Saldo Extra – Crédito: Como usá-lo de forma inteligente

 

Saldo Extra


Crédito: Como usá-lo de forma inteligente

Posted: 13 Oct 2011 06:25 PM PDT

A palavra crédito significa confiança. O crédito estabelece uma relação entre dois agentes originada em um acordo de empréstimo. A história do crédito tem suas raízes no Código de Hamurabi, que foi elaborado pelo rei Hamurabi, o sexto rei da dinastia babilônica por volta de 1700 a.C. O Código ficou famoso por suas leis escritas, consolidando assim uma legislação e dentre elas a de que era comum as pessoas, ao pedirem dinheiro emprestado, oferecerem sua condição de livres, tornando-se escravas caso não conseguissem pagar a dívida contraída. Atualmente, o crédito está integrado a nosso cotidiano e saber usar os empréstimos com inteligência e racionalidade deve ser nosso objetivo.

Saber investir, conhecer conceitos e fórmulas matemáticas, poupar dinheiro e fazer seu salário, seu dinheiro, render, tudo isso é muito importe, mas é também fundamental ficar atendo ao uso correto de seu dinheiro no dia a dia.

VEJA O VÍDEO NO LINK ABAIXO:

http://novotempo.com/saldoextra/2011/10/13/credito-como-usa-lo-de-forma-inteligente/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+SaldoExtra+%28Saldo+Extra%29
Existem várias formas de pagamento disponíveis no mercado e é fácil fazer confusão entre elas. Tenho aqui em minhas mãos algumas estatísticas que dizem que cerca de 51% das compras são pagas com cheque, 25% com cartões de crédito em 17% com os débitos automáticos.

dinheiro em formato de notas mesmo é a forma de pagamento escolhida apenas em 7% das compras. A maior facilidade do dinheiro em espécie é sua aceitação em todos os estabelecimentos. Pode até ser que um lugar não aceite cartão de crédito, ou que só receba cheques especiais, mas não há quem rejeite um pagamento feito em “dinheiro vivo”. O único problema de andar com grandes quantias de dinheiro, em notas ou moedas, é que você pode ser assaltado ou simplesmente perdê-lo. Evite andar com a carteira cheia!

Já os Talões de Cheques representam o dinheiro que você tem guardado no banco, o que os torna mais seguros do que dinheiro vivo. Isso, porque, em caso de perda ou roubo, é possível ligar para o banco cancelando o talão inteiro de cheque ou apenas a folha roubada ou perdida. Os cheques são uma opção que o banco oferece aos clientes que têm dinheiro depositado.

Só você pode usar seu cheque, porque é preciso assiná-lo. Em caso de conta conjunta – entre pai e filho, marido e mulher, por exemplo – as duas pessoas são “donas” da conta e podem assinar os cheques, que registram os dois nomes impressos.

Os bancos oferecem algumas vantagens para clientes que têm um bom dinheiro depositado. Uma delas é o cheque especial, em que o cliente “ganha” do banco um limite extra de dinheiro, ou seja, pode gastar um pouco a mais de dinheiro, caso esteja precisando e não tenha. Mas essa vantagem não sai de graça. Se você utilizar esse limite oferecido pelo banco, paga uma alta taxa de juros. Funciona como um empréstimo de dinheiro. Então é, de fato, uma vantagem oferecida, mas é melhor não usar, porque o preço a ser pago é alto demais e você pode acabar se complicando em suas finanças com o pagamento de juros.

No uso de cheques, lembre-se de sempre preencher o canhoto do talão quando usar uma folha, para manter o controle de seus pagamentos.

O uso do cheque oferece a possibilidade de fazer compras com cheques que chamamos de pré-datados. Você compra hoje e faz o cheque com uma data futura, daqui a 15 dias, 1 mês ou em várias parcelas adiante, dependendo do que for combinado com a pessoa que receber aquele pagamento.

Os bancos são obrigados a oferecer um primeiro talão gratuito a cada cliente. Dependendo do tipo de sua conta, os demais poderão ser pagos. Fica aqui a dica de que você conhecer com detalhes as taxas de uso de sua conta bancária, como talão de cheque, estratos e outros serviços.

Existem várias modalidades de crédito. As principais são os Cartões de Crédito, que podem ser adquiridos por meio dos bancos. É uma forma de pagamento que dá ao cliente a oportunidade de comprar um produto ou serviço sem que tenha esse dinheiro disponível no momento. Funciona como um empréstimo de curto prazo. O cliente escolhe o dia do mês mais interessante para o pagamento da fatura. O pagamento da compra pode ser feito em diversas parcelas. Fique atento quando o estabelecimento oferecer o parcelamento e só faça esta opção se não houver acréscimos.

