenía cuatro hijas solteras que profetizaban.
10 – Y mientras Permanecíamos Allí por varios Días, un profeta llamado Agabo Descendió de Judea.
11 – Al llegar a nosotros, Tomó el cinto de Pablo, se Ató los pies y las manos, y dijo: –Esto dice el Espíritu Santo: “Al hombre a quien pertenece este cinto, lo Atarán Así los Judíos en Jerusalén, y le Entregarán en manos de los gentiles.”
12 – Cuando Oímos esto, nosotros y también los de aquel lugar le rogamos que no subiese a Jerusalén.
13 – Entonces Pablo Respondió: –¿Qué hacéis llorando y Quebrantándome el Corazón? Porque yo estoy listo no Sólo a ser atado, sino también a morir en Jerusalén por el nombre del Señor Jesús.
14 – Como él no se dejaba persuadir, desistimos diciendo: –Hágase la voluntad del Señor.
15 – Después de estos Días, habiendo hecho los preparativos, subimos a Jerusalén.
16 – También vinieron con nosotros unos Discípulos de Cesarea, trayendo consigo a un tal Mnasón de Chipre, Discípulo antiguo, en cuya casa nos Hospedaríamos.
17 – Cuando llegamos a Jerusalén, los hermanos nos recibieron de buena voluntad.
18 – Al Día siguiente, Pablo Entró con nosotros para ver a Jacobo, y todos los ancianos se reunieron.
19 – Después de saludarlos, les contaba una por una todas las cosas que Dios Había hecho entre los gentiles por medio de su ministerio.
20 – Cuando lo oyeron, glorificaron a Dios. Y le dijeron: –Tú ves, hermano, Cuántos miles de Judíos hay que han Creído; y todos son celosos por la ley.
21 – Pero se les ha informado acerca de ti, que Tú enseñas a apartarse de Moisés a todos los Judíos que Están entre los gentiles, diciéndoles que no circunciden a sus hijos ni anden Según nuestras costumbres.
22 – ¿Qué hay, pues, de esto? Seguramente Oirán que has venido.
23 – Por tanto, haz esto que te decimos. Entre nosotros hay cuatro hombres que han hecho votos.
24 – Toma contigo a estos hombres, Purifícate con ellos, paga por ellos para que se rapen sus cabezas, y todos Sabrán que no hay nada de lo que se les ha informado acerca de ti, sino que Tú también sigues guardando la ley.
25 – Pero en cuanto a los gentiles que han Creído, nosotros hemos escrito lo que Habíamos decidido: que se abstengan de lo que es ofrecido a los ídolos, de sangre, de lo estrangulado y de Fornicación.