Caso não tenha dinheiro para pagar a conta na data do vencimento, o cliente pode renegociar a dívida com a operadora, mas “rolar” essa dívida não é uma boa opção porque os juros são muito altos e esta conta pode virar uma bola de neve, cada vez mais difícil de ser paga.

Vale lembrar também que há um limite de compra para os cartões de crédito.

Já os Cartões de Débito funcionam como um dinheiro eletrônico. Você compra algo, e em vez de pagar com dinheiro ou cheque, paga com o cartão de débito. O valor que for gasto é descontado automaticamente de sua conta corrente ou da poupança. Para usar esse cartão, é preciso ter uma senha pessoal e secreta. Cuidado, nunca forneça sua senha a ninguém.

O cartão de débito combina duas vantagens: a conveniência do dinheiro e do cheque com a segurança de um cartão de crédito. Mas lembre-se: não use o cartão de débito sem ter fundo suficiente em sua conta para pagamento. Se não houver saldo o cartão será rejeitado, mas se você possui cheque especial, a compra será liquidada, mas você começa a pagar juros imediatamente. Não se esqueça, que a taxa de juros cobrada pelo uso de cheque especial é a maior do mercado. É o pior tipo de crédito para ser utilizado. Existem muitas formas de se gastar dinheiro. Vale repetir; é fundamental ter controle sobre o dinheiro, saber quanto se tem e quanto se pode gastar.

Crédito Pessoal é oferecido geralmente pelos bancos e financeiras e não exige muitas garantias, a não ser um bom cadastro. É um recurso para emergências de última hora. As taxas de juros são variadas e deve ficar atendo às ofertas oferecidas.

Crédito Direto ao Consumidor é oferecido geralmente pelas financeiras e exige que você ofereça o bem financiado como garantia. É o tipo de crédito que usamos na compra de uma geladeira, televisão e principalmente quando financiamos um automóvel. Como as garantias são reais, os prazos são maiores e as taxas são menores que o crédito pessoal.

Crédito Consignado em folha de pagamento ou vinculado à pensão ou aposentadoria é oferecido geralmente por banco e financeiras e exige que você assine um contrato autorizando o débito automático das prestações em sua conta corrente de salário ou aposentadoria. É atualmente a forma mais barata de obter empréstimos para a compra de bens ou como crédito pessoal.

Crédito Imobiliário é oferecido por empresas e bancos para que você possa comprar sua casa própria. Existem condições de amortização diferentes, bem como taxas fixas ou variáveis. As instituições que oferecem essa modalidade geralmente disponibilizam um simulador para ajudá-lo a encontrar a melhor alternativa. Na maioria das vezes, esse tipo de crédito está vinculado a uma hipoteca.

Uma das regras básicas para a estabilidade financeira é não gastar antes de receber. Portanto, lançar mão de qualquer tipo de crédito, fazer parcelamento, crediário, entre outras coisas, contraria este princípio.

Mas é muito importante conhecer as modalidades de crédito oferecidas para que em uma emergência, fazer a melhor opção. Outro fator é que se alguém está endividado, deve dedicar tempo a avaliar este assunto com o objetivo de fazer um plano para liquidação de suas dívidas, priorizando aquelas onde está pagando mais juros.

Portanto, se este é o seu caso, use o crédito com inteligência. Respeite as seguintes regras:

  1. Controle seu orçamento com muita atenção, dessa forma você evita empréstimos desnecessários.
  2.  Preserve seu crédito, evite pagar atrasado e, se o problema for muito grave, procure o agente financeiro antes de se tornar inadimplente.
  3. Tenha consciência de seu limite de crédito e de sua capacidade de liquidar.Existem vários estabelecimentos e prestadores de serviços que oferecem o pagamento parcelado pelo mesmo valor do pagamento à vista. É algo automático, como compra de passagens aéreas, por exemplo. Fazer o pagamento parcelado é uma ótima opção, desde que o valor financiado seja colocado em algum tipo de investimento que esteja lhe rendendo juros, como a tradicional caderneta de poupança. Além disto, não se esqueça de controlar os valores e o prazo de pagamento.
  4. Financiamento da casa própria pelos recursos do Sistema Financeiro da Habitação é uma ótima opção para compra de sua casa, mas desde que o valor do pagamento mensal esteja dentro de seu orçamento, sem aperto. Esteja atento.

“A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei.” Romanos 13:8

Cumpra com suas obrigações financeiras. Procure não dever ao banco, às instituições financeiras ou a um parente que talvez lhe emprestou algum dinheiro, enfim, não deixe seu nome ficar sujo por dever aos outros.

FONTE: http://novotempo.com/saldoextra/2011/10/13/credito-como-usa-lo-de-forma-inteligente/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+SaldoExtra+%28Saldo+Extra%29

Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s