26 – Entonces Pablo Tomó consigo a aquellos hombres. Al Día siguiente, después de purificarse con ellos, Entró en el templo para dar aviso del Día en que se Cumpliría la Purificación, cuando se Ofrecería el sacrificio por cada uno de ellos.
27 – Cuando iban a terminar los siete Días, los Judíos de Asia, al verle en el templo, comenzaron a alborotar a todo el pueblo y le echaron mano,
28 – gritando: “¡Hombres de Israel! ¡Ayudad! ¡Este es el hombre que por todas partes anda enseñando a todos contra nuestro pueblo, la ley y este lugar! Y Además de esto, ha metido griegos dentro del templo y ha profanado este lugar santo.”
29 – Porque antes Habían visto con él en la ciudad a Trófimo, un efesio, y Suponían que Pablo lo Había metido en el templo.
30 – Así que toda la ciudad se Agitó, y se hizo un tumulto del pueblo. Se apoderaron de Pablo y le arrastraron fuera del templo, y de inmediato las puertas fueron cerradas.
31 – Mientras ellos procuraban matarle, Llegó aviso al tribuno de la Compañía que toda Jerusalén estaba alborotada.
32 – De inmediato, éste Tomó soldados y centuriones, y Bajó corriendo a ellos. Y cuando vieron al tribuno y a los soldados, dejaron de golpear a Pablo.
33 – Entonces Llegó el tribuno y le Apresó, y Mandó que le atasen con dos cadenas. Preguntó quién era y qué Había hecho;
34 – pero entre la multitud, unos gritaban una cosa y otros, otra. Como él no Podía entender nada de cierto a causa del alboroto, Mandó llevarlo a la fortaleza.
35 – Y Sucedió que cuando Llegó a las gradas, Pablo tuvo que ser llevado en peso por los soldados a causa de la violencia de la multitud;
36 – porque la muchedumbre del pueblo Venía Detrás gritando: “¡Mátale!”
37 – Cuando ya iba a ser metido en la fortaleza, Pablo dijo al tribuno: –¿Se me permite decirte algo? Y él dijo: –¿Sabes griego?
38 – Entonces, ¿no eres Tú aquel egipcio que Provocó una Sedición antes de estos Días, y Sacó al desierto a cuatro mil hombres de los asesinos?
39 – Entonces dijo Pablo: –A la verdad, yo soy Judío, ciudadano de Tarso de Cilicia, una ciudad no insignificante. Y te ruego, Permíteme hablar al pueblo.
40 – Como él se lo Permitió, Pablo, de pie en las gradas, hizo señal con la mano al pueblo. Hecho un profundo silencio, Comenzó a hablar en hebreo diciendo:

– Ano Bíblico (Inglês).:

Book of Atos

Chapter 19

1 – And it came about that while Apollos was at Corinth, Paul, having gone through the higher country, came to Ephesus, where there were certain disciples:
2 – And he said to them, Did you get the Holy Spirit when you had faith? And they said to him, No, we have had no knowledge of the Holy Spirit.
3 – And he said, What sort of baptism did you have? And they said, The baptism of John.
4 – And Paul said, John gave a baptism which goes with a change of heart, saying to the people that they were to have faith in him who was coming after him, that is, in Jesus.
5 – And hearing this, they had baptism in the name of the Lord Jesus.
6 – And when Paul had put his hands on them, the Holy Spirit came on them; and they had the power of talking in tongues, and acting like prophets.
7 – And there were about twelve of these men.
8 – And he went into the Synagogue, and for three months he was preaching there without fear, reasoning and teaching about the kingdom of God.
9 – But because some of the people were hard-hearted and would not give hearing, saying evil words about the Way before the people, he went away from them, and kept the disciples separate, reasoning every day in the school of Tyrannus.
10 – And this went on for two years, so that all those who were living in Asia had knowledge of the word of the Lord, Greeks as well as Jews.
11 – And God did special works of power by the hands of Paul:
12 – So that bits of linen and clothing from his body were taken to people who were ill, and their diseases went away from them and the evil spirits went out.
13 – But some of the Jews who went from place to place driving out evil spirits, took it on themselves to make use of the name of the Lord Jesus over those who had evil spirits, saying, I give you orders, by Jesus, whom Paul is preaching.
14 – And there were seven sons of a man named Sceva, a Jew and a chief priest, who did this.
15 – And the evil spirit, answering, said to them, I have knowledge of Jesus, and of Paul, but who are you?
16 – And the man in whom the evil spirit was, jumping on them, was stronger than the two of them, and overcame them, so that they went running from that house, wounded and without their clothing.
17 – And this came to the ears of all those, Jews and Greeks, who were living at Ephesus; and fear came on them all, and the name of the Lord Jesus was made great.
18 – And a number of those who had faith came and made a public statement of their sins and all their acts.
19 – And a great number of those who were experts in strange arts took their books and put them on the fire in front of everyone: and when the books were valued they came to fifty thousand bits of silver.
20 – So the word of the Lord was increased very greatly and was full of power.
21 – Now after these things were ended, Paul came to a decision that when he had gone through Macedonia and Achaia he would go to Jerusalem, saying, After I have been there, I have a desire to see Rome.
22 – And having sent two of his helpers, Timothy and Erastus, into Macedonia, he himself went on living in Asia for a time.
23 – And about that time a great outcry took place about the Way.
24 – For there was a certain man named Demetrius, a silver-worker, who made silver boxes for the images of Diana, and gave no small profit to the workmen;
25 – Whom he got together, with other workmen of the same trade, and said to them, Men, it is clear that from this business we get our wealth.
26 – And you see, for it has come to your ears, that not only at Ephesus, but almost all through Asia, this Paul has been teaching numbers of people and turning them away, saying that those are not gods who are made by men´s hands:
27 – And there is danger, not only that our trade may be damaged in the opinion of men, but that the holy place of the great goddess Diana may be no longer honoured, and that she to whom all Asia and the world give worship, will be put down from her high position.
28 – And hearing this, they were very angry, crying out and saying, Great is Diana of Ephesus.
29 – And the town was full of noise and trouble, and they all came running into the theatre, having taken by force Gaius and Aristarchus, men of Macedonia who were journeying in company with Paul.
30 – And when Paul was about to go in to the people, the disciples did not let him.
31 – And some of the rulers of Asia, being his friends, sent to him, requesting him seriously not to put himself in danger by going into the theatre.
32 – And some said one thing, and some another: for there was no order in the meeting; and most of them had no idea why they had come together.
33 – Then they took Alexander out from among the people, the Jews putting him forward. And Alexander, making a sign with his hand, was about to make a statement to the people in answer:
34 – But when they saw that he was a Jew, all of them with one voice went on crying out for about two hours, Great is Diana of Ephesus.
35 – And when the chief secretary had got the people quiet, he said, Men of Ephesus, is any man without knowledge that the town of Ephesus is the keeper of the holy place of the great Diana, who was sent down from Jupiter?
36 – So then, because these things may not be doubted, it would be better for you to be quiet, and do nothing unwise.
37 – For you have taken these men, who are not doing damage to the holy place or talking against our goddess.
38 – If, then, Demetrius and the workmen who are with him have a protest to make against any man, the law is open to them, and there are judges; let them put up a cause at law against one another.
39 – But if any other business is in question, let it be taken up in the regular meeting.
40 – For, truly, we are in danger of being made responsible for this day´s trouble, there being no cause for it: and we are not able to give any reason for this coming together.
41 – And when he had said this, he sent the meeting away.

Chapter 20

1 – And after the noise had come to an end, Paul, having sent for the disciples and given them comfort, went away from them to Macedonia.
2 – And when he had gone through those parts and given them much teaching, he came into Greece.
3 – And when he had been there three months, because the Jews had made a secret design against him when he was about to take ship for Syria, he made a decision to go back through Macedonia.
4 – And Sopater of Beroea, the son of Pyrrhus, and Aristarchus and Secundus of Thessalonica, and Gaius of Derbe, and Timothy, and Tychicus and Trophimus of Asia, went with him as far as Asia.
5 – But these had gone before, and were waiting for us at Troas.
6 – And we went away from Philippi by ship after the days of unleavened bread, and came to them at Troas in five days; and we were there for seven days.
7 – And on the first day of the week, when we had come together for the holy meal, Paul gave them a talk, for it was his purpose to go away on the day after; and he went on talking till after the middle of the night.
8 – And there were a number of lights in the room where we had come together.
9 – And a certain young man named Eutychus, who was seated in the window, went into a deep sleep; and while Paul went on talking, being overcome by sleep, he had a fall from the third floor, and was taken up dead.
10 – And Paul went down and, falling on him, took him in his arms and said, Do not be troubled, for his life is in him.
11 – And when he had gone up, and had taken the broken bread, he went on talking to them for a long time, even till dawn, and then he went away.
12 – And they took the boy in, living, and were greatly comforted.
13 – But we, going before him by ship, went to Assos with the purpose of taking Paul in there: for so he had given orders, because he himself was coming by land.
14 – And when he came up with us at Assos, we took him in the ship and went on to Mitylene.
15 – And going from there by sea, we came on the day after opposite Chios, and touching at Samos on the day after that, we came on the third day to Miletus.
16 – For Paul´s purpose was to go past Ephesus, so that he might not be kept in Asia; for he was going quickly, in order, if possible, to be at Jerusalem on the day of Pentecost.
17 – And from Miletus he sent to Ephesus for the rulers of the church.
18 – And when they had come, he said to them, You yourselves have seen what my life has been like all the time from the day when I first came into Asia,
19 – Doing the Lord´s work without pride, through all the sorrow and troubles which came on me because of the evil designs of the Jews:
20 – And how I kept back nothing which might be of profit to you, teaching you publicly and privately,
21 – Preaching to Jews and to Greeks the need for a turning of the heart to God, and faith in the Lord Jesus Christ.
22 – And now, as you see, I am going to Jerusalem, a prisoner in spirit, having no knowledge of what will come to me there:
23 – Only that the Holy Spirit makes clear to me in every town that prison and pains are waiting for me.
24 – But I put no value on my life, if only at the end of it I may see the work complete which was given to me by the Lord Jesus, to be a witness of the good news of the grace of God.
25 – And now I am conscious that you, among whom I have gone about preaching the kingdom, will not see my face again.
26 – And so I say to you this day that I am clean from the blood of all men.
27 – For I have not kept back from you anything of the purpose of God.
28 – Give attention to yourselves, and to all the flock which the Holy Spirit has given into your care, to give food to the church of God, for which he gave his blood.
29 – I am conscious that after I am gone, evil wolves will come in among you, doing damage to the flock;
30 – And from among yourselves will come men who will give wrong teaching, turning away the disciples after them.
31 – So keep watch, having in mind that for three years without resting I was teaching every one of you, day and night, with weeping.
32 – And now, I give you into the care of God and the word of his grace, which is able to make you strong and to give you your heritage among all the saints.
33 – I have had no desire for any man´s silver or gold or clothing.
34 – You yourselves have seen that with these hands I got what was necessary for me and those who were with me.
35 – In all things I was an example to you of how, in your lives, you are to give help to the feeble, and keep in memory the words of the Lord Jesus, how he himself said, There is a greater blessing in giving than in getting.
36 – And having said these words, he went down on his knees in prayer with them all.
37 – And they were all weeping, falling on Paul´s neck and kissing him,
38 – Being sad most of all because he had said that they would not see his face again. And so they went with him to the ship.

Chapter 21

1 – And after parting from them, we put out to sea and came straight to Cos, and the day after to Rhodes, and from there to Patara:
2 – And as there was a ship going to Phoenicia, we went in it.
3 – And when we had come in view of Cyprus, going past it on our left, we went on to Syria, and came to land at Tyre: for there the goods which were in the ship had to be taken out.
4 – And meeting the disciples we were there for seven days: and they gave Paul orders through the Spirit not to go up to Jerusalem.
5 – And when these days came to an end, we went on our journey; and they all, with their wives and children, came with us on our way till we were out of the town: and after going on our knees in prayer by the sea,
6 – We said our last words to one another, and got into the ship, and they went back to their houses.
7 – And journeying by ship from Tyre we came to Ptolemais; and there we had talk with the brothers and were with them for one day.
8 – And on the day after, we went away and came to Caesarea, where we were guests in the house of Philip, the preacher, who was one of the seven.
9 – And he had four daughters, virgins, who were prophets.
10 – And while we were waiting there for some days, a certain prophet, named Agabus, came down from Judaea.
11 – And he came to us, and took the band of Paul´s clothing, and putting it round his feet and hands, said, The Holy Spirit says these words, So will the Jews do to the man who is the owner of this band, and they will give him up into the hands of the Gentiles.
12 – And hearing these things, we and those who were living in that place made request to him not to go to Jerusalem.
13 – Then Paul said, What are you doing, weeping and wounding my heart? for I am ready, not only to be a prisoner, but to be put to death at Jerusalem for the name of the Lord Jesus.
14 – And as he might not be moved we did no more, saying, Let the purpose of God be done.
15 – And after these days we got ready and went up to Jerusalem.
16 – And some of the disciples from Caesarea went with us, taking a certain Mnason of Cyprus, one of the early disciples, in whose house we were to be living.
17 – And when we came to Jerusalem, the brothers were pleased to see us.
18 – And on the day after, Paul went with us to James, and all the rulers of the church were present.
19 – And when he had said how glad he was to see them, he gave them a detailed account of the things which God had done through his work among the Gentiles.
20 – And hearing it, they gave praise to God; and they said to him, You see, brother, what thousands there are among the Jews, who have the faith; and they all have a great respect for the law:
21 – And they have had news of you, how you have been teaching all the Jews among the Gentiles to give up the law of Moses, and not to give circumcision to their children, and not to keep the old rules.
22 – What then is the position? They will certainly get news that you have come.
23 – Do this, then, which we say to you: We have four men who have taken an oath;
24 – Go with these, and make yourself clean with them, and make the necessary payments for them, so that they may be free from their oath: and everyone will see that the statements made about you are not true, but that you put yourself under rule, and keep the law.
25 – But as to the Gentiles who have the faith, we sent a letter, giving our decision that they were to keep themselves from offerings made to false gods, and from blood, and from the flesh of animals put to death in ways against the law, and from the evil desires of the body.
26 – Then Paul took the men, and on the day after, making himself clean with them, he went into the Temple, giving out the statement that the days necessary for making them clean were complete, till the offering was made for every one of them.
27 – And when the seven days were almost ended, the Jews from Asia, seeing him in the Temple, got the people together and put their hands on him,
28 – Crying out, Men of Israel, come to our help: this is the man who is teaching all men everywhere against the people and the law and this place: and in addition, he has taken Greeks into the Temple, and made this holy place unclean.
29 – For they had seen him before in the town with Trophimus of Ephesus, and had the idea that Paul had taken him with him into the Temple.
30 – And all the town was moved, and the people came running together and put their hands on Paul, pulling him out of the Temple: and then the doors were shut.
31 – And while they were attempting to put him to death, news came to the chief captain of the band that all Jerusalem was out of control.
32 – And straight away he took some armed men and went quickly down to them: and the Jews, seeing them, gave no more blows to Paul.
33 – Then the chief captain came near and took him, and gave orders for him to be put in chains, questioning them as to who he was and what he had done.
34 – And some said one thing and some another, among the people: and as he was not able to get a knowledge of the facts because of the noise, he gave orders for Paul to be taken into the army building.
35 – And when he came on to the steps, he was lifted up by the armed men, because of the force of the people;
36 – For a great mass of people came after them, crying out, Away with him!
37 – And when Paul was about to be taken into the building, he said to the chief captain, May I say something to you? And he said, Have you a knowledge of Greek?
38 – Are you by chance the Egyptian who, before this, got the people worked up against the government and took four thousand men of the Assassins out into the waste land?
39 – But Paul said, I am a Jew of Tarsus in Cilicia, which is not an unimportant town: I make a request to you to let me say a word to the people.
40 – And when he let him do so, Paul, from the steps, made a sign with his hand to the people, and when they were all quiet, he said to them in the Hebrew language,

Na graça de nosso Senhor Jesus,

Daniel Gavin
Diretor Geral – Ellen White Books
http://www.ellenwhite.com.br/
http://www.ellenwhitebooks.com/
http://www.ellenwhite.es/
http://www.ellenwhitebooks.es/

Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